Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dentes de Fogo

Ah, que tédio, que desgosto, meu livro chamuscando na fogueira, ardendo a noite inteira. Essa incandescência queimando meninos, crianças de treze anos que matam, enlouquecidas. Que sono.

“Não. Eu não queria matar. Foi um estalo que me deu. E esse tédio, essa fome”.

“Que tédio que nada, que fome que nada. Você matou, pivete. Estalo porra nenhuma. Porra, filho da puta.”

Os caninos da fogueira mastigaram um menino de treze anos de idade. Assim, mastigaram meus olhos. Fecho o jornal e durmo. Eu nada sei dos homens. Eu nada sei de Deus.
dôra
Enviado por dôra em 12/11/2005
Código do texto: T70515
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
dôra
Joăo Pessoa - Paraíba - Brasil, 71 anos
8 textos (915 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualizaçăo em 04/12/16 08:28)
dôra