Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

...E DEUS VOLTOU ATRÁS

A Arca de Mané II
....E DEUS VOLTOU ATRÁS

Dois meses se passaram desde que Seu Mané havia conversado com Deus e este tinha lhe dado a imcumbência de construir uma arca. Seu Mané conseguira fazer apenas um barquinho a remo, que dava para transportar somente uma pessoa, além do remador. Ele estava muito frustrado com sua obra, Deus nunca mais lhe dirigiu uma palavra e o pior era suportar a gosação de toda cidade, pois a notícia que Seu Mané havia conversado com Deus se espalhou rapidamente, e seu barquinho passou a ser motivo de piadas.
Dois meses e nada ! Nem uma gota de chuva. Como de costume, Seu Mané foi sentar-se sob a mangueira. Bateu seu boné na cadeira para tirar a poeira, sentou-se e ali permaneceu por longo tempo acompanhando a revoada das maritacas. Em um dado momento, ouviu novamente aquela voz:
- Manoel, você está me ouvindo?
- Deus ! O Sr. voltou ? Cadê o dilúvio ?
- Manoel, houve um mal entendido. Como meu Primeiro Ministro estava muito ocupado....
- Quem é seu Primeiro Ministro ? - interrompeu Seu Mané.
- Ora, quem poderia ser ? Meu Filho, é claro !
- Deus ! Até o Sr. ? Isso é nepotismo ! Agora quem terá a coragem de criticar o Poder Judiciário e o Severino Cavalcante ?
- Primeiro Ministro é cargo de confiança, não poderia escolher outra pessoa, mas deixe-me contar o que aconteceu: Com meu Filho ocupado, transmiti a ordem para o Pedro, Ministro das Relações Exteriores que, além desse Ministério que cuida dos vistos de entrada e da emissão de passaportes para o inferno, acumula também a Secretaria da Pesca, que tem como principal objetivo criar a Bolsa Minhoca, que fornecerá gratuitamente iscas para os pescadores carentes.Afinal, ele foi um grande pescador !
Acontece que Pedro fala um português meio arcáico, com forte sotaque de Portugal. Como ele retransmitiu minhas ordens verbalmente para seus assessores, em vez de um dilúvio, mandaram o Delúbio ! Isso causou alguns problemas, como os recursos não contabilizados, mas acabou dando em nada. Ainda bem que minha ordem não foi cumprida, pois caso contrário, milhões de brasileiros, decentes como você, seriam sacrificados por causa de uma minoria.
- Mas o Sr. não vai punir esses bandidos corruptos ? Olha, eu tive uma idéia: Para que não haja equívocos novamente, mande dois tsunamis !
- Porque dois ? - perguntou Deus, e Seu Mané explicou:
- Ora Deus, pense um pouco: O primeiro exterminaria todos os brasileiros que aqui estão, certo ?  Quando os brasileiros que estão trabalhando ilegalmente por esse mundo afora e, aqueles que estão visitando a Disney na Flórida souberem o que houve, voltarão imediatamente para ver o que aconteceu e então.....Tá na hora do segundo !
- Não entendo os homens ! No passado, decidi destruir duas cidades e um tal de Abraão fez de tudo para que Eu mudasse de idéia, mas não conseguiu. Mandei uma chuva de fogo e enxofre e as cidades desapareceram do mapa. Agora você quer acabar com uma Nação inteira de qualquer maneira ! Eu pensei muito no assunto e cheguei à conclusão que não vou fazer absolutamente nada. Eu havia esquecido de uma promessa que fiz para Noé, uma pessoa competente, que construiu o primeiro transatlântico do mundo. Prometi à ele que nunca mais iria destruir os seres que criei pelas águas, e o arco-iris passou a ser o sinal desse compromisso.
- Deus, se não vai haver dilúvios e nem tsunamis, o que é que eu vou fazer com meu barquinho ?
- Você aceita sugestão ? Zé Mané !
- Não precisa dizer, Deus. Vou doar o barquinho para o Governador, para que ele possa passear pelo rio Tietê, sentir seu perfume e admirar suas margens. Mas então, fica tudo como está ? O Sr vai permitir que toda essa roubalheira e toda essa incompetência continue ?
- Manoel, estive lendo a Constituição e vi que não posso interferir. Ela é muito clara e concede à todo cidadão brasileiro o direito de lutar por um Brasil melhor, usando como arma apenas o voto. Se o povo usar o bom censo, teremos uma Nação que será motivo de orgulho para todos nós. Somente o brasileiro honrado poderá salvar o Brasil, e Eu ainda tenho fé no povo brasileiro. As eleições estão chegando e o eleitor vai decidir se muda ou continua como está. Terá o que merece ! O regime democrático não é perfeito, mas ainda não inventaram outro melhor. Agora tenho que ir, estou tirando umas férias, pois nem Deus é de ferro. Vou para a Alemanha assistir a Copa, mas antes vou dar uma passadinha na Venezuela. Me contaram que lá tem um "cara" que quer ocupar o meu lugar. Seja feliz, Manoel !
- Espere um pouco, Deus. Quer dizer que o Sr. nunca mais conversará comigo?
- Sempre estarei ao lado dos bons e você, Manoel, é um bom homem. Vamos combinar  seguinte: Sempre que você quiser conversar comigo, venha para a sombra desta mangueira e, quando o bando de maritacas passar, inicie a conversa. Você fala, Eu escuto.

 
 
Mário Mercadante
Enviado por Mário Mercadante em 10/06/2006
Reeditado em 18/06/2006
Código do texto: T173187
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mário Mercadante
Pirapora do Bom Jesus - São Paulo - Brasil, 75 anos
7 textos (643 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 10:19)
Mário Mercadante