Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amores Brutos #4

Pela manhã a TV ainda estava ligada no canal pornô, muda e ainda assim vibrante. Pelo menos 5 preservativos usados aguardavam em sua viscosidade nojenta espalhados pelo chão, e faziam o quarto inteiro cheirar a sexo, acompanhadas garrafinhas de vodka e bourbon. A cama parecia um turbilhão de pano e pedaços de travesseiro, de colchão rasgado e tudo mais. A água da banheira estava fria e eu percebi que estava todo enrugado.

Ela estava ali, encostada em mim, mais bonita do que nunca, e também mais enrugada do que quando fosse ter 90 anos. Eu passei a mão delicadamente em seu cabelo molhado, e beijei sua testa. Ela abriu os olhos para e mim e disse “Te amo”.

Eu sabia que era mentira, claro que era mentira. Me amar fazia parte de um jogo perigoso, de uma disputa de egos, de traições e de todas as outras coisas que faziam de mim aquilo que eu era. Mas eu acreditei mesmo assim.

Acredito até hoje, e ainda não houve alguém para desmentir.
Rafael Santos
Enviado por Rafael Santos em 28/11/2005
Código do texto: T77391
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rafael Santos
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 34 anos
6 textos (175 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 02:58)
Rafael Santos