Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Contos saramacoutos

 

Já não descreves, Estou duende, Estou duende do meu lado indireito, Dizem que as cornucópias melhoram as obras com as noitebruras, Ficam melhores que nós, Isso nem me amorna nem me convalesce, Vou ficar para semente na terra abatida, Que pitimagens, Ao menos terei dois registos, No cartório e na sepultura, Ambos por condenada à vida, Quem te apreçará os filosofemas é que eu não sei, Isso não me entranha, É auto-vidente, Euro corrente nos sonhos anoitecidos, O melhor é deixares que os teus corpos se estendam e se entendam, Teriam que ser amados antes de ser amáveis, Essa é uma reflexão em sapato de vidro, a tua questão fada-seca, Não, É a minha metafísica ...

 

Cristina Pires
Enviado por Cristina Pires em 17/03/2006
Reeditado em 26/03/2011
Código do texto: T124481

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cristina Pires
França, 51 anos
87 textos (6699 leituras)
1 áudios (37 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:27)
Cristina Pires