Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CIRANDA "LÍNGUA" ....A DETH HAAK - SUSSURROS DO RECANTO...ERÓTICA...

SUSSURROS DO RECANTO... ERÓTICA!!!!
Dama Iluminada...

Poetisa das palavras rebuscadas no perfeito uso do vocábulo dando-nos adeus?? Não entendi nada. Da Arte no perfeito uso da palavra, lançando-se com desassombro
Na busca da expressão do seu mundo interior.. Tua literatura é algo que me arrebata. A facilidade que tens ao escrever é um dom único concedido a poucos, incluindo a semântica. Fiquei meio assim, pensei, é o começo do fim. Alguns coitados errantes não vêem nem o sol e o sal que jorram das dunas do seu lirismo e deságuam nas praias de Copacabana.. A sua poesia tem um sabor que nos faz ler-te com muito louvor! Sofreremos com a perda do conhecimento e da arte. As almas dos recantistas estão marcadas pelos seus lindos textos. Mas há uma verdade incontestável: uma lágrima de meus olhos verdes! Não tens que lamentar por nada...serás bem vinda em qualquer lugar...e por onde andar e lá deixar suas palavras, eu as buscarei para inserir no meu texto.. "No princípio era o Verbo"..Línguas...maneiras de soltar a palavra falada...escrita... Bendita a língua que escreves, malditos os que não a querem entender.. .Língua de Camões...nosso imortal poeta que pela língua se imortalizou e o feito de um povo eternizou...ainda hoje falamos a sua língua...A ahh...Mas as diferentes emoções que expressamos no tom da nossa voz...podemos dizer "Vem cá..." e ser uma ordem... Um ser de tamanha envergadura não deixa o vazio, pois sem ti esse Recanto perderia um pouco de sua vida. Amo tua língua e o que fazes dela: Não sei o que se passa!
Mas o ambiente é benéfico, mas entendem a língua universal... .Língua que desce no teu corpo em percurso ardente e molhado...colocando em actos, o que as palavras te disseram...Até chegar ao teu centro de prazer e te levar ao céu em delírios de amantes... Língua....Tudo isso...para tudo isso...serve-nos a língua... Amo teu poetar, amo tua ousadia poética, amo tua Língua e o que fazes dela: que a semântica, os semantemas e os lexemas jamais te calem, eles que se reciclem e aprendam contigo. Não mais lerei DETH Morrendo do prazer, que me obrigava ao dicionário procurar realizando a língua como ninguém.. Palavras tão diferentes que nem pensava achar. Deth personifica a língua, criando uma sonoridade poética de brilho próprio! Linguagem é a do brilho do sol! Ninguém obscurece. Línguas que muito falam, poucos ouvem, olham umbigos, sem ver o próprio... Recomendos são sempre bem-vindos. Mas se for para você um grande vôo alçar ... Não , não sei o que se passa, mas o ambiente é benéfico. Onde querida és... Nada pode mudar curso inigualável dos versos, saboreiam o linguajar dos mudos o drama dos surdos Mas entende a língua universal... Serei eu a primeira a te parabenizar, línguas que muito falam, poucos ouvem, olham umbigos, sem ver o próprio...M as não penses que serás do recanto esquecida vale para todas as línguas, vale para todos os gostos...Em nossos corações, iluminada estarás, apenas adormecida! Poderia ficar escrevendo...escrevendo até cansar sou por demais sincera, simples no escrever. Um percorrer de caminhos com muita emoção e sentimento, mas quero que saiba, antes de ir-se embora, que nas preliminares o imaginário seja afrodisíaco! Sutilezas...Ventos poéticos! Ó vento...traz de volta minha poetisa. . OH FILHA DOS VENTOS, tão forte e guerreira, que com a magia dos versos, nos leva para tantos lugares, que nossa vã inconsciência, não imagina encontrar... OH FILHA DOS VENTOS, amiga e faceira ,sopra seus versos em meus ouvidos, com a tua doce calmaria...Bem ti digo ó Poetisa dos Ventos! Essa sensualidade forte, este linguajar escandaloso, mexe comigo e como! Acho que sou encantada com LÍNGUA, tanto o apêndice da boca, como a do nosso vernáculo. Ainda acho que o dicionário não é, de jeito nenhum, o "pai dos burros". Você já viu gente burra consultar o dicionário? (...)Até que essa poesia , SUTILEZAS... Á LINGUA dedicada carinhosamente ao RAFERTY, eu não precisei consultá-lo! Será que você estava "normal" quando escreveu essa bela poesia? TO ME SENTINDO, COMO UMA FAMÍLIA, CUJA MANA DÁ DE LOUCA, E TODOS SOFREM... SINTO MUITO, MAS TU JÁ NÃO TE PERTENCES, ÉS NOSSA, E COMO TAL, FICARÁ PRA SEMPRE. QUEM PODERÁ ESCREVER UM TEXTO TÃO LINDO COMO ESTE... Provocante, delicioso, excitante. Um poema de rara sensualidade. SUTILEZAS... Á LINGUA. Esta pérola me emudece. Sinto algo no ar, meus olhos marejam. Minha boca está seca e minha língua trava. A Musa já tem seu lugar no Olimpo. RAFERTY...
Adoramo-te. Beijos poéticos com saudades..De você.



Amigos queridos, meu muito obrigado! SUTILEZA Á LINGUA, alcançou meu objetivo... Polêmica termômetro, a temperatura subiu os ânimos acirraram-se, e hoje estou convicta, que meu escrever rebuscado tem publico...A gosto para tudo. A poesia não esta na gramática e sim na emoção expressa !Eu faço as duas, sem falsa modéstia...
Proponho uma Ciranda LINGUA...Em todas suas funções. TEXTOS ENVIADOS A FADA DAS LETRAS, INUNDAREMOS O ORBE DE LAMBIDELAS
E SEMANTEMAS LÉXITAS, venham somar nesta linguagem... Beijos poéticos morrendo do prazer. Deth Haak 19/01/2006


DETH HAAK HAAK
Publicado no Recanto das Letras em 19/01/2006

http://www.recantodasletras.com.br/poesias/100874

1 - Sutilezas... Á língua


Abençoados sejam os que, bom uso fazem
De ti...As que percorrem os dorsos que alimentam,
Gostos sorvem gozos saboreiam vinhos,
Cursam esconderijos...

Línguas... Que margeiam corpos causando
Delírios desvairam... Bem ditas sejam!
Que na languidez abrangente, elevam libido
Ao te imaginarem...

Lascivas ó línguas! Não absolverão esse considerar,
Temperam misericórdias, não cessem jamais o viandar.
Á água não expurga língua que tributo, despautério
No meu declamar, cama areia monte ou no mar.

Línguas...Que empenham fendas devassando caminhos,
Na sede de amar. Provocando sussurros localizam
Os rumos no linguajar...Bem-Te-digo línguas.

Sutis... Carícias encontrando lábios
Desaguando alúmen em tórridos solos, perfurando
Poço ou em grutas profundas, a língua que verso.
Acordes das notas musicadas no toque. Por ti, ajoelham e rezam...

Línguas... Escutai a oração, se ao deixar,
Esse mundo, para ele retornar que seja com a sua,
Sonoridade poética revelada, adulada harmonicamente,
Revogada em línguas o orbe e em desatino a mente.Línguas...


DETH HAAK
20/07/2005

2 - Línguas

Língua quente e molhada, que percorre, ousada
Percurso sinuoso, ardente, essa via que fascina
Corpo de cor dourada, sabor acre na madrugada
Misto de sal, amêndoa, café, especiaria rara e fina

Língua que terna e confiante se enrola em redor
Em doces e loucos toques que se vão intensificar
Para o paraíso vai arrebatar, com paixão e furor
Sedenta de licor, faminta de doçura e desejo saciar

Língua que em palavras ternas, plenas de carinho
Tons afectuosos, confiantes, conquistam os amantes
Demonstrando teu cuidado, tua amizade, o caminho
Para afagos, ternura, e essas inflexões acariciantes

Língua de Camões, estrofes heróicas eternas, imortais
Idioma de nossos egrégios avoengos, que mundo afora
A espalharam cantando, rezando, morrendo e amando
Com mistura de mel no país irmão, é falada ainda agora

Em meigas inflexões de tons doces e plenos de ternura
Que ora relaxam, enlevam, acalmam, ou exalam calor
Língua de poetas, que em suaves poemas dão a doçura
De palavras de sonhos, afectos, emoção, lendas e amor

Mas que dizer daqueles povos remotos, iletrados, ignotos
Que em sons de línguas estaladas se comunicam tão bem
Com a natureza aprenderam, com aves, vimos suas fotos
Em compêndios, filmes, na televisão, como nos convém

E ficamos a recordar os ensinamentos dos Livros sagrados
Quando Jesus disse: "Ide, falai e ensinai a todos os povos"
Nobre missão que deu a seus fiéis discípulos tão amados
E para a cumprir, deu o dom das línguas, e os fez renovos

E mais se poderia dizer, das línguas, esse órgão pontudo
Essa porção de terra que adentra uma baía, um rio, o mar
Mas como num simples poema, não cabe dizer ora tudo,
Já vai extenso, por isso o vou por aqui, agora já, finalizar.

Arlete Piedade - Fada das Letras
19/01/2006

3 - Frango \"regional\"

Na escola aprendi o certo
É bom - o termo correto.
Nome
biforme explicativo!

No forno alcança
Alto grau de proficiência.
Ficará \"ótimo\"!
Superlativo absoluto sintético
Do que era \"bom\".
Radical!

Vai à mesa em posição obscena.
Afogueado! Rubra tez! Bojo farto!

Nem a categoria dos adjetivos
Deixa qualificado
O sadismo da fragmentação.

Lambo, então, beiços e dedos.
Um a um...\"Bão dimais\"!!!

Expressão de gozo
Fecundando a gramática
Sem prejuízo
Ao prazer e à sabedoria.

Zuca
20/01/06

4 - Língua

ah! Essa língua!
língua sedenta
língua nojenta
língua felina
língua sangrenta
língua fofoqueira
língua linguaruda
língua mexeriqueira
língua mentirosa
língua trambiqueira
língua rancorosa
língua animal
língua banal
língua comprida
língua boçal
língua maldosa
língua venenosa
língua que não cabe na boca
língua que só fica de toca
língua que só fala besteiras
língua que só diz asneiras
língua de anzol
língua de besteirol
língua vadia
língua safada
língua babada
língua amada
língua molhada
língua encharcada
língua bonita
língua gostosa
língua de tesão
língua da paixão
língua que assobia uma canção
língua que lambe uma flor
língua que só fala do amor
escolhestes a tua?

Vincent  Benedicto
20/01/2006

5 - Dançarina erótica
se contorce pelo prazer
de buscas profundas
em cada ser.
Traça úmidos caminhos
sensuais destinos
no desejo de prover,
morna ou quente,
dengosa ou manhosa,
no comer, no beijar e ... no lamber!

Lia Zapata
20/01/2006

6 - Língua
 
era tão ferina aquela língua,
que cortava
relacionamentos.
 
Kate Weiss


7 - Abusada!
( língua)

Rosa Pena


Carnuda e alongada
pode ser bem ou mal usada.
Tímida ou ousada,
sempre porém, abusada.
Derrubou a Torre de Babel,
colou o selo no papel,
deflorou a noiva,
por debaixo do véu.
Para não falhar,
criou a ortografia.
Para amar,
usa a magia.
Tem vários idiomas,
e diversos sintomas.
Às vezes corta,
nem sempre é justa,
fala por detrás das portas.
O prazer degusta.
Doce,
amargo,
o mel,
o toque na outra boca,
lá no teto do céu.
Introdução,
da sensação
louca,
percorre corpos sem roupa,
emite o som dos gemidos,
mas fica escondida
na perda dos sentidos.
Que seria do amor,
sem os ais pronunciados?
Lábios sedados,
final da linha.

setembro de 2003
Livro Pretextos/Rosa Pena

8 - Língua e pensamento

O pensar dá à língua o bom paladar ou o pior gosto

Este a faz lamber de emoção

Faz mesmo o membro disparar como um canhão

Nos mata a sede ou nos faz sentir da vida desgosto

se em vez de encontrar vulcão lavadinho

Lambe nas redondezas

Vai encontrar o vizinho sujinho

Língua sabe lamber o que o pensamento imagina

Mas é o pensar que está a sugar

O pingarelho da vagina

Língua pode estar suja, do pensar

Mas não há agua que a possa lavar

Só pode ser limpa pelo esquecimento

De tudo que lambeu no momento

Língua pode-te por em apuros dizendo maus palavrões

Quando em ti o pensamento tem mas intenções

Pensamento e língua quando entram na fenda da vida

ficam insanas de razão perdida

a língua e indispensável para manter nossos amores

olhos para gostar da formosura

pensamento para oferecer as mais lindas flores

o conjunto carrega o canhão, este descarrega na fechadura

amigos pensai um momento no que vos digo

a língua pouco vale sem pensamento

mas com ele, chama-lhe um figo


por Armando Sousa

armando.sousa@sympatico.ca

9 - Essas línguas

As hipócritas,
belas sob certa ótica.
As ferinas,
assassinas.
As amaldiçoadas,
mal amadas.
As discretas,
dos poetas,
As vibrantes,
desconcertantes.
As silenciosas,
teimosas.
As indígenas,
alienígenas.
As amantes,
vibrantes.
As imorais,
são fatais.
E a minha,
sozinha.
À espera de outra.

Maurélio Machado
20/01/2006

10 - COLORIDA FALA...
 
Bela língua florida
nas formas
da flor
 
Bela língua florida
nas palavras
de amor
 
Bela língua florida
nas imagens
com cor

Francisco Coimbra
20/01/2006

11 - Sentidos da Língua

LuliCoutinho

Saúdo-a em boca entreaberta!

Mostrando-se esperta e lépida,

Sentindo os sabores da espécie,

Degustas o suor da pele tensa,

De um corpo em torpor.

 

Desperta-me o sentido do desejo

Quando lambes minhas pétalas,

Doce rosa escondida,

Que te anseia sem pudor.

 

Caminha! Neste corpo de malícias,

Proclamando-o em delícias,

Moldurando-o em volúpias,

Disfarçando a rubra cor.

 

Penetra-me!

Sinta o gosto do pecado

Sejas lenta e delicada!

Neste céu, luzes, estrelas,

Faze delas a orgia,

Desabroche minha flor!
 
21/01/06

http://www.lulicoutinho.prosaeverso.net

12 - A Língua em sôneto inglês
 
A língua como verso sagrado
Que é fruto da coragem sacrossanta
No tom da procura, um agrado
Sem segredo, ato delicado
 
A língua que transforma em sentimento
Versos e sílabas, o som em alento
Encantado, que permite a recompensa
De quem pensa no êxtase da cor
 
A língua que é viagem "sarracena"
Dos sátrapas que encantam a multidão
En saturnais festejos, a sedução
Das cantilenas e dos madrigais
 
E nos saraus é presença certa
Em que poetas versejam à hora incerta
 
Calaf
21/01/2006

13 - Ciranda a Língua

A língua é poderosa
Ama ardente,
Ou mata a míngua...
 
Regina Lyra
21/01/2006

14 - LINGUA ESQUISITA
 
Lauro Vitor é um menino bonito, inteligente e muito paparicado. Ele está sempre na cozinha, vendo sua mãe fazer flores de massa.
Sua alegria é pegar o rolo de macarrão e “ajudar” um pouquinho.
O menino fica ali por perto e sua mãe sempre fala:
-Venha cá, meu amor, que eu vou te “esgulepar”!
-Ele larga o que está fazendo e vai correndo, com os bracinhos abertos, para ganhar um abraço, bem gostoso, de quem muito ama.
Numa tarde em que a dona-de-casa estava trabalhando, o guri perguntou:
-Você quer o "esgulepo"?
-O quê, Lauro?
-"Esgulepo".
-O que é isso, meu filho?!
-Ué! O pau de abrir a massa, mamãe!

Anna Célia Curtinhas
http://annacelia.multiply.com/

15 - Língua

Pequena fração do corpo

Usada para sentir o sabor

E nos momentos de emoção

Despejar ódio ou amor.

 

Quando a mente está em paz

A língua transmite belo verso

Mas se o pensamento é amargo

Seu tom magoa o universo.

 

A cabeça armazena explosivos

A língua é um mero gatilho

Quando o atrito se faz presente

Ela funciona como rastilho.

 

A voz que então é produzida

De signo torna-se um carma

E o mundo se estiver atento

Sucumbe diante desta arma.


As letras são as balas do povo

A palavra, o poderoso canhão

Se o tiro vara a mosca no alvo

Modifica o destino da nação.


Haroldo P. Barboza – jan/2006
 
Autor do livro: Brinque e cresça feliz

16 - POETRIX LÍNGUAS

Línguas apaixonadas,
passeiam de mãos dadas,
em céus de bocas molhadas!

PCoelho

21/01/2006

17 - Língua poderosa

Sueli do Espírito Santo
 
 
Oh! língua como és altiva
quando és ferina amaldiçoas
também bondosa abençoas
tudo depende de sua saliva
 
agradas todo tipo de paladar
desde o amargo ao mais doce
e no doce quero me esbaldar
como se uma gulosa fosse
 
Ah! língua, poderosa e maliciosa
em ti fico aqui só a imaginar
como és gostosa na preliminar
 
Para o ato  sensação deliciosa
que a nossos corpos vem trazer
até delirarmos de puro prazer...
 
http://www.sue2001.recantodasletras.com.br/

18 - LÍNGUAS SÃO ANTENAS APONTADAS A SINAIS


Nas cobras, elas são o faro

 

Na Pátria, fator de unidade

 

No homem, prazer ou destruição

 

Denise de Souza Severgnini

19 - CIRANDA - Línguas de Fogo

Línguas de fogo percorrem,
Corpos amados até á exaustão,
A minha na tua é pura sensação!

Resolvi por em palavras e dá-las,
O que penso da ofensa á língua,
Pecado mesmo: É não beijá-las!

Língua é instrumento,
De bom entendimento,
Mesmo em linguas diferentes,
No toque do beijo tu sentes!

Jorge Aílton

20 - LÍNGUA DE BABEL
 

Eia, edifiquemos uma cidade e uma torre que toque o céu

Lhe daremos  um belo nome para não ficarmos ao léu

Mas Deus fez uma  visita e não gostou do labéu

O povo é  um e têm uma só língua!

 

Eia, confundamos:  mudem a língua, o  linguajar!

Homens se espalhem por todo lugar

Muitas línguas todos vós hão de falar

Correram sôfregos, todo o povaréu

E a língua desuniu e virou Língua de  babel

 

língua de minha pátria idioma mais cantado

Língua sintética,  cibernética, ética

Língua suja, língua fétida

Língua dos Santos, que o diabo também tem

Língua quente, labareda envolvente

Língua que soa, entoa, encanta a gente

Língua que tropeça, erra, se inflama

Língua soberana, tens o poder da paz  e o poder da guerra.

 

Língua que se mexe e me molha...Erótica

Língua que tem o gosto da boca

Língua do pensador, do filósofo, do poeta, do cantor

Língua afiada das mães que ensinam os filhos

Dos mestres tem outro sabor

Língua rebuscada da literatura formal

Língua falada por tribos clãs, greis e gays,

 

língua comprida da vizinha, da cobra e dos camaleões,

Língua de trapo, de farrapo, do sapo e do linguado

Língua do falastrão, da oração, do falatório

Língua da  linguagem, da coisa séria e da bobagem

Língua do linguajar, do modo de ser, de falar.

 

Nervo da língua, lingual,  órgão bucal,

Língua que irrita e provoca gesto igual

Língua da fofoca, do mal, da maledicência

Linguareiro, indiscreto e linguarudo

Tem saliva, liquido, transparência

 

Lingüeta,  língua pequena, lingüinha

És rampa de cais, peça de fechadura

É a língua do tirano que fere, linha dura

Língua do paladar, do dialeto, do popular

Língua do falar, do lamber, do beijar

 

Língua francesa – langue

Língua inglesa –  language

Língua espanhola – lengue

Língua portuguesa –  a minha.

Linha japonesa, shita

língua germânica, sprache

 

Língua dos mudos, dos surdos

língua dos cegos, em braile

Corpo carnudo, alongado e móvel

Língua talentosa, poderosa, generosa

Língua mole, infiel, impura

Língua de  Deus, criador e criatura
 
Meg Klopper
 
 
OBS.: A citação EIA e Babel referem-se ao livro Bíblica Gênesis, 11: 1-9.
 
 
NOVO SITE - ME FAÇA UMA VISITA
http://www.megklopper.recantodasletras.com.br/

21 - A UM LINGUARUDO

língua, língua, língua
 
língua, fofoqueira e infinda
 
língua que se fosse linguinha
 
falaria mais ainda


TICO (João Batista dos Santos)

22 - "Lingua"

Molhada ,ousada,
Deliosa,amada,
Safada moleca,
Levada da brega,
Faz brincadeiras,
Com poder fascinante,
Lingua de amantes,
Delia e prazer,
Delírio constante.
Adoro você!

Claudia Franco/22/01/2006

lindamulher
Recanto das letras

23 - A LINGUA DOS ANJOS

A lingua dos anjos,
não é difícil de entender
eles se comunicam
através do silencio
da intuição e de sinais
do tempo...

A língua dos anjos
não tem em dicionário,
quando não entender,
olhar para o céu,
e escutar as estrelas...

Uma linguagem simples
codificada pelo vento
que confia no vôo
de um beija flor,
para falar com a humanidade..

A língua dos anjos,
é universal,
não tem fronteiras
e nem idioma,
e somente amor
que se espalha
pelo mundo.

Quando,
anjos se comunicam
com nós,
é um prazer imenso
que deixa a alma
nas montanhas
escutando a oração
falada na
língua dos anjos...

Sementes de paz,
são atiradas no universo
procurando corações,
quando anjos se pronunciam
espalhando fé,
para colher amor...

Quanto colorido,
descem do céu,
quando Deus
envia seus anjos
para pregar a paz
em uma linguagem simples,
que é o amor.

A língua dos anjos
quando entendida,
não existe discórdia,
e sim entendimento,
e a vida navega
ao som do destino
que escuta o coração
quando um anjo deixa
uma flor em seu  sonho.


Rogério Miranda

24 - Língua
 
Músculo, deglutição, fala,
grande, pequena,
fina, grossa,
estreita,
larga.
Carnuda, seca,
sexual
 
sexual...???
 
intercomunicativa
revelativa
indiscreta
 
Adorada língua... Pátria!
Dialeto, palavreado...
 
Excomungada
Apaixonada
Desprezada
Sozinha...
 
Ou acompanhada?
 
Salivada, enxuta,
suja, lisa, desenhada.
Língua dobrada ou
respeitosa, puxada,
Limpa...
 
Limpa???
 
Lingüeta, fiel da balança:
delatora, intrigueira.
Maledicente, tagarela, xereta,
abusada, mentirosa.
Linguarice roca.
Maldita...
 
Maldita língua!
Ou bendita???
 
Língua do mal ou do bem?
Cada um de nós sabe
como aproveitá-la...
Sabe-se lá, como, onde,
e o que fazer com ela...
 
Mas sempre, pensando no bem!!!

Nina (Lala Bon Mot)

25 - "LÍNGUA"

Aquela língua roçando meu umbigo,
me arrepiando , me enchendo de tesão,
(fingia que não via, que nem era comigo),
fantasia? Pensava... sonho, ou ilusão?

Aqueles braços fortes, me cingiam
sufocando de amor, meu coração
taças, violões, pianos que tangiam,
reforçavam meu sonho...de paixão

Seria sonho, ilusão, só fantasia?
Eu, você, meu Deus, todos mentiam,
ou a loucura de mim se apoderou?

Não! Esta língua que me acaricia
É real, verdadeira, é tão macia,
Este prazer eu sei, nunca acabou!....



Dezinha
Publicado no Recanto das Letras em 22/01/2006


26 - Lingua cativa
 
Somente teu corpo busca,
Precisa do teu gosto do teu mel
Do gosto da tua lingua! ..........

Dama de Negro


27 - Encontro necessário

Encontro necessário
Num beijo real
Delírios mil

Línguas exploram corpos
Marcados de desejos
Gozos enlouquecidos

Cheiro de amor despertado
Gosto de tesão nos lábios
Lámbidas sem fim

Trocas de emoções
Saciando e realizando
Fantasias sem limites

Língua que sobe buscando mais prazer
Língua que desce despertando o viver
Língua que penetra o mais íntimo do ser

Línguas que se encontram
Línguas que se perdem
Línguas que se buscam

Num baile de amor
Na arte de fazer amor
Ela (língua) não pode faltar

Wainy

28 - Língua

Língua que me acaricia
Desliza em minha pele macia
Despertando-me arrepio
Causando-me frio
Fazendo-me desejar-te
Querendo sentir teu gosto
Aquecer-me em teu sabor
Acariciando-me com teu amor
Ao mesmo tempo me beijando
Em meu corpo passeando
Minha boca arde te desejando
Lambe meus lábios
Aos poucos vem chegando
Faz-me dá o goto
Lambe-me o pescoço
Saboreia-me com teu gosto
Invade-me a boca
Roçando-me os lábios
Adoçando-me
Sinto tua língua indo de encontro com a minha
Fazendo um passeio suave e excitante
Umedecendo minha alma
Acariciando os lábios.
Percorrendo em passeios suaves
Fazendo-me sentir o melhor beijo.
O beijo em que a língua faz amor e não sexo.


portal da poesias
http://geocities.yahoo.com.br/jrpoesias/
rozilene pereira de souza

29 - A LÍNGUA COMEÇA UM BEIJO,


Acendendo o desejo ardente

Um calor
__v
___a
____i

_______d
________e
_________s
__________c
___________e
____________n
_____________d
______________o

Acordando o prazer da gente


PS: No original é um poetrix que teve a disposição dos versos alterada.


Denise Severgnini

30 - Más línguas.
 
A linguaruda lingua
das comadres;
A lingua maledicente
dos confrades;
A mentirosa língua
dos políticos;
Língua de fogo
da palavra não pensada;
Língua de rôgo
do demagogo candidato;
Língua bífida sibilina
da lívida serpente;
Língua mentira
dos torturadores e verdugos;
Lingua de trapo traiçoeira
que não guarda um só segredo.
Língua do medo
que dá falsos testemunhos;
Língua de sola
das botinas prepotentes;
Língua da esmola
que só pede por preguiça;
Língua carniça
dos sem graça desbocados;
Língua de missa
que não guarda a confissão;
Lingua doente
falando como deuses entre os dentes;
Língua omissa
que se cala na perfídia;
Língua boato
do alarmista sem sentido;

Línguas de homens
que não deviam ter nascido.
 
Marco Bastos.

31 - Língua

Degusta, fala, lambe
Beija, acaricia, abusa
-E falam que o coração manda...

Thiago Augusto de Souza Zanetti
Publicado no Recanto das Letras em 22/01/2006

32 - ÚLTIMA FLOR DO LÁCIO _ LÍNGUA-MÃE:

Tenta sobreviver num recanto
Agoniza, pede conhecimento
Lembrem-se de sua existência

Denise Severgnini

33 - "LÍNGUA"
 
Língua que cativa
O beijo a palavra
Carne múscula pele nua
Na ternura da candura
 
Língua que acaricia
Nossos corpos entrelaçados
Degustando o suor molhado
No saciar o êxtase sagrado
 
Língua que desfibra
O ardor de um beijo
Despertando o desejo
No sentir de um peito
 
Língua do silêncio
Que na vida se abriga
Por ser muda transparente
No afagar do corpo carente
 
Língua da magia
Na escrita da poesia
Um calor que contagia
De mãos dadas a alegria
 
Língua do amor
Deslizando numa canção
Na roda de uma ciranda
Que me lambuzei de emoção!
 
Giovania Rocha
22/01/06

34 - Língua

Língua, de poeta
Se manifesta, através da escrita
Língua, de minha pátria
Dentre todas, a mais querida
Língua, lambuzada
Com mel, adoça a vida
Língua, desejada
Em sua boca, me delira
Língua, erotizada
No meu corpo, eletriza
Língua, de fogo
Às vezes, consome vidas
Língua, de boi
No prato, enche a barriga
Língua, de criança
Ao falar, troca as sílabas
Língua, de sogra
É brinquedo ou é maldita
Língua, estrangeira
Indecifrável, esquisita
Língua, de cachorro
Respira e transpira
Língua, de político
Diz mentiras, não tem valia
Língua, de pássaro
Canta e assovia
Língua, de professor
Educa, nos guia
Língua, do meu amor
É coração, supremacia!

Cacaubahia (Luís Cardoso)

35 - A LÍNGUA É FACA DE DOIS GUMES,

 
Profere as palavras amor e ódio

Assim como elogia docemente

Calunia sem dó nem piedade

Denise Severgnini


36 - Poetrix

No céu da boca
vogais eróticas
consoantes seminuas :
um (uni)verso de prazer...

Ricardo Mainieri

37 - Línguas (Acróstico)

L ambendo suavemente teu corpo quente
I nflamando-te de paixão e desejo ardente
N a beira da cama, ajoelhada rezo a oração
G ulosa...gemes e  acaricias-me com paixão
U m jorro ardente me ofertas em explosão
A mado meu, liberto, gritas de pura emoção
S aciado me dizes: - Agora é a tua vez, tesão!

Arlete Piedade - Fada das Letras

38 - LÍNGUAS, BOCAS, LABÍOS...

 

Comungam entre si saberes

Trocam experiências  secretas

Inundam-se de sensual prazer

 

Denise Severgnini

39 - LÍNGUAS...


Longas línguas lisonjeiam

Lúdicos líricos linguajares

Louvando logos limiados...

 

Lira lusofônica lisurada

Lustrando lúgrubes lidados

Laureadas línguas lancinadas...

 

Lições lascivas lavradas

Libertados lodos livrados

Lusíadas lavraturas luzem !

 

Latentes luxadas locupletadas

Lambem lavas lacrimejadas

Litúrgicas loucas libadas...

 

Lacunas libidinosas lousas

Lúbricos lastimados lúcidos

Limpando LÍNGUAS labirintos...

 

Ligeiras lancetadas lutas

Longínquos lugarejos limitados

Liberação luxuriante lapidando...

 
Deth Haak

23/01/2006


40 - Língua

 
Nadir A D'Onofrio

 
Órgão muscular
Essencial !
Na manutenção da vida.
Degustando sabores,
Articulando palavras.
Imagine o ser sem a língua?

Em muitos casos,
Seria bom e necessário!
Quando seu uso é mal adequado.

Língua ferina,
Destilando veneno.
Sagaz, sarcástica,
Atinge a vitima ao longe....

Preferível língua sensual,
Deslizando suavemente.
Propiciando momentos de prazer...
Minha língua na sua!
Molhada,
Sugada,
Enroscada...
Já não sei
Qual é a tua
Ou a minha...

23/01/2006

Santos SP

41 - LÍNGUAS, BOCAS, LÁBIOS.../Dueto

 
Comungam entre si saberes// Neste linguajar de sensos

Trocam experiências  secretas// desvendam libando sentires

Inundam-se de sensual prazer// desvairam lábios em desalinhos

 

Denise Severgnini// Deth Haak

42 - Cinco línguas

Eu möchte hablar en tout die línguas
Und küssen você con all elles
In deutsch, français, español, english
Und aus portugês for you à compriender

Uh-la-lá!
Wunderschon!
¡Que rico!
Wonderful!
Maravilha!

Cinco tongues que touché dich
Für te give plus placer
Y para faites mais ausdrücklich
Mein amour for você
 
Thiago Augusto de Souza Zanetti

43 - Língua
Degusta, fala, lambe
Beija, acaricia, abusa
-Não é o sangue que faz bater o coração

Thiago Augusto de Souza Zanetti
 
44 - Língua de sogra

Língua felina
Preteje, domina.
Astuta na vida dos filhos se mete!
Sua língua destila o mais puro veneno
Picada mortal
Palavras impensadas
Atitudes banais
Língua de sogra
Língua de cobra.

EDU / Carlos Eduardo R. Bonito

45 - FARPAS

Farpas afiadas,
faiscando nas palavras deslavadas,
afinadas,
cortante feito navalha,
sangra a alma,
faz do sangue inocente o véu
da mortalha;
Farpas afiadas
palavras frias, calculadas,
soltas ao léu
reverberam no céu
meteoros flamejantes
dissonantes,
devastando o campo da harmonia,
seca, racha o chão da concórdia,
semeia intriga e discórdia,
rasgando, partindo em pedaços um coração;
Farpas afiadas
bailando em bocas ferinas,
como se fosse doce, doce do mal,
contudo nada é eterno.
aproxima-se o dia que fio cegará,
e a língua maldita, proscrita, queimará
no fogo incremente do inferno.

ANDRADE JORGE

11/11/2005

46 - Espirais ardentes

Tantos gostos sabe me trazer,
Essa boca que me beija,
E cada uma dar-me seu prazer,
Em cada impulso que me deseja.
Se essa língua sabe beijar,
Não saberei em consciente,
Pois seu toque em mim faz delirar
E minha vida torna-se inconsciente
Mas de algo estou ciente:
Esse toque é um presente,
Um prazer que retumba e sente,
A cada vez que encontra -te à minha frente,
Por que você não pergunta:
O que não acontece quando você está na minha frente?
O que não acontece é nada,
Pois minha mente se entrega
A teu coração e meu corpo se devota
A carnalidade de nossa paixão

Pg do recanto
http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=1478
Vitor F. Barros.
Natal/RN

47 - Lingua


Língua que me acaricia
Desliza em minha pele macia
Despertando-me arrepio
Causando-me frio
Fazendo-me desejar-te
Querendo sentir teu gosto
Aquecer-me em teu sabor
Acariciando-me com teu amor
Ao mesmo tempo me beijando
Em meu corpo passeando
Minha boca arde te desejando
Lambe meus lábios
Aos poucos vem chegando
Faz-me dá o goto
Lambe-me o pescoço
Saboreia-me com teu gosto
Invade-me a boca
Roçando-me os lábios
Adoçando-me
Sinto tua língua indo de encontro com a minha
Fazendo um passeio suave e excitante
Umedecendo minha alma
Acariciando os lábios.
Percorrendo em passeios suaves
Fazendo-me sentir o melhor beijo.
O beijo em que a língua faz amor e não sexo.

Pg no recanto
http://www.recantodasletras.com.br/autores/rozilene
Portal da poesias
http://geocities.yahoo.com.br/jrpoesias/
Rozilene pereira de souza

48 - Língua

Língua
 labareda
  percorre
   caminhos
      sinuosos
           sorvendo
                  néctares
 
Belvedere Bruno

49 - Línguas Virtuais

(Sandra Fayad)

 

Não gosto de línguas mal cozidas

nem bem assadas

Nem mesmo bem cozidas

muito menos mal passadas.

Já gostei de línguas cruas

dessas que roçam os lábios

e invadem o túnel úmido

da boca úmida e quente

causando deliciosas sensações

em todo a corpo da gente.

Dessas também já não gosto mais:

mentiram, deram-me esperanças vãs,

foram covardes e cruéis por demais.

Não sei se por vingança ou desilusão

Dei ordens expressas à minha

-Agora, só lamba línguas virtuais!

 
23/01/2006

50 - Na ponta da língua

Na língua tua...
O fato, o tato, O ato.
Sob o clarão da lua!
Na língua tua...
Desejo e loucura a deixar-me nua!
Na língua tua...
A química... O cálice.
Em deleites de puro prazer!

Lisbella
51 - A boca lateja, ah! como lateja...


A boca lateja, ah! como lateja
Efeito da espera que
De promessa feita
Até então nada acontece

Olhei os ponteiros em disparada
Sinal aberto, atento à invasão
De cotovelo dolorido
Mordi a língua na última ressonada

Da alma calada, sofrega noite
Mil armadilhas pregavam os olhos
Donde está esta invasora???
A boca se abre em nova dor

Flui em vagos pensamentos
Delírios que suavam o corpo
Entre beijos que a tela expiava
Latejando joelhos de tão dobrados

Um pico de luz, cai a tela
Sim, é ela chegando, é nada
Scandisk passando lotado
Só mais um susto, mais nada

Hum! deve ser meu severo castigo
Há muito que nada falo, nada digito
Deve estar brava, com minhas faltas
Rasgando meus antigos textinhos

Demorei nesta última viagem
Demorei, para desembarcar de novo
Nem provando que tudo li de novo
E que ainda treme o coração

Desencanou da minha paixão
Encontrou quem mais se interessava
Quem mais lhe dava atenção
E deixou-me no espaço feito vaga

O HD travou, pensei que a tua raiva já tinha passado, mas não era nada disso!

Peixão89
 
52 - Novas labaredas, incensos distintos...


Novas labaredas, incensos distintos
Temas de "soul" tocando em algum lugar
Vejo este corpo passando, lascívo
E meu teso se perde em paixão

Por dentre estas sedas que flutuam
Cada nota, toca mais fundo a alma
Me desespero pelo prazer que caminha
E meu corpo treme com sua fremência

Mãos não se cansam de te carinhar
Sua boca me desnuda insaciável
Tomo teus seios em seguidos beijos
E tua carne me deseja agora

Bailamos pelo leito ensandecidos
E na volúpia do abraço
Te coloco em firme atração

Bailamos com as estrelas cúmplices
Tua carne geme de prazer
Um gozo de máxima paixão

Nesse tom, acolhemos o alvorecer com uma volúpia insaciável!

Peixão89

53 - Lingua, na ROMA antiga...

Os antigos romanos tinham um código moral
dentro da sua alegre promiscuidade sexual;
"os beijos sem o uso da língua não deve suscitar malícias". Isto numa época em que os homens se beijavam na boca, como sinal de fiel dedicação.
Assim , Marco Aurélio quando jovem os trocava
muito sentimentalmente com seu preceptor Frontão...
O assunto é sobre línguas!

Raferty

54 - Cunilíngua

Langue, a língua a escrutar-lhe o seio
e outros relevos da anatomia,
segue escrevendo a erotologia,
cindindo o preconceito pelo meio.

E, bolinando a carne sem receio,
traça a geografia do prazer
por onde haverá de percorrer
lascivo bosque e encontar o veio.

Núbil, o corpo doa-se combalido!
Transpira de prazer e, agradecido,
unta-se dos fluidos naturais.

E, então, completamente relaxado,
bendiz a natureza do pecado,
e, ofegante... peca um pouco mais.


Cula

Publicado no Recanto das Letras em 24/01/2006

55 - São tantas línguas
 
língua comprida
língua de sogra
língua viperina
língua portuguesa
língua vermelha
língua azul
língua de urubu...
 
língua de cobra
língua bifurcada
língua do “T”

língua que se paga

pra t(v)er

 

língua de papagaio

língua de porco

língua da Thais

língua que se fala

só no norte do país

 

língua safada
língua tímida
língua doce
língua salgada
língua crua
língua que se fala
nas ruas...
 
no final:
língua morta (de tanta fofoca)
 
 
Kika Cardarelli
24/01/06

56 - Língua - Acróstico

L ancei minha língua
I nteira na sua boca
N ão tive medo
G osto mesmo é de sentir você
U ltrapassar meus limites, pois eu
A mo você.

Flávia Souza

57 - Língua de cobra

Língua felina
Língua de cobra
És  escamosa
Sempre pronta para dar o seu boti!
Derruba
Destila seu veneno
Muitas vezes letal!
Picada fatal
Ser rastejante
Falsidade total
Sem escrúpulos
És imoral!
Na frente
A língua maldita
Desfere bondade
Muita humildade
Bem vista pôr todos
Uma amiga querida!
Pôr trás língua afiada
Destila veneno
Abre feridas
A língua tu és maldita!
Com suas palavras
Por cima de todos passa
Língua de cobra
Sempre afiada
Esnoba
Destila
É falsa
És  cobra tinhosa
Tormento de todos
Língua afiada
Tu és perigosa.

EDU - Carlos Eduardo R. Bonito
Praia Grande SP

58 - Linguas
 
Queria nossas linguas,
livres, leves, soltas,
trocando as estrelas
do céu de nossas bocas.
 
Tonho França.

59 - Língua


Língua a degustar todo sabor
do doce , do sal e do amargor,
língua que em palavras fere
em farpas soltas no ar,
língua que fala de amor.


Língua suave a banhar
o corpo do amado ser,
língua que faz fenecer em dor
no duro e cruel palavrear,
língua que faz amor.


Língua que embala a criança,
em uma doce canção de ninar,
língua que traz a esperança
na prece da fé a orar,
língua que conta contos,
levando-nos a doce sonhar.


Enfim há todos os tipos
de línguas e linguajar,
algumas podem matar,
a minha destila a poesia
que brota de íntimos recantos.


Autoria : Sônia Ravanini Pina
25/01/2006



Sônia Ravanini Pina
Publicado no Recanto das Letras em 25/01/2006

60 - Línguas...

Línguas...
a que falo,
a que calo,
a que faço calar!
A que pouco ouço,
a que escuto com desejo,
a que numca almejo, escutar!
Línguas...
mecanismo e intento,
que me penetra boca adentro...
-Faca afiada sobre meus desejos,
que deseja me excitar!
Línguas,
cheias de encantos e simbolos,
outras impossivéis de encantar!
Línguas...
tem as que compreendo,
outras difíceis de decifrar!
Línguas...
prefiro as das crianças,
que lançam esperanças,
em seu balburciar!
Línguas...
As escolho, para recostar os ouvidos, quando posso,
Pois sendo carne, nem tem ossos...
Mas ossos podem quebrar!
Línguas...
Eu desejo, entre todas, a mais doce...
Que faz com que estale a minha no céu da boca:
A tua, quando louca,
como seta, voando ao céu de minha boca,
vem a minha beijar...

 
Edvaldo Rosa
Publicado no Recanto das Letras em 25/01/2006
http://www.sacpaixao.net

61 - LÍNGUA

Quero minha língua afiada

Molhada,

Livremente apaixonada pelo ser humano

 
Quero minha língua a serviço da tua

Da lua

Do sol

Dos dias quentes ou frios


Quero minha língua

Como um subterfúgio seguro

Como o colo-porto

 
Quero minha língua como minha arma

Para beijar

Falar

Degustar

Bendizer.
 

Quero minha língua como

Minha alma.

 
Francisco Ronaldo de Araújo Araújo

62 - Minha Língua Ferida

 
Feri minha língua na tua

No beijo ardente da despedida
 
Não senti gosto de sangue

E sim de saudade de tua ausência pressentida.

 

Feri minha língua no desejo

Inconsolável vontade de me deleitar em tua boca

Não senti dolorida minha língua

Mas, minha alma afogando-se na tua falta louca.



Feri minha língua quando calei palavras

Quando aceitei o adeus

Quando te perdi com teus beijos.

Feri minha língua quando fiquei sem teus desejos.


Francisco Ronaldo de Araújo Araújo


63 - Ode a lingua


Pediram um poema sobre a língua

Que posso falar da língua?

Língua que fere,

machuca.

Língua que ama,

lambuza.

Língua que sente

sabores.

Língua que mostra,

desejos.

Palpita corações,

Passeia ao longo do corpo.

Descobre sensações,

caminhos perdidos

 

Myrian Benatti

64 - A respeito de língua e Língua, do órgão físico dos fonemas da palavra até o idioma criado por Lazar´Ludwig Zamenhof, é um meio de comunicação mais completo que os humanos têm. Usar a língua para dizer coisas de amor, de afeto, de carinho, mas também ferir com palavras de mau gosto, ofensivas, a língua traz em si, o gosto saboroso das ilusões e o gosto amargo das desilusões... E que não dizer do ímpeto das paixões? A língua que exprime sentimentos, tormentos, choro, argumentos e tantas maldições... E do complexo linguajar da Torre de Babel, surgiu um mestre de línguas... Zamenhof para ensinar ao mundo, como os povos devem se comunicar, sem se submeter a culturas alheias à sua, respeitando o direito que cada um tem de usar a língua do seu País, de se comunicarem em igualdade de condições, sem discriminação de raça, religião, idéias, respeitando cada um os costumes uns dos outros, a Língua Internacional só poderia ser uma Língua Neutra Auxiliar e totalmente fonética como o caso do Esperanto, que, entre mais de 400 projetos de línguas, foi a que substiste até hoje, contra todos os argumentos já comemora os seus 119 anos de existência com adeptos no mundo inteiro, mais de 4 milhóes de falantes ou até mais ... onde nos Congressos Universais ela é falada, cantada, declamada, instruida e irradiada por diversas estações de rádio, como a Varsóvia, Zagreb,Rio de Janeiro, Muritiba, Sorocaba, Vaticano, Pequim, Rádio France etc... Cada povo com sua língua e todos os povos com o Esperanto!
Enviado por Victoria Magna em 26/01/2006 00:04
para o texto "CIRANDA "LÍNGUA" ....A DETH HAAK - SUSSURROS DO RECANTO...ERÓTICA..."

65 - Língua solta,
 
De várias formas
 
Realizada com gosto
 
Independente de normas
 
 
Língua, linguagem
 
Língua de corpo
 
Língua solta, de vadiagem
 
Língua de duas vias
 
A do corpo
 
Como as mãos
 
É espada de dois gumes
 
Acariciam ou matam
 
Decretam morte ou vida
 
 
DIANA GONÇALVES (RECANTO DAS LETRAS)
 
 
66 - Língua que percorre meu corpo,
Que suga todo mel que escorre da minha boca.
Língua quente que mordisca seu ouvido,
Língua que me faz viajar no céu da sua boca.

Língua que me fala a mais linda frase,
Língua melada de mel.
Língua que me faz gemer de prazer,
Língua que te realiza.

BRIONE CAPRI

67 - Meu amor
             

Te acordo.
Deslizando minha língua no seu corpo.
tateando, procurando...
Vou aconchegando-me  aos poucos.
Enroscando-me nas suas entranhas...
Ouço uma música suave...
Numa coreografia lenta...
Tomo conta de seu corpo...
Beijo seus olhos...
Sua boca...
Sinto o seu desejo.
O seu amor...
A sua pele...
Seu corpo...
Você me beija e me abraça.
Meu corpo não me pertence mais.
Teu corpo não te pertence mais.
Somos um só...
Um só prazer.

Myrian Benatti

68 - Língua de fora...
Língua de dentro...
Língua de fogo...
Língua gelada...
Língua ferina...
Linguada...
Fora...
Dentro...
Fora...
Dentro...
 
--- Ai!!!!! Bandida!!!! Mordeu minha língua!!!!
 
[ANJES]
 
http://fotolog.terra.com.br/freeway

69 - Passando de mansinho,
Vertendo em saliva,
Uum beijo diferente,
Mais lambe que alisa.
Penetro com furor,
Sua boca,
Meu interior.
Lingua te desnuda!!!

Passo as mãos pelo seu corpo,
Sem tirar a língua de ti.
Da boca passo ao pescoço.
Vamos gozar assim.

Vestidos e ensolarados,
Nossos corpos estremecem,
Minha língua nunca foi santa,
E agora seu corpo padece.

Num balé descomunal,
Sinto rijo seu efeito,
Minha língua, do pescoço,
Agora está em seu peito.

Não tem hora para isso,
Te lambo até molhar-te
Seu corpo meu paraíso
Em seu aço meu estandarte!!!

VIVIANE ABREU.

70 - POSSUÍDA POR TUA LÍNGUA

Abra a porta
Entre calado
Possua-me

Devore-me
Com teus beijos
Acenda meus desejos
Que já se alucinam por ti

Meu corpo serpenteia
Ante a mão que o tateia
Vagueia nas profundezas
Do meu eu ansioso
Pelo toque gostoso

Aproxima tua boca
Do meu broto intumescido
Minha garganta solta um gemido
A tua língua afoita
(no momento minha fonte de prazer)
passeia solta
dando voltas e revoltas
num labirinto de deleites

cumprida a missão do gozo
segue ela ao repouso
na mansidão do meu corpo
que ainda espera por ti

O corpo cavernoso do teu cetro
acolchoa-se de sangue
elevando-se aos céus
em resposta aos meus carinhos

penetra a lapa umedecida
a tua espera
num vai e vem de paixão
sinto-me possuí­da.

Denise Severgnini

71 - A PALAVRA

Quero falar a língua lendária,
a que não tem raiz,
a que é sumo e diamante.
Que a meio-tom traz o infinito
e o perfume dos instantes.
Que não usa o silêncio nem o grito
porque é mistério flagrante.

Como o mar vai a palavra.
Ao sabor do vento
roça corpos livres.
Ora como pensamentos,
ora como música
e delírios.

Arranhem suas entranhas,
sacrifiquem suas veredas,
consumam-na em círios.

Que ela será sempre fim
e ... sempre princípio.

(Lúcia Constantino)

72 - A LÍNGUA
 
A língua é assim
Eleva e abate
Excelente para mim
Mas é pior que alicate.
 
Serve para me lamber
E também para me espantar
É sua razão de ser
Existe para se usar.
 
A língua pode ser longa
Também pode ser curta
Molhada parece uma onda
Do oceano que me lambuza.
 
Antonio Cícero da Silva
 
 
73 - A TUA LÍNGUA
 
Ela me fascina
Com excelente língua
E nem imagina
Que me esquentou ainda.
 
Com a língua me esquenta
Com frases super lindas
E nunca se lamenta
Para mim és bem vinda.
 
Tua língua é molhada
É clemente
E muito esquentada
É um membro coerente.
 
Antonio Cícero da Silva
       
http://www.paralerepensar.com.br/antoniocs.htm

74 - Língua...Ao seu público fiel
(Acróstico)
 
L inda criatura na imagem da cultura
I nstigando sua pintura ao clássico da leitura
N as frases que são belas da passarela á aquarela
G arbosa tão formosa dos seus lábios sai a prosa
U m dicionário bem rimado aos olhos de seus amados
A o seu público que é fiel...Glória a Deus lá no céu!
 
Giovania Rocha_27/01/06  24:23

75 - TORRE DE BABEL

 
Mastro erguido rumo ao céu
Profusões de idiomas ao léu

Não quero ser tua Babel
A lí­ngua que eu falo
é a tua em meus
Côncavos e convexos
A interagir em meus reflexos
Vencer meus complexos
Conduzindo-me ao paraíso

Falamos dialetos diferentes
De um mesmo idioma
Mas em nosso leva e toma
Vivemos orgias de Roma
E finalizamos em estado de coma


Não quero ser tua Babel
Prefiro ser Rapunzel
E atirar minhas tranças
Para tu nelas te ates
E em disparates deciframos
Os hieróglifos de nosso prazer

Denise Severgnini

76 - Pegue uma língua bovina,
Iguaria divina,
Limpa como um filé,
Duvido que alguém não quer...
Deixe ela inteira,
Com temperos de primeira.
Faça um furo no comprimento
E recheie a contento.

Numa panela espaçosa,
Para ficar mais gostosa,
Doure-a de todos os lados
Para ficar mais dourado.

Pingue água bem quente,
Mas não em cima dela.
Só no fundo da panela.
Senão endurece ela.

Cozinhe lentamente,
Assim como quem planta semente,
Esperando o fruto bom.
O fogo vai dar o tom.

Quando furar com o garfo
E ele entrar macio,
Está na hora do molho
Que fica em ponto de fio.

Misture um copo de vinho,
Encorporado e tinto,
Com um pouco de amido,
Mas tem que ser vinho distinto...

No caldo da cozedura
De onde antes era fritura,
Tire toda a gordura,
E no canto despeje o vinho.

Meça a espessura do caldo
Nem ralo, nem grosso,
Prove também o tempero,
Para não ficar insosso.

Misture a língua no suco,
Remexa na panela,
Corte-a em fatias,
Cobrindo com o caldo dela.

Sirva com arroz branco,
E purê de batatas.
Um sabor que mata.
Língua aqui no Recanto!!!


VIVIANE ABREU

77 - O beijo

O turbilhão de tua língua
Toma meu sexo intenso
E meus olhos se fecham
É dia na noite escura
E meu corpo queima como fogo
Gemidos abafados
Gozo
Harmonia.


Larissa Marques
78 - Língua de trapo

Seu farrapo
Espere só
Que já solto
Meu verbo
Minha língua
No chicote
De estalo
Vai de reto
Incorreto
Vem e vira
Traque solto
Toque e gira
No compasso
Não domino
Língua de caco
Só maltrato
Toda rima.

Larissa Marques

79 - Os Prazeres da Língua...


Cá estou mais uma vez viajando...
Nos doces delírios dos encantos teus..
Da sua língua,o meu corpo banhando...
Roubando o gemido que de vergonha se escondeu...

Nossos corpos unidos em uma só canção...
Seduzidos pela bela arte de amar...
Línguas se entrelaçando num beijo profundo...
Molhados...Desejosos...Cheios de tezão!!!

Não fique inquieta nessa prisão...
Deixe o amor fluir e te levar...
Liberte logo o seu coração...
E com seu jeito maroto vem me amar!!!

Beijos de língua... ousado e profano...
Que rouba a cena nas telas da vida...
Faça de mim um amante insano...
Daquele que te rasga as roupas!!!

Esse desejo que me consome a alma...
Do beijo linguado molhado de amor...
Sentido o nectar do seu corpo suado...
No banho de língua profundo e sem pudor...

Venha cobrir as minhas intimas orgias....
No desejoso banho de amor e sedução...
Doce língua que me banha as fantasias...
Com loucura...Desejo e Paixão!!!
 
Ricardo Salem
Publicado no Recanto das Letras em 27/01/2006

80 - Banho de Língua...


Queria poder novamente sentir...
Tua língua em meu corpo a percorrer...
Esquecer que no Mundo possa existir...
Loucuras de Amor que me façam viver...
As mais loucas histórias de amor...

Olhos que me atraem com um brilho malicioso...
Boca que me seduz com desejo e paixão...
Corpo que me excita de um jeito gostoso...
De amar-te na cama, no sofá e no chão...

Sentar-te no meu colo e deixar fluir...
Toda essa erupção de desejos...
A tua língua aveludada a me invadir...
Entregue na insanidade dos teus beijos....
E num gozo duplo, nossos corpos explodir!!!

Que loucura é essa que me enfeitiça???
No teu corpo a chave da minha perdição...
Tua língua no canto da boca que me atiça....
Convidando-me a momentos de pura paixão!!!

Queria poder novamente sentir...
Todo o prazer que tu puderes me dar...
Fazer tudo aquilo que nos dê prazer....
Sentindo tua doce língua em meu corpo passear...
Doce mulher do meu belo sonhar...

Quero morrer de tanto te amar...
Na volúpia do teu corpo macio...
Língua que não cansa de me banhar...
Mulher fogosa.... Amante no cio...


 
Ricardo Salem
Publicado no Recanto das Letras em 27/01/2006

81 - Pecados da língua

Para falar da palavra
Peço licença ao verbo
E, como se pisasse em nuvens,
Me aproximo do modo mais certo,
Pisando em ovos
Muitas vezes, até erro,
Cometo atrocidades...
Depois me penitencio
De todas as barbaridades.
Verbos são palavras
Cheias de vontade
Expressam sentimentos,
Literalidades,
São formas de amar
De dizer verdades.
Diante da palavra, sou nada
Abuso até da censura
Descortino a janela da alma
Acolho-a com ternura.

             
Camila
Publicado no Recanto das Letras em 27/01/2006

82 - TUA LÍNGUA!

Vi-me sorvido pela doce indecência e o atrevimento de tua língua. Você sugou todo o mel que ainda restava em mim. Consumiu minha aura, coibiu o pudor de meus desejos e aclarou meu sentimento de ternura. Tua língua, objeto de desejo que sempre abraça meu beijo.


Paulo Izael


83 - LÍNGUA

Banho de língua

na fêmea felina...

Língua de fogo

que emana

de tórrida paixão...

O que a língua

bem preparada

não faz?

O dúbio sentido da língua

agrada qualquer intenção.

Mario Rezende

       

84 - Minuano


É minha a boca que cala o amor, o ódio e a dor;

mata-me o espelho uns olhares: são os meus, meu Deus!

De onde herdei o dom do silêncio e do penhor

se a indigna moeda olha os meus olhos vendo um réu?

 

Os cílios em flor desabrocham em orvalho

noturno: são as lágrimas legadas ao breu;

enquanto a alma beija o cisne em canto, eu calo

a língua, e apago a labareda do apogeu.

 

Sou a voz da cachoeira afogando um adeus,

a fala excluída e os ecos de mares distantes,

esmaecendo o coral... tão ébrio como dantes.

 

Soa uma luz afora e creio que nela vou eu,

vôo na cor da aurora azul, vejo o mirante,

a alba em anil... poeira ao minuano, eu somente.

 
Sandra Ravanini
 
85 - E façam-se as palavras!

Autoria de ADI = alémdaimaginação = josé de avelar
 
No tempo que as linguagens
inda não eram oralizadas
palavras não existiam.
Na evolução dos homens
em sua socialização
foram surgindo as palavras
e daí a comunicação

Foi logo nesses primórdios
muito antes da escrita
que umas meninas vogais
s´apaixonaram por consoantes
que por serem masculinas
se achavam mesmo os tais

O computador Divino
bem antes de Bill Guttenberg
que das costelas de consoantes
criara as vogais meninas
por sua criação - divinas

E constou da configuração
e desse Divino programa
a imortal atração
que faz com que consoantes
e vogais sejam amantes

Vejam mesmo nestas linhas
que feitas só de palavras
como caminham juntinhas
de mão dadas em namoro
as vogais e os consoantes
que se amam e não se largam
seja por meros instantes

E dessa união letral,
de consoante e vogal
o mundo foi-se construindo
e de palavras surgindo

Veio então a poesia
fazendo da noite dia,
tornando o belo mais belo,
e sem receio o feio
com os sonhos todos às mãos
e da poesia o poeta
com a palavra completa

Assim é que a palavra
que como se vê tem lavra
que é cavada com pá
sempre em pé e sem assento
torna completa a linguagem
seja muda, oral ou escrita,
seja falada ou não dita

E, sem as palavras que temos
alguém que pensa diria
que não haveriam poetas
e sem estes... a poesia!

Foi uma palavra quem disse
que sem as palavras seria
a mesmice da mesmice!

gaDs = graças a Deus sempre !!!

86 - LÍNGUA


Linguagem falada na língua escrita,
pode ser provada ao longo da vida!

Línguas frescas, maduras e teimosas,
são arroubos de verbos nos versos deixados..

Línguas nacionais, grupais, talentosas,
misturam as cores das etnias mescladas!

Línguas falantes, imitantes, abrasadas,
Cortam os ares por eles levadas...

Língua que um dia na pré-história
foi feita de sons ainda sibilados..

Língua de gestos, na mímica, mostrados
Símbolos visuais, entre si, combinados

Lingua, enfim, que nos serve para
falar, cantar, comer, mastigar  e
                               Comunicar!
 
Victoria Magna
Publicado no Recanto das Letras em 28/01/2006

87 - Língua escondidinha presa na boca
 Grande língua doce ou de sogra
 Infantil ou amarga
 Língua dos prazeres
 Não me contes onde andas
 Língua dos amantes
 Feita em fortes segredos
 Língua das bactérias
 Não se aproxime assim
 Língua
 Guarde o gosto da namorada
 Não seja ferina
 Só desejo

Rogério

88 - LÍNGUA PORTUGUESA!



Língua pátria, língua mãe

É o nosso português .

Outras línguas há também.

Conheço duas ou três!



Entendo a inglesa .

"Arranho" o espanhol .

Falo pouco a francesa .

Não entendo a do Tirol!



Mas tanto palavreado

Tanto idioma se fala

E, assim, às duas por três .



Gosto de ouvir um bom fado .

Um samba, também regala .

Amo o som do Português!


Maria Zélia Gomes

 
89 - Língua...
Olha a língua poderosa
Que ataca sem nem pestanejar
Olha o veneno que ela larga
felina e indecente a provocar

Angela Lara

90 - Língua...
 

A língua despe ousadas as vontades
Percorre quente sob o corpo...
Desnuda ante a boca carnuda...
O prazer persegue caminhos
Quer saciar-se a sede ressequida
Do amor que molha
Fazendo minar as paredes da gruta dos desejos...

A sede
Traz pronuncias libidinosas
Ao corpo da mulher fogosa
Contorcida sensualmente
Em frêmitos... Arrepios...
Lambidas seguidas de anseios...
Mordidas sem maldades,
Mas que invadem todas as vontades...

Perseguem ritmos
Sons profanos...
Desliza sorrateira...
Brinca... Ora suave ora afoita...
Aventureira...

No lábio entreaberto
Ela convida a beber o cálice
No corpo que ela ama
Devassa em carícias
Afaga de carinhos
Contorna a boca
Introduz ao encontro que entrelaça
Entregam-se... Línguas...
Sucumbem à paixão ao leito de puro desejo
Em êxtase, a língua é puro beijo!

Ela tem sentidos
Delicia-se ao sabor do prazer
O gosto provoca picantes súplicas
Escrava do corpo ela grita
Todos os vícios do mal ao bem querer...

Língua que tem sede e fome
Dona das palavras vindas do coração
Sae da boca para no corpo provocar amor
E nos expor ao calor de toda emoção
Em gozo e exaustão de voraz paixão!

Regilene Rodrigues Neves

91 - Língua prá que lhe quero......

Língua, que você esteja pronta para levar boas novas a quem precisar...
Que você embarque no leito do amor como seda nos lábios do meu amado...
Que você seja sempre tão macia, lubrificada que satisfaça a contento as ânsias de quem comigo dia a dia troca prazer e juras eternas de amor...
Desejos língua você transmite a meu amado com sua lubrificação em meus lábios...
Não deixe de ser sadia...para agradar meu corpo que de você necessita para sentir sabores especiais, nutrientes saudáveis próprios para meu bem estar...
Nunca deixe de ajudar a minha corda vocal a gritar ao mundo que eu amo e sou correspondida...
Língua, órgão que me ajuda a orar e a encontrar novos caminhos em preces ocultas...me ajuda a falar meus pensamentos em voz alta ou não!
Língua, que me ajuda também a agradecer a Arlete(Fada das Letras) minha nova amiga de além-mar e a Deth Haak-Haak a oportunidade de participar desse grupo de Ciranda com grandes talentos e cheios de dom vindos dos Céus!
Enfim, prá que eu lhe quero língua? Lhe quero para pedir a Deus em prol da saúde da Arlete que em dado momento irá se submeter a uma cirurgia cheia de vitória em o nome de Jesus com pronto restabelecimento! Com certeza Deus estará a seu lado para que você continue brilhando entre nós cada vez mais! Que seus textos valiosos continuem a nos presentear a visão e a emoção! Muito obrigada meninas pelo empurrão, valeu!
Como eu disse: "Me atrevi, me aventurei, me encorajei e me lancei a Ciranda das Línguas"! Se fiz certo ou não, não sei! Só sei que fiz, certo? Espero que gostem, tá?
Da parceirinha PretaCosta.


Pretacosta
Publicado no Recanto das Letras em 28/01/2006

92 - Língua – Ciranda

 

Língua mestra

Língua malvada

Língua madura

Língua mentirosa

 

Língua mansa

Língua mortal

Língua moralizante

Língua maldosa

 

Língua mimante

Língua morosa

Língua morfética

Língua minante

 

Língua melindrosa

Língua musical

Língua meliante

Língua mutante

 

Língua milagrosa

Língua malfadada

Língua mágica

Língua minguante.


Marie Jeanne Sermoud

93 - Na ponta da língua

                                 por Hannah Abraão

Sede do teu cheiro
que me molha.
Sede com
sabor de saudade...

Lembranças de tua língua
a saciar teu desejo
em minhas entranhas úmidas.

Língua a provocar
minha libido
e despertar meu prazer...

Devora-me
com tua língua!
Língua,
devora-me!
 
Há também lábios...

Os teus lábios
acompanham
essa língua

tão ligeira
        faceira
            libertina!

Lábios prontos,
ávidos
por me sugar.

Há outras sedes...

Sei também da tua sede
por te molhares
com meu cheiro...

Sei do caso da minha pele
com teus sentidos...

Então,
será minha língua
em tuas entranhas,
invertendo os papéis na cama.
E na ponta da língua
faz-se o meu gozo.


94 - COM UM BEIJO


Língua à língua
amor nenhum
morre à míngua.

Paulo Marcos

95 - CONSTRUÇÃO DO EROTISMO

Língua exótica
É aquela que não fere
Não machuca
Não perde tempo com a sra. maledicência
Desperta... beijos certos

Língua exótica
(Re)conhece a essência das flores
Aceita sol e a chuva
Não se perturba com os ruídos das ondas
Quebrando na praia...

Língua exótica
Não ignora, adverte com firmeza e serenidade
Dona de um linguajar suave é Universal
Não fala apenas sobre o amor
Estimula o que há de Maior na Alma das Pessoas

Toda língua é cor-de-rosa

Rosangela_Aliberti
São Paulo, 31.I.06

96 - O Sabor da Tua Língua

 
O sabor da tua língua

A minha língua sabe

Língua doce

Língua ardente

Língua viva

Língua quente

Língua sabor canela

Língua efervescente

Quando a minha língua

A tua língua sente

Cátia Schneider

97 - Título: Nóis Poeta

Autor: Antônio Carlos Affonso dos Santos-ACAS

Lá no sertão, os poeta
Nace sempre, todo dia
Eu mêmo sô um poeta
E têm ôtros, na famía
Vô até contá um fato
que assucedeu ôtro dia

Minha mãe pariu u´a irmã
E foi dentro de u´a bacia
Que tava cheia de água
Que por sinár tava fria

Chegô meu pai perguntano
-Muié, cadê nossa fía?
-Tá sentadinha num banco,
Recitano u´a poesia!


98 - LINGUAGEM ORAL E LINGUAGEM ESCRITA

Na linguagem oral sempre há uma tendência não formal no discurso. O orador tende a ser espontâneo. A agilidade do pensamento faz com que não haja uma preocupação formal e estética. Na linguagem escrita, o texto priva por uma elaboração mais adequada. Há sempre uma preocupação formal com o conteúdo, principalmente pelo tempo disponível para elaborar e rever o texto.

Em virtude das rupturas que apresenta, a linguagam oral não privilegia o conteúdo. A possibilidade de desvios de raciocínio são mais passíveis. Na linguagem escrita, além da preocupação sintática, o autor procura corrigir os erros que, certamente, não seriam possíveis durante a linguagem oral.

Pela rapidez do raciocínio e não preocupação formal da linguagem oral, há muita repetição de palavras durante o discurso. Já, na linguagem escrita, há uma tendência de ampliação do vocabulário, utilização de palavras e frases mais elaboradas, com o objetivo de enriquecer formalmente o texto.

As rupturas são frequentes nos textos orais, visto que o orador não se prende a uma linha de pensamento. Isso se opõe à linearidade da linguagem escrita, em que o emissor tem que levar ao receptor uma sequência de pensamento que seja coerente.

A gramática é importante mas não primordial na linguagem oral, o que leva o orador a cometer erros. A rapidez do pensamento na elaboração do discurso contribui para esses desvios gramaticais. Na linguagem escrita, é imprescindível que haja uma colocação gramatical abolutamente correta.

Para que uma linguagem oral seja completa, é necessário que haja um contato direto entre as partes, alguém que fale e alguém que escute. Na linguagem escrita, pelo contrário, as partes estão distantes fisicamente. Em muitos textos, não há registro de sutores, o que evidencia esse distanciamento com o leitor.

Por fim, a linguagem oral tende a ser passageira, sem deixar registros, ao contrário da escrita, que é durável e pode ser lida e relida incessantemente.



José Donizetti Morbidelli ( Jornalista)

Publicado no Recanto das Letras em 31/01/2006

99 - Antes...

Antes que calem a minha boca
Amarrem minhas mãos
Apaguem o que a alma grita
Escreverei poemas em todas as línguas

29/01/06  Maria Thereza Neves


100 - LAVRATURA

Miscigenados na progênie, sacarose e fogo
Augusto sabor dos Anjos... Mel, dulcificando palato,
Na LÍNGUA saudade, moída nos canaviais. Traduções de sonhos Álvaros, vocábulos Dias, namoram crepúsculos...

Lavratura...É o trovador minutando lira, acariciando mundo, Guimarães Rosa. Sonetos adoçando mar, tecendo roucos poemas á Fernando Sabino versejando a fala.Tu és o Homem, Olavo Bilaque! O ser fecundo em face maiúscula, Euclides da Cunha, declama voz mansa o músculo...

Lavratura... Beirada homilia intensa que sai da boca,
Como vento UIVANTE iracundo, circunspeta alfarrábio
Folhetim, como no tango de Gardel tão antigo...
Nos chorosos fados de Camões, nas lamurias de Cecília...

Lavratura...A nau que não calou Castro Alves, vento que não cala minha fala, solfejastes os campos do Chile, lavrando trigais de Neruda, peregrinando Lorca nas padieiras de Granada a trucidar o Purgatório de Dante, na Fidelidade de Vinícius...

Lavratura...Criadora de nossa LÍNGUA falada, á Florbela Espanca, Clarice Lispector. Senhora de neologismo e semântica própria construtora da gramática intensa de sensações viradas no canto. Nos papiros de Rosa Pena, dissertas transbordando em versos, o Goiás de Cora...

Lavratura...Que na LÍNGUA portuguesa encantem meus versos, que Fernando Pessoa afie o Machado, em Assis as preces á Alta de Sousa. Fluidificando as águas do Mondego, diáfanas poesias versejadas.

Lavratura... Donzela coroada aos olhos de Coimbra! Que seu escudo na minha lira ruja como leão de Ataces, defenda-me o dragão de Hermenérico, que em outros idiomas não me calem a LÍNGUA...


Deth Haak
02/09/2005


Esta Ciranda será igualmente publicada no site “O Dono da
Loja” – http://www.ferool.info, depois de completa,
conforme confirmação do seu webmaster e meu querido amigo, Roberto de Oliveira, a quem desde já expresso toda a minha gratidão, carinho e respeito, e que poderão ler a seguir:

"Estes poemas estão maravilhosos e feliz foi escolha deste
conteúdo, pois da língua sai a palavra que ajusta, contamina, cura, arrasa, finda ou anuncia a guerra... E para fortalecer, uma grande lembrança do nosso Mestre que nos ensinou: - Com tuas palavras te condenarás com tuas palavras te exaltarás. Parabéns aos já participantes e bem vindo para quem desejar enriquecer. E será com muito empenho que divulgarei incentivando esta valiosa e esclarecedora Ciranda no Mundo Poeta e no O Dono da Loja. Um carinho todo especial para minha querida Arlete Piedade -Fada das Letras.
Enviado por Roberto Oliveira em 21/01/2006 19:23
para o texto "CIRANDA "LÍNGUA" ....A DETH HAAK -
SUSSURROS DO RECANTO...ERÓTICA..."

AGRADEÇO A TODOS OS PARTICIPANTES, A MINHA QUERIDA MANA DETH HAAK, E EM ESPECIAL A ROBERTO DE OLIVEIRA, (O DONO DA LOJA - http://www.ferool.info)onde já se encontra publicada a ciranda "LÍNGUA" que poderão ver em: www.ferool.info/ciranda.htm
Fada das Letras
Enviado por Fada das Letras em 20/01/2006
Reeditado em 21/03/2006
Código do texto: T101503

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Fada das Letras
Almeirim - Santarém - Portugal, 60 anos
243 textos (32131 leituras)
3 áudios (178 audições)
5 e-livros (288 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 06:37)
Fada das Letras