Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A cigarra e as formigas
 
Houve um tempo
Uma cigarra
Estava sempre a chiar
Ao pé do formigueiro
Parava só pra descansar.
 
Seu maior divertimento
Era sempre observar
As formigas trabalhando
Dia e noite sem cessar.
 
O bom tempo
Então passou
Veio chuva, muito frio
A cigarra ficou em apuros
Sentindo fome e calafrios.
 
Sem abrigo
Sem comida
Com passos bem ligeiros
 “Toque, Toque, Toque, Toque”
Bateu então no formigueiro.
 
A formiga friorenta
Em um xalinho embrulhada
Aparece e pergunta:
- O que queres cigarra?
Parece tão desesperada!
 
Tossindo e cheia de lama
A cigarra implora a formiga:
- Preciso de agasalho
E um pouco de comida.
 
- O que fez durante o bom tempo?
Quis saber a formiga.
Depois de um ataque de tosse
Responde a pobre mendiga:
- Eu cantava bem sabes!
 
- Ah ! Então é você
Quem cantava
Enquanto todo o
Formigueiro trabalhava?
 
- Pois entre amiguinha!
  Você nos proporcionou
  Muita alegria
  Com toda sua cantoria
 
- Entre, boa vizinha!
  Seja bem-vinda
 Ao nosso formigueiro!
Sare sua tosse
 E volte a cantar
 O verão inteiro!
dominio público
Enviado por Ana Paula Cruz em 12/07/2012
Reeditado em 09/08/2012
Código do texto: T3774088
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ana Paula Cruz
Sabará - Minas Gerais - Brasil
56 textos (16413 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/10/14 17:42)
Ana Paula Cruz



Rádio Poética