Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Busca...

Quando tinha três anos, minha mãe me colocou numa escolinha. Sempre gostei de desenhar e tinha um enorme desejo de aprender o significado das letras. Não fui bem sucedida...não gostei daquela realidade. Continuei brincando com meus desenhos e imaginando que o que eu riscava, poderia ser compreendido pelas pessoas que olhassem.
Com cinco anos, comecei a estudar novamente. Desta vez, tudo correu bem! Em algum tempo, começava a rabiscar frases inteiras. Gostava de poesias e contos infantis. Completei cadernos e cadernos de caligrafia, não que a minha letra fosse "difícil", mas era assim com todos os alunos.
No meu colégio havia um bosque, íamos um dia por semana lá com a "tia" ouvir contos de fadas e princesas bem sucedidas.Por um bom tempo imaginei que seria assim comigo...
Sempre gostei de "pic-esconde". Talvez algum de vocês tenha gostado também. Mas era, e continuo sendo muito tímida, só brincava quando alguém me chamava.
Adorava desenhar, escrevia cadernos inteiros de situações felizes e tristes pelas quais passava, era uma maneira de descarregar tudo de bom e de ruim do meu coração.
Na adolescência pensei em ser rebelde, não aos extremos, mas até coloquei um piercing no nariz. Desisti, não era meu perfil...
Passei por momentos tristes, felizes e estive por vezes encostada na porta entre a vida e a morte, não era a hora de partir, acabei ficando mais um pouco.
Já deixei que a raiva tomasse conta do meu coração. Por vezes me enganei, achei que eu me bastava. Chorei, amei, cuidei, tenho muitas saudades, solidão, carência...mas no fundo sempre soube que não estou sozinha, que não tive dores maiores do que as que posso suportar.
Tenho tantos defeitos, mas todos os dias tento melhorar um pouquinho.
Acredito que o homem ainda pode ser humilde por mais bens materiais e conhecimentos que tenha;
Que as pessoas ainda sabem amar, mesmo um estranho;
Que nem todos deixarão de lado a honestidade.
Minha maior certeza é que Deus espera que eu faça algo que ainda não fiz...está me dando outra chance. Espero não desapontá-lo.
Ainda continuo tentando...
Dia após dia, estou aprendendo viver.



Se você conseguiu imaginar alguma das situações que escrevi, acredito ter conseguido mais uma vitória!!!
Obrigada por ter dedicado um pouco do seu tempo, vizitando meu texto!!! Ainda estou aprendendo.

Caroline
Enviado por Caroline em 21/12/2005
Reeditado em 21/12/2005
Código do texto: T89203
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Caroline
Curitiba - Paraná - Brasil, 35 anos
5 textos (422 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:50)
Caroline