Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Os Enfeites da Árvore

>> ÍNDICE
19/11/2006 09h10
Os Enfeites da Árvore
Os enfeites da árvore

Clevane Pessoa de Araújo Lopes

D.Mariquinhas enfeitava tudo no Natal.Laços verdes e folhas vermelhas para todo lado.E o vice-versa.Da árvore natal -com enfeites novinhos e outros com mais de cinqüenta anos(sim, pois ganhara alguns de sua avó,no seu primeiro anio de casada:"Agora, você vai usar meus enfeites,daqui para a frente.Não tem mais ânimo para armar árvores", dissera-lhe a anciã-às garrafas de vinho vestidas de papai noel, ou com gravatinhas , aventais.
Velas paramentadas de rendas douradas e rabos-de-rato prateados.Luzinhas pisca-pisca quase cobrindo todos os muros, e paredes da casa.
Toalhas pintadas ,estrelas, bastões, pecinhas de madeira, aljôfar, tecido, crochet.Até o porta-papel higiênico no banheiroe o bujão de gás,tinham laçarotes e sininhos.
Papai e Mamãe Noel para todo lado.
Cartões de Ntal com imagens do chalé, à noite, todo iluminado.
Botas de feltro,renas e trenós.
E a peça mais antiga,trazida por algum ex-combatente da Itália,era a peça que a senhora colocava por último, no topo da árvore, às vésperas do dia 25 pois temia que caísse e se espatifasse.
Os netos adoravam tudo aquilo, se encantavam com o presépio, embora os já adolescentes reparassem na falta de proporção entre seus componentes por exemplo,uma vaquinha média, um elefante minúsculo e um patinho gigante, a nadar num espelho cercado de capim, feito com papel de seda verdolengo.Mas riam à socapa:longe deles ,magoar a querida velhinha.
Ontem à noite,D.Mariquinhas subiu na escadinha de metal para colocar a estrela ,bem no topo da árvore.Ficou contemplando um pouco aquela peça rara.De repente,tonteou :a vista escureceu e ela caiu,batendo a cabeça.
No velório,Jorginho, o neto mais novo,de seis anos, chorando muito, criou coragem e foi olhar a avó de perto.Reparou no véu preto sobre os cabelos branco-prateados.A avó estava sem o colar de pérolas dos dias de festa.Alguém já lhe explicara que ela morrera fazendo o que mais gostava.E que, na verdade, as pessoas queridas não morrem.Ficam dentro de nosso coração, disse a Tia Lili.Ele ficou pensando:-Só se ela encolher muito:como vai caber ?E só se acortarem em pedacinhos...Muitos filhos e netos...
Outra pessoa lhe explicou que não devia chorar, pois vovó estava ali mesmo, mas invisível.
Ah, é,pensou Jorginho.Então ela vai querer seu batom cor-de -rosa, seu colar de pérolas, seu reloginho de ouro ...
Então,decidido, o homenzinho foi ao quarto de despejo, onde estava a árvore toda desmontada, as caixas de enfeites e apanhou os cordões de aljôfar vermelho.Encheu as mãos gorduchas, chegou perto do caixão, onde alguém colocara, bem cedo, uns degrauzinhos do consultório de seu pai médico,usados para os pacientes descerem da cama de exames,para que os menores pudessem facilmente se despedir da avó.
Jorginho então, amoroso, começou a enfeitar a velhinha querida .Ninguém disse nada.O garoto foi e voltou várias vezes.Sobre os crisantemos amarelos, foi dispondo todas as peças natalinas, tão queridas por D.Mariquinhas.Todos choravam, mas com um leve sorrisonos lábios.

Nem mesmo o agente funerário,quando fechou o caixão, ousou perguntar o
que era aquilo, aquele brilho, o verde e o vermelho predominantes, sobre as flores .Alguém o interceptara e dissera que o neto mais novo entregara à avó os enfeites natalinos.
Em casa, o menino explicou ao pai,o qual chorava feito um meninão enorme:
-A vovó não ia gostar de chegar no céu sem seus enfeites de Natal.
E o mais velho, rouco e de nariz inchado,afagou-lhe a cabecinha encaracolada e murmurou:
-Fez muito bem Jorginho...Ela vai gostar...

E foi assim que D.Maria, conhecida em vida pelo apelido de Mariquinhas, chegou ao céu brilhando,sorrindo e girandolando,enfeitada qual sua amada árvore natalina.Duas filas de anjinhos de verdade a esperavam.E fizeram um corredor para ela passar,enquanto eles cantavam "Jingle Bells..."

Belo Horizonte, 19/11/2006

Belo Horizonte, 19/11/2006


clevane pessoa de araújo lopes
Enviado por clevane pessoa de araújo lopes em 19/11/2006
Reeditado em 29/10/2008
Código do texto: T295468

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autor e o link para o site "www.sitedoautor.net(Clevane pessoa de araújo lopes;(www.clevanepessoa.net/blog.php)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
clevane pessoa de araújo lopes
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 69 anos
555 textos (176707 leituras)
21 e-livros (13423 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:32)
clevane pessoa de araújo lopes