Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O eterno fim de semana!

Hoje é um belo de um sábado, mais um dia que ainda continuo aqui, suspirado acordado pela moça intocável do ônibus. Sei que algumas coisas têm que passar um certo tempo para que possam se concretizar mas infelizmente, dessa vez, deveria ser um pouco mais rápido, porque até parece que a noite passada foi uma eternidade, eu fiquei a noite toda olhando as estrelas, eu até pude ver cinco estrelas cadentes, foi uma noite incrível mas infelizmente, aquele papel ficou todo amassado porque eu fiquei lendo e lendo ele, durante a noite toda... A moça do ônibus, provavelmente não deve estar tão ansiosa quanto eu mas provavelmente, ela deve estar um pouco curiosa, para saber o que eu irei fazer!
.
.
Não é mais um fim de semana, é uma tortura...
Amanhã é o dia de ir jogar bola na praia mas eu
não sei se estou muito disposto, para sair de casa...
.
Eu só queria poder vê-la, quem sabe sentir o seu perfume, quem sabe ver os seus cabelos flutuando enquanto o vento os toca, quem sabe eu até poderia chamar ela pelo nome dela mas infelizmente, ainda não sei o seu nome. Mas espero que assim como parece ser impossível tocá-la, que na segunda-feira, eu possa conhecê-la e quem sabe até chamá-la pelo nome.
.
Eu não tenho o que fazer, não consigo me focar em nada, não consigo escrever, as poesias não saem, as brincadeiras não têm graça, tudo parece ter perdido o gosto, é como se o mundo já não tivesse mais valor, não sei o que é isso, será que é apenas ansiedade ou quem sabe, é o desejo de conhecer o amor...
.
Eu não sei, infelizmente eu não sei mas hoje ainda é sábado, já é nove e meia da manhã, o sol está brilhando, vou até à minha varanda e olho na rua belos casais, andando de mãos dadas, e eu me pergunto se algum dia, também poderei andar de mãos dadas; mas tem que ser com você... Os meus sonhos parecem que estão se tornando realidade, eu estou ansioso e um pouco nervoso e desesperado também, mas eu gostaria muito de saber o que vai acontecer no próximo dia de aula mas infelizmente, terei que esperar o tempo passar, possa ser que ele seja bondoso comigo e passe depressa mas eu não acho que ele vai ser tão bom comigo assim, por isso eu não tenho mais tanta esperança no tempo, até mesmo porque da última vez, ele não me ajudou em nada... Os dias parecem ser eternos, as tardes parecem que nunca vão acabar, o fim de tarde se torna uma ironia e a noite, parece que nunca mais vai chegar... Não sei o que escrever, não sei nem o que falar mas por favor, segunda-feira, chegue logo pois eu quero, eu desejo, eu necessito muito; lhe usar!
.
.
Nesse belo sábado, quando as estrelas começam à brilhar no céu, me sento na minha cama e olhando para o céu, vejo muitas belas estrelas... Não sei o que fazer, não passa nada pela minha cabeça, me sinto um pouco sozinho, então pego o meu telefone e começou à escrever sobre nós dois, aos poucos novos textos começam à nascer e eu os mostro às pessoas, dizem que é poesia, dizem que parece ser poesia... Todos os textos parecem ter a força de tocar no coração das pessoas, parece até que esses textos não foram feitos por mim, não sei como explicar só sei te falar, que esses textos demonstram todos os sonhos da minha alma... Mas a noite ainda é muito longa e mais uma vez, não consigo dormir, passo essa noite toda escrevendo e colocando essas poesias à mostra, algumas pessoas curtem, outras pessoas compartilham mas a maioria sempre pergunta à mesma coisa; quem é essa moça? Pois todos os meus poemas são dedicados à você, a bela e perfeita; a moça sem nome!
.
Não sabendo o que responder, me canso de tanto escrever... Então olho para o céu e pela janela do meu quarto, não vejo mais a penumbra... O sol está começando à nascer, felizmente o meu corpo já não aguenta mais ficar de pé e então eu tento me deitar mas os meus olhos não se fecham, eles precisam te ver para que possam descansar... Parece um absurdo mas já se passaram duas noites e eu ainda não conseguir dormir. Infelizmente o meu corpo já está cansado, a minha mente já pede socorro, eu fico bocejando até as 9 horas da manhã mas felizmente o meu corpo já não pede mais à cama e das 5 até as 9 da manhã, fico na cama tentando dormir mas infelizmente eu não consigo. Canso de tanto tentar e me levanto, vou na casa dos meus amigos e lá ficamos à conversar... O tempo vai passando, aos poucos vou me distraindo, e o tempo vai passando e passando e quando eu olho para o relógio, já está na hora de ir para à praia; jogar bola... Mas eu sou muito ruim e nem adianta tentar narrar o que aconteceu mas eu fui, e voltei um pouco tarde mas quando cheguei em casa, me pediram mais poesias e eu achei um pouco engraçado, pois eu nunca me considerei um escritor nato mas ainda assim, escrevi mais algumas coisas, pensando naquela moça, após muitas horas, quando já eram 10 horas da noite, felizmente, os meus olhos, enfim; se fecharam!
.
A narrativa do fim de semana!
.
.
Na minha bela sexta-feira, não conseguir dormir nada, fiquei a noite toda olhando as estrelas, pela janela do meu quarto e escrevendo poesias, pude ver cinco belas estrelas cadentes, sim, eu passei a noite inteira da minha sexta-feira escrevendo, escrevi até que o outro dia nasceu, então foi chegando o sol do sábado e nesse belo sábado, o tempo passava depressa, e quando finalmente eu olhei para o céu, pude ver as estrelas começando à brilhar... Nesse lindo céu, que admiro do meu quarto, deitado na minha cama, vejo muitas estrelas belas, não sei o que fazer, não passa nada pela minha cabeça e eu me sinto sozinho, então pego o meu telefone e começo à escrever sobre nós dois... E assim vai passando o meu dia. E então no domingo eu pude ver que já não aguentava mais ficar acordado, então me deitei na cama e tentei dormir mas fiquei das cinco ate as nove horas da manhã tentando, eu fiquei até as nove horas da manhã na cama bocejando, mas infelizmente eu não conseguir mais dormir, então eu desistir, me levantei da cama e fui até a casa de um amigo, lá nós ficamos conversando até tarde, a hora foi passando e passando e finalmente chegou a hora de ir para à praia, quando voltei da praia, cheguei em casa e tomei um banho, peguei o meu telefone e haviam mensagens dos meus amigos, eles me pediam para lhes mandar mais poesias e eu achei isso um pouco estranho, engraçado, não sei... Pois eu nunca achei que seria um poeta mas após muitas horas escrevendo, quando já eram 10 horas da noite, felizmente, os meus olhos, enfim; se fecharam...
.
E então, eu pude dormir...
Agora, só poderei acordar na segunda-feira!
No belo, no paraíso, no perfeito dia do cursinho de inglês!
.
.
.
Fui dormir no domingo as 10 horas da noite, pensando em uma moça intocável, em uma moça que não sei o nome dela, em uma moça que parece só existir nos meus sonhos mas o que vem nessa bela segunda-feira, apenas a próxima parte poderá nos dizer mas espero ansiosamente, que nessa bela segunda-feira, eu possa sorrir ainda mais que na sexta...
.
.
Então, vamos a próxima parte...
Título: O nome da moça intocável do ônibus!
Jean Frases
Enviado por Jean Frases em 05/07/2017
Reeditado em 03/08/2017
Código do texto: T6046186
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Jean.Frases). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jean Frases
Jaboatão dos Guararapes - Pernambuco - Brasil
533 textos (6370 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 11:52)
Jean Frases