Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ritual da Fênix

Minha plumagem irradia as cores do fogo. Sou ave divina, de plumagem alvirrubra que irradia meu fogo interno.
Sobrevoou majestosamente sobre a vida. Arranho céus, dou rasantes em mares. Voou sempre para frente, recolhendo informações, observando corações, desmistificando desejos, admirando naturezas. Minhas aparições, de tão aguardadas, são festejadas e nunca esquecidas.
Tenho o porte altivo, por vezes arrogante. Sou única. Rara. Tenho o atributo que todos procuram. Por isso me dou ao luxo de viver o presente de maneira intensa, e me empenho para o futuro não demorar, apesar de saber que meu fim será a fogueira que eu mesma atearei fogo.
Derramo minhas lágrimas, mas elas são insuficientes para turvarem minha visão. Carrego minhas cargas, mas sem deixar que o peso delas dificulte meu voou por este mundo.
Espero o defunto, para o julgamento de sua alma, fazer sua confissão. E depois dele ter cumprido o rito, verifico que esta minha existência secular está por acabar.
Ritual cumprido formo meu ninho com vergônteas perfumadas, incenso, amomo, e nele aguardo a chegada do fim, que vem com o clarão dos primeiros raios solares. Tenho consciência que o fim sempre chega. Espero em meu ninho, calmamente a chegada do Sol, e na sua exposição, já cansada deste viver, entrar em combustão. Viro cinzas e delas, renasço. Outra, ainda mais bela, ainda mais rara, ainda mais mistificada e milagrosa. Minha nova vida será alimentada por pérolas de incensos, esperando pelo próximo defunto e seu rito de cortejo para cumprir meu novo ciclo de vida e morte. Pois sei que renasço. Todos os dias.
Cherry
Enviado por Cherry em 24/05/2005
Código do texto: T19345
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cherry
São Paulo - São Paulo - Brasil, 40 anos
10 textos (1342 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 13:21)