Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Lírio que trouxe e levou

Um pessimista e virtuoso vendedor de flores ganhava a vida em um mercado popular. Todos os dias pela manhã, ele via caminhando entre os populares uma bela  moça por quem ficara encantado desde o primeiro dia em que a viu. Dia após dia ele apreciava a moça, apenas a desejava de longe, pois ela nunca percebera a presença de sua venda de flores. Um belo dia por um fato desconhecido, a moça percebeu o balcão coberto por flores e logo se encantou com um Lírio que ornamentava o balcão, em virtude do encanto que a flor exerceu sobre a moça, ela logo se dirigiu em direção a venda e perguntou: “ Quanto custa esse Lírio tão lindo?”, e como se já estivesse na ponta da língua, logo em seguida veio a resposta: “ Não tão lindo que não seja ofuscado por tua beleza, não tão barato que custe apenas uma moeda e não tão valioso que eu não possa dar-lhe de presente”, e o rapaz entregou o Lírio para a moça sem cobrar um único tostão. A moça agradeceu formalmente e seguiu seu caminho e caminhando pensou: “ Nossa, que moço tão gentil”, e o humilde rapaz se fez presente o resto do dia nos pensamentos daquela moça. Enquanto isso o vendedor ficara pensativo e não acreditava que aquela moça que ele desejava tanto dera o ar da sua graça em seu comércio. A partir daquele dia a moça passava todos os dias pelo mercado, parava e comprava a mesma flor, um Lírio. A moça se apaixonou pelo florista, isso era fato, e o moço também já estava completamente envolvido pela moça, só que para ele, era muito difícil de acreditar que tão formosa moça quisesse algo com um simples vendedor de flores. E se passavam os dias, e o ritual era sempre o mesmo, a moça passava, parava, escolhia a flor entregava-lhe algumas moedas e partia, e nunca que o florista tinha coragem de dizer o que realmente tinha coragem, nunca chamará a moça para conversar fora daquele âmbito, nunca declarou seu amor a ela. Os dias foram passando e a moça vendo que o moço nada fazia foi desanimando e pensou: “ O meu sentimento não é correspondido”. Um belo dia o vendedor tomado por uma coragem de origem obscura estava disposto a declarar seu amor para sua amada. Nesse mesmo dia, um homem parou em sua venda e pediu o Lírio mais belo da banca, e disse que era pra sua nova namorada, o florista lhe entregou a flor, o homem lhe pagou e logo em seguida o homem disse: “ Que sorte a minha, lá vem a minha amada, minha nova namorada”, o vendedor tomado pela curiosidade, esticou o pescoço para ver quem era a moça, e se deparou com sua adorada, a moça nem olhou em seus olhos como fazia todos os dias, deu um beijo em seu novo namorado, deu-lhe a mão e os dois partiram. Desolado, o moço encontrou escondido entre as flores um bilhete que dizia “ Meu sentimento por você não era correspondido, então resolvi seguir meu caminho...Ass: A fã dos seus Lírios”.
Antonio Leonardo Santos
Enviado por Antonio Leonardo Santos em 15/06/2006
Código do texto: T175689
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Antonio Leonardo Santos
Nova Iguaçu - Rio de Janeiro - Brasil, 32 anos
12 textos (929 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 20:54)