Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A PRINCESA E O CEGO

Existia há muito tempo atrás uma civilização africana muito rica e bonita, governada pelo Rei Zabur. Ele era um rei muito bom, entendia seu povo e viviam em prosperidade, entretanto, ele era muito triste porque queria casar sua filha Zahara para que pudesse constituir família e dá continuidade ao seu trabalho imperial, porém, ninguém nunca havia visto sua filha, todos apenas diziam que era muito feia e nunca quis se mostrar a ninguém, por isso o rei nunca conseguiu que nenhum homem a conquistasse.
Certo dia, o rei muito angustiado diante de toda essa situação chegou para sua filha e disse-lhe que havia encontrado um pretendente ideal para ela, ele é bonito, forte, valente e perfeito para ela, pois nada enxergava.
A princesa que se sentia muito feia, mas que queria muito satisfazer o desejo de seu bom pai aceitou o cortejo do rapaz dizendo que queria conhecer-lhe.
O Rei então proclamou para todo o reino que daria uma grande festa de noivado para sua filha e que queria a presença de todos no seu reino.
Na noite da grande festa a todo instante chegavam pessoas e seus imensos animais, uma área muito bonita e verde repleta de pessoas preenchiam o horizonte, foi quando foi tocado os tambores e o Rei do alto do palácio surgiu com sua filha como sempre toda coberta por roupas e mascara.
O rei em tom alto pediu para que todos abrissem caminho e ao longe montado em um elefante vinha aquele homem a quem entregaria sua filha.
Ao vim aproximando-se todos olhavam atendo, e a Zahara encantava-se que aquele homem lindo, forte, de pele escura e limpa, olhos vedados por um lenço preto, mas possuía um rosto muito bonito... ao chegar o rei apresentou Malcol a todos e proclamou o casamento em 60 dias, pediu que a festa começasse e podiam servir bebidas e comidas a todos.
A festa começou e apesar de toda multidão somente Malcol e Zahara estavam presente naquele momento, foi então que Zahara perguntou-lhe porque o tal homem tão bonito queria casar-se com uma jovem tão feia como ela, ele humildemente respondeu, como uma princesa queria casar-se com um homem cego como ele? Riram então de seus medos, a conversa então tomou conta dos dois, começaram a se conhecer e ao final da festa, quase todos tinham partido, estando apenas os dois Malcol confessou que a adorava mesmo sem conhecê-la pela sua bondade em meio ao povo, e conhecendo de perto a adorou mais ainda, ela por fim o ajudou a chegar no elefante, porém, percebeu que apesar de tudo era muito independente, disse-lhe que de todos que seu pai já lhe apresentou ele foi o único que gostou de verdade.
Durante as semanas os dois se encontraram muitas vezes e Zahara pela primeira vez se sentiu feliz e completa, tinha encontrado alguém que conseguia ver-lhe por dentro, como realmente era.
Chegou o grande dia, o casamento foi uma linda festa e uma linda cerimônia de amor verdadeiro.
A pedido do Rei foram a uma viajem de lua de mel para a Europa, lá chegando, Zahara se entregou a Malcol. Eles se amaram e se completaram. Entretanto, Malcol pediu a Zahara que fossem conhecer a cidade sem tantos panos cobrindo-a, deixasse que todos vissem seu rosto, seus cabelos e sua beleza e ele tiraria sua faixa do rosto também e abriria os olhos.
Foram então, e chegando num lindo parque verde, uma menina chegou perto de Zahara e ofereceu-lhe uma rosa dizendo que ela era muito bonita, Zahara começou então a perceber que ela era igual aquele povo; Malcol por fim confessou-lhe que ela nunca foi feia, ela apenas é diferente, sua mãe era branca e pertencia à outra civilização e ela nasceu igual à mãe, branca de olhos azuis, cabelos claro feito o sol, diferente de seu povo negro, os quais ela achava perfeito, porém, tão bonita e perfeita como qualquer ser humano.
Enfim, Malcol nunca foi cego e Zahara nunca foi feia, eles precisavam apenas aprender a ver além das aparências e assim foram felizes para sempre.
Albuq
Enviado por Albuq em 30/03/2006
Código do texto: T131267
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Albuq
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 37 anos
17 textos (2680 leituras)
1 e-livros (7438 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 00:42)
Albuq