Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Basta apanhar um ônibus...

- Pois é amigo Brivaldo. A gente pode voltar no tempo sim!
- Hei Valter! Lá vem você com seus assuntos de ficção científica!
- Não, não! Não é ficção não! Veja: eu participava daquela rotina! Era parte dela. Vivia na minha cidadezinha do interior, que você conhece, conversando com o pessoal da minha idade, entre 14 e 17 anos. Olhando as meninas passarem na esquina. Passava duas horas para comprar o pão, de tanto que me distraia pelo trajeto com a luz do cair da tarde como pano de fundo. Fazia isso diariamente e me sentia feliz naquele tipo de vida sem perspectivas. Estava no meu habitat. Aí, a gente se muda para a capital, mora em  república  ou na casa dos tios e vê que vida é muito mais. Hoje, estou aqui formado conversando com você e com mil preocupações com cursos de pós-graduação, sistema de informática, reunião daqui a dois dias com a diretoria da empresa e, no último final de semana, estive na minha cidade da qual lhe falo. Parei na rua, olhei o por do sol com o saco de pães comprados na mesma padaria e, adivinhe: Aqueles meus amigos da adolescência estavam todos lá, na esquina olhando as garotas passarem do mesmo jeito de antes. Achei incrível como eles continuam com esse hábito. Senti-me de volta, apesar de todos estarem com 30, 35 anos!
Nesse momento a gente descobre que pode voltar no tempo sim! Sentindo-se parte daquelas emoções e participando da conversa deles, porém, dá certa nostalgia. Passa uma solidão sabermos que quem saiu da cidade assim como eu pode voltar e alcançá-los nessa espécie de passado, mas eles jamais poderão acompanhar a minha realidade. Eu nunca os teria comigo nos novos rumos que dei à minha vida. E isso faz de mim um privilegiado por poder viver em dois mundos. Basta apanhar um ônibus...
Edbar
Enviado por Edbar em 05/12/2007
Reeditado em 05/12/2007
Código do texto: T766166
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edbar www.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Edbar
Recife - Pernambuco - Brasil, 66 anos
2957 textos (85586 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 18:21)
Edbar