Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O ENVIADO DE DEUS

O Mestre, no silêncio, escondeu-se no alto de um outeiro, próximo a um vilarejo paupérrimo e começou uma pequena melodia sussurrada no vento. E este ritual foi observado por atônitos parceiros, na pequena multidão que, numa energia positiva emanavam a harmonia necessária para as preces do Mestre, num repente, serem ecoadas por entre os montes e as planícies daquela paisagem. O Que rezava cantando aquela criatura ajoelhada no topo do outeiro olhando para o Céu na noite mais estrelada de todas já presenciadas até então? Perguntaram as curiosas almas daquelas cercanias... Um homem mais criativo disse: - Ele deve estar em comunhão com o universo, amigos!; Outro menos afoito pregou: - Ele deve ser o enviado de Deus!; Houve um mais céptico que replicou: - Ele deve ser um louco que está delirando e nos fazendo crer na existência de algo sobrenatural. Todavia o que importa é que apesar das dúvidas e divergências de opiniões todos concordaram que ele estava ecoando maviosa canção por todos os cantos daquele povoado. Um habitante, atrasado de tudo, chegou de repente e disse: - Olhem pessoal, surgiu uma notícia que este canto de melodia Superior e entoado com voz sublime e harmônica ecoa pelos quatro cantos da Terra! E um outro morador do vilarejo surpreso exclamou: - Amigo, ali, olhe! Lá está o Mestre que sussurra o canto de melodia superior de que fala... – É verdade, vejo-o agora! Que silencioso e imóvel ser cantante será aquele? Todos, a partir de então, se indagaram e se debateram apenas interiormente, pois, já não mais falaram entre si. Foi quando um raio desceu dos céus e tombou sobre a cabeça do Mestre que caiu de cima do outeiro rolando ribanceira abaixo... As gentes do lugarejo rapidamente correram em direção do monte azul e surpresas nada encontraram... Com dúvidas e sem a explicação do acontecido voltaram para as suas pequenas casas e foram pensativas dormir. Um ano depois, descendo do outeiro, um indigente, todo feliz, com maviosidade ecoou bem alto um canto de melodia Superior que dizia assim: - Sou o enviado de Deus e vim para salvar-vos! E assim, por causa da simplicidade daquele povo, tornou-se possível, o acreditar no indigente, pois, colocaram acima da aparência: a essência que é a única maneira de encontrarmos após esta vida a Eternidade para a nossa existência.
Alexandre Tambelli
Enviado por Alexandre Tambelli em 14/10/2006
Código do texto: T264064
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alexandre Tambelli
São Paulo - São Paulo - Brasil, 48 anos
676 textos (116529 leituras)
8 áudios (2991 audições)
1 e-livros (398 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:00)
Alexandre Tambelli