Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O preço do pecado

Carmem, moça bonita e possuidora de uma beleza angelical. Tem uma vida relativamente boa e bem distribuída nos seus afazeres, acorda cedo vai a Universidade onde cursa o segundo ano de psicologia, a tarde faz curso de inglês e adora fazer meditação. Nos finais de semana vai para a fazenda de seus pais onde adora fazer cavalgada, ama seu alazão negro, quando sai velozmente pelas pradarias seus pelos reluzem ao sol e suas crinas esvoaçam ao sabor do vento de tão sedosas e macias.
Marcelo seu primo e colega do curso é também seu grande amor, passam toda a manhã juntos, são as horas que podem falar e olhar-se apaixonadamente, vivem no mesmo condomínio, mas seus pais não podem nem sonhar que vivam este amor, os pais de ambos tem um problema de família mal resolvido e não se falam a muito tempo, nenhum dos dois sabe exatamente a razão.
Carmem e Marcelo muitas vezes fogem de todos para irem ao cinema, após o término do filme correm para o primeiro Motel que encontram para estarem um nos braços do outro e poderem se amar por completo sem precisar se esconder ou ter que roubar um beijo nos corredores da Universidade. Sempre que fazem amor Carmem adormece após o ato consumado e Marcelo a contempla com paixão em seu sono relaxante, para acordá-la sempre recita um pequeno verso:
A lua adormeceu
As estrelas já não brilham
A noite já se foi
Acorda meu amor
Que o sol já se pôs
Ela acorda com a voz do seu amado, em seguida vão tomar uma ducha, seus corpos nus se atraem e clamam por fazer amor, mas vencidos pelo curto espaço de tempo beijam-se, acariciam-se deixando a água morna escorrer por suas peles quentes de paixão. Saem apressados e o carro corre velozmente e Carmem lembra de seu Alazão correndo pelas pradarias.
Os pais de Carmem, Osvaldo e Madalena, nada sabem da vida de sua filha, ela entra saí, faz tudo o que quer e quase nunca os vê. Eles só preocupam-se com suas próprias vidas, esquecendo por completo sua filha que vive ali ao lado deles.
Madalena uma socialite sua única preocupação é aparecer nas colunas sócias das revistas e jornais, quer sempre estar e sentir-se em evidencia.
Osvaldo um empresário bem sucedido tem uma única preocupação, que logo a tarde chegue para encontrar-se com uma de suas aventuras em um de seus diversos apartamentos de encontros, onde passa suas tardes de prazer com uma garota jovem e extremamente sedutora, tão jovem quanto sua filha.
Os pais de Marcelo ao contrário querem sempre saber onde está o que faz, aonde vai, com quem, porque chega tarde, tudo nos mínimos detalhes, que acaba deixando-o enfurecido com tanta preocupação.
Ele não tem coragem de contar para seus pais do seu amor por sua prima, teme a reação deles, pois os pais deles não têm amizade além de serem parentes jamais admitiriam tal enlace.
A mãe dele, Sra. Anita é uma excelente dona de casa, não trabalha por opção apesar de ser formada em psicologia, prefere cuidar de seus dois amores, o marido e seu filho, mas é exagerada em sua forma de amar.
O pai Sr. Carlos é ao contrário de Osvaldo, ama com verdadeira paixão sua bela esposa Anita, e todos os dias contam as horas, os minutos de sair da empresa e ir para casa e poder relaxar ao lado da esposa, eles têm uma vida feliz e cheia de amor.
Carmem e Marcelo combinam de passar um final de semana juntos, o único problema é ele o que dirá em casa para poder ausentar-se por dois dias? Eles pensam... Pensam e resolvem dizer que haverá um congresso do curso e que não poderá faltar, pois isso servirá de muito para seu aprendizado, quanto a ela não tem problema seus pais nem sabem que ela existe naquela casa nunca demonstraram um mínimo de amor por ela.
O final de semana estava chegando e Marcelo encheu-se de coragem e falou com sua mãe
-Mãe esse final de semana vou viajar
-Como assim? Vai aonde?
-Vou a um congresso do curso
-Acho que não deveria ir
-São só dois dias e na segunda-feira estarei de volta
-Não sei, vou falar com teu pai, amanhã lhe dou a resposta.
-Mas, mãe eu preciso ir, até já confirmei
-Amanhã...
Foi um dia longo e uma noite terrível, cheia de ansiedade, em seus pensamentos só tinha sua doce Carmem e na resposta de sua mãe, como precisava que falasse sim, essa foi a mais longa noite de sua vida até esse dia, não dormiu quase nada só esperando o raiar do dia e poder saber a resposta de sua mãe. Escutou barulho provavelmente sua mãe já acordara, levantou-se e dirigiu-se a copa aonde a encontrou pensativa:
-Bom dia!
-Bom dia Marcelo
-Falou com papai sabre a viagem?
-Sim, mas estou muito preocupada
-Posso ir?
-Olha filho estou com um mau pressentimento, um aperto no coração, não vá fique
-São só dois dias, na segunda-feira estou de volta, te amo mãe
Ficou feliz, mas, um pouco preocupado com as palavras de sua mãe que martelavam nos seus pensamentos e por um momento pensou em desistir, mas o celular tocou, era Carmem:
-Amor estava ansiosa demais para esperar, vamos?
-Sim, tudo certo, vamos na sexta-feira
Chegou o dia tão esperado e exatamente as 18.00 h se encontraram em frente à Universidade, pegou a mochila de Carmem e a colocou no carro, neste momento veio em seu pensamento as palavras de sua mãe, esta era a primeira vez que mentia para ela, pensou em desistir, mas as gargalhadas de Carmem que falava no telefone interrompeu seu pensamento e logo esqueceu, não podia desistir não queria decepciona-la ele a amava demais e essa era uma oportunidade de estarem juntos.
Foram para a estrada o céu estava com várias cores lembrando uma obra de arte emoldurada, lindo! A música suave que tocava no CD, a voz doce de Carmem, tudo tão perfeito, foi esquecendo por completo as palavras de sua mãe. Já anoitecia e de repente Carmem vê uma placa, Camping, rapidamente fala:
-Olhe tem um Camping
-Mas aqui no meio do nada
-Eu vi a placa volte...
-Deveríamos continuar
-Não!Vamos ver quem sabe gostamos
Marcelo meio contrariado faz a volta bruscamente com o carro e retorna, entra no Camping a princípio não vê nada nem ninguém tamanha escuridão, passados alguns minutos vê bem adiante uma pequena luz e comenta com Carmem:
-Meu Deus! Nem luz tem
-Que importa, vai ser uma aventura
-Acho que é uma loucura isto sim, vamos seguir viagem
-Não! Quero ficar vai ser romântico
-Mas, aqui não tem nada só esta escuridão total
-Melhor não precisamos nos incomodar com nada nem ninguém
-Ai! Você é maluca mesmo
- Sim por você
De repente do meio da escuridão apareceu um homem fantasmagórico com uma lanterna na mão não era possível distinguir suas feições, um pouco medrosos perguntaram:
-É possível ficarmos aqui?
-Sim, mas como podem ver não há ninguém estamos fora de temporada e a luz foi desligada
-Sim vamos, pelo menos por esta noite
- Então podem escolher onde querem ficar, o Camping é todinho de vocês
-Obrigado senhor! Boa noite
Olharam ao redor e viram uma pequena clareira dirigiram-se para o lugar escolhido e começaram a montar a barraca que trouxeram para qualquer emergência, ainda bem que tinha no carro uma lanterna assim puderam montar sem problemas seu ninho de amor. Às vezes se ouvia um barulho assustador na mata quebrando o total silencio. Devido à extrema escuridão o céu mais parecia uma cobertura de diamantes com o cintilar das estrelas e paravam para olhar tanta beleza. Já era tarde da noite terminaram de montar e foram dormir queriam acordar cedo para saber onde estavam.
Segunda-feira de manhã os pais de Marcelo não o viram foram até seu quarto e ele estava vazio, ainda não havia chegado e falaram entre si:
-Carlos porque será que ele não chegou ainda?
-Não faço a menor idéia
-Estou preocupada, tenho um aperto no coração
-Ainda é cedo logo chegará, não fique tão preocupada
-Tenho maus pressentimentos eu não queria que fosse nesta viagem
-Agora já foi só precisamos esperar que retorne
Enquanto isso na casa dos pais de Carmem:
-Bom dia Osvaldo
-Bom dia querida
-viu a Carmem?
-Não querido... Você viu?
-Não
-Depois perguntamos aos empregados
-Melhor estou com pressa, tenho uma reunião a tarde
Eles pouco se importavam com sua filha, Osvaldo estava preocupado com seu encontro amoroso com sua garota predileta, e sua esposa com seu chá beneficente onde vários fotógrafos estariam e ela queria estar nas primeiras páginas dos jornais no dia seguinte.
Terça-feira, nenhuma notícia os pais de Marcelo resolvem ir à delegacia e relatar o desaparecimento de seu filho amado, depois de feita a denuncia voltaram para casa e ficaram aguardando notícias.
Os pais de Carmem perceberam que ela não estava no café da manhã não deram muita importância e acharam uma desculpa qualquer para si próprios
Osvaldo como de costume saiu no mesmo horário e foi para sua empresa, entrou em sua sala o jornal como de costume estava em cima de sua mesa, mas nem sequer olhou, estava ansioso para telefonar para sua garota e confirmar o encontro para aquela tarde.
Na casa de Carmem sua mãe ainda não havia lido o jornal aguardava a governanta trazer, assim que ela lhe entregou o jornal abriu eufórica para ver sua foto, mas que ironia da vida neste dia não era sua foto que estava lá e sim de sua filha com uma manchete enorme na primeira página ¨Casal assassinado brutalmente no Camping¨, no primeiro momento tudo paralisou ao seu redor ficou tudo em câmara lenta não poderia ser verdade, mas infelizmente era porque também havia a foto de seu sobrinho que ela tanto odiava, ao ver as fotos dos corpos dilacerados começou a gritar num pranto sem fim. Enlouquecida por ter sido uma mãe tão desligada de sua filha começou a rasgar suas roupas, bater em seu próprio rosto e saiu correndo pela casa gritando seu nome sem resposta o desespero tomou conta de seu pensamento, porque tal desgraça caíra sobre sua vida não era possível, não queria acreditar. Sua governanta não sabendo o que fazer telefonou para seu patrão no escritório e lhe contou o ocorrido, ele abriu o jornal ainda com o telefone na mão e ficou estupefato ao ver a foto de sua filha e de seu sobrinho na primeira página do jornal, não conseguiu dizer mais uma única palavra levou a mão ao peito e sentiu uma forte dor que o matou instantaneamente , o telefone caiu e a governanta ficou gritando...
Os pais de Marcelo quando souberam da noticia abraçaram-se e choraram... Choraram por perder seu filho tão amado, que nunca havia lhes mentido e na primeira vez custara sua vida. Neste momento Anita precisa recordar seu segredo Marcelo não era filho de Carlos, mas sim de Osvaldo por esta razão sua irmã Madalena tanto a odiava e também a seu filho por esta razão desde que Marcelo nascera nunca mais se falaram e agora tinha o destino se encarregado de uni-las novamente com a perda de seus filhos que tanto se amavam.
Carlos nunca soubera que não era o verdadeiro pai de Marcelo era um segredo entre as irmãs que não queriam jamais comentar o caso ocorrido a tantos anos passados e não queriam contato, pois na verdade Carmem e Marcelo eram meio irmãos e não podiam saber.
Madalena perdera a razão por completo ao saber da morte de sua filha e o envolvimento amoroso que os dois tinham foi internada num hospício, sem saber que seu esposo falecera.
Carlos e Anita sempre souberam amar e receber amor de seu filho, para ela a perda foi grande, mas o pecado foi maior de nunca ter contado para Carlos a verdade e agora perdera seu filho para sempre e jamais contaria a verdade, pois doía seu coração quando imaginava que seu filho amara sua própria irmã por sua culpa e não do destino.
Anita encontrou nos livros e cadernos de seu filho quase em todas as páginas escrito um verso que Osvaldo costumava dizer para ela e o conhecia há muitos anos e nunca tinha notado que seu filho conhecia esta estrofe de uma poesia que há muito tempo não lia. Mandou escrever na lápide para nunca esquecer seu pecado:
A lua adormeceu
As estrelas já não brilham
A noite já se foi
Acorda meu amor
Que o sol já se pôs
ângela lugo
Enviado por ângela lugo em 18/09/2006
Código do texto: T243433

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ângela lugo
São Paulo - São Paulo - Brasil
127 textos (88422 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:46)
ângela lugo