Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Principe por um dia


A fantasia de Corisco menino pobre da comunidade D. Maria era sair na escola
de samba ,sambando junto com a porta bandeira mirin Juliana que ele
carinhosamente chamava de Jú.
Corisco, negro e pobre, vivia com a mãe e cinco irmãos no minúsculo barraco
pendurado no morro. Corria o dia inteiro catando papelão durante a manhã
estudava, jurava que ia ser doutor.
Sorrindo sempre com dentes branquinhos escovados muitas vezes com
bicarbonato porque e mais barato dizia sua mãe.
Tinha doze anos ..mas aparentava menos , talvez falta de alimentação adequada.
Querido por todos alegre, e apaixonado pela Ju.
O amor chegou,lhe queimando as entranhas fazendo sonhar,
vendo tudo cor de rosa. Só pensava na Jú ,dia e noite. Queria crescer rápido
parecer homenzinho para ela. Ele sabia que se não corresse ,ela bonita do jeito
estava ficando certamente iria aparecer algum garoto querendo namora-la.
Enquanto eu costurava a fantasia da Jú ele veio ate minha casa e ficou admirando
o tecido, suspirando e com olhos brilhantes me disse - Dona Maria vê se me ajuda sair junto com a Ju de mestre sala no lugar do Marquinho!
Marquinho era um mulatinho espivitado que vivia com cabelo cheio de gel
colarsinho de surfista ,peito aberto camisa no ombro bem troncudinho.
Os ensaios corriam solto e todos da comunidade animados no sobe e desce
fervilhando no dia a dia com problemas de toda sorte.
Decidi que iria ajudar Corisco , quando fui provar a fantasia de d. Edvania
esposa do presidente da escola.
Entre um alfiniete e outro contei -lhe que Corisco queria sair de mestre sala, junto
com Jú e formariam um belo par, coisa e tal.
Tudo foi arranjado , com muita alegria contei a corisco sua premiação,
tamanha foi sua alegria, que me cobriu de beijos, fazendo trejeitos do mestre me
contando alegremente que ensaiava toda noite com sua mãe .
Agora só faltava contar a Jú,   o coração    batia forte suas mãos tremiam e
suavam, mas estava feliz.
Comemorou com sua mãe maior jantar, arroz feijão preto, banana e goiabada .
Animado como nunca falava da boca cheia, jesticulava, tambolirava na mesa e
juntava os irmãos aos gritos -eu consegui manos, iarou!!!
Os dias seguintes foram de aflição, um misto de êxtase para todos queriam ganhar o bicampeonato .
As peças da fantasia de Corisco eu mesma costurei com o maior carinho. A noitinha lá vinha Corisco experimentar sorridente, falante tão entusiasmado que contagiava a todos .Dizia-me -sabe D. Maria, será o dia mais feliz da minha vida!
Jú do meu lado como princesa e eu como príncipe , a galera toda nos aplaudindo vou ser príncipe por um dia!
Corisco contou-me que Jú  ficou feliz quando soube,que ele seria seu par , todos os dias depois do ensaio , sentavam na calçada enfrente a quadra e tomavam sorvete de morango , o preferido dela . Parece que ia engrenar o namoro .
Tudo isso eu devo a senhora D. Maria , que acreditou no meu sonho me deu a maior força!
Assim vendo aquele entusiasmo eu me sentia feliz também ; renovava minhas esperanças me sentia viva , apesar de todas minhas desilusões .
É chegado o grande dia !
Naquela manhã Corisco pegou sua fantasia me deu longo abraço e saiu cantando o samba enrredo da escola.
Com a garoa fina e gelada todos tomaram o onibus para o sambódromo .
Naquele ano seria julgado o quesito porta bandeira mirim e mestre sala , valendo pontos para escola .
Corisco , não cabia em sí de tanta alegria. ..iria realizar seu sonho ...
Jú estava linda... maquiada parecia mais velha ,mas uma rainha , melhor dizendo uma princesa !
Assim no ônibus , Jú era elogiada , e seu coração dava saltos parecia o tambor da escola ...
tum...tum...tum
Corisco olhava Jú e pensava ,ela é minha namorada!
Anunciando a escola, os fogos , a euforia de todos tudo parecia májica.
Eu na arquibancada esperava minha escola quase tão eufórica como Corisco.
Ela veio linda! Colorida , alegre ,jovial com os sambistas esbanjando saúde e felicidade .
O casal fez bonito, desfilou como dois anjos sob as nuvens .
Foram aplaudidos , reverenciados pelos gringos e gringas.
A imprensa toda fotografando , as atenções todas voltadas para para Corisco e Jú.
Boas notas para ambos , filmagens e felicidades para Corisco.
Fim do desfile , volta para casa  todos cansados .
Juliana dormia recostada no peito de sua madrinha , bem juntinho Corisco agarrado a sua mão dormia com sorriso nos lábios.
Quando chegou no seu barraco, sua mãe dormia com a tv. ligada em volume baixo para não acordar seus irmãos.
 
Com os braços abertos se jogou para sua mãe com a sensação que chegava do céu.
Seu pequeno barraco parecia o paraíso , sua cama com colchão velho parecia plumas.
Dormiu o sono dos justos.
Na manhã seguinte ,acordou cansado , quase não acreditando que tudo tinha acontecido com ele.

Agora era tocar a vida , pois era o homem da casa e seus irmãos precisavam comer.
Vestindo suas roupas surradas  ,foi para luta com sua carroça feita de geladeira ,catar papelão , restos dos ricos que lhe valia o pão na mesa.
Assim que desceu , Jú correu a seu encontro com jornais nas mãos :
· Veja! nos dois na capa , olhe as revistas ...
Era inacreditável, lá estavam os dois os príncipes do asfalto ,dizia em grandes letras nas manchetes.
Jú radiante o cobriu de beijos - estamos na capa!
· Você e o melhor ,ganhamos o troféu  e vamos ganhar um bom dinheiro !
-Vamos agradecer D. Maria , porque sem ela não teríamos ganhado .
De mãos dadas chegaram e agradeceram .
Sentados no meu sofá , conversei com eles :-filhos nesta cidade cheia de perigo , desigualdes você esta crescendo honesto ,sobrevivendo com dignidade  e portanto vocês merecem tudo que ganharam.
Portanto -filho não precisa ir   lá-    é um direito seu .
Corisco não queria conversa , para ele era muito importante  ir.Preciso  ver os gringos que nos deram nota dez, dizia-,em sua inocência . Ainda lhe disse: -nós proporcionamos alegria a um povo triste , ou pelo menos  não sorriem  e sambam como o nosso povo!
Eles vem de longe para assistir o carnaval , e nós apresentamos o maior espetáculo da terra não é mesmo ?
Nem pense em chegar perto dessa gente , e os seguranças ?- Jamais você terá essa oportunidade.
Com as revistas nas mãos  Jú não parava de olhar e de se orgulhar do belo casal que faziam.
Terminado o carnaval ,Corisco volta a sua vida normal de catador de papelão precisava recolher o material perto do sambódromo que era boa qualidade como latinhas e tudo que seria vendável.
Sempre empurrando carrinho chegou naquela área que reinou por algumas horas.
Assim juntando restos que lhe valeria uns trocados ,viu um belo carrão na avenida e reconheceu aquela senhora gringa que estava no palanque dos jurados , seria ela que lhe deu dez? Parecia que sim , seu rosto era conhecido, seu cabelo loiro é parecia...
Precisava chegar mais perto ...
Queria que ela o reconhecesse!
O sinal vermelho , o carro se deteve bem perto dele, era agora...
Pegou no carrinho , as revistas  enroladas  e sacudindo igual louco correu para carro ,
gesticulava ,gritava , aproximando do carro com o coração aos saltos, só tinha um pensamento , agradecer e ser reconhecido .
Quis o destino que naquela hora , os seguranças vindo atrás do carro da gringa vendo aquele moleque mal vestido gesticulando e nas mãos parecia uma arma , aproximando do carro da madame , não tiveram duvidas dispararam as armas ,contra o pequeno Corisco , que tombou no asfalto apagando o grande sorriso naquele rosto inocente .
Não era arma !   era apenas as revistas enroladas que ele carregava para mostrar a todos !
E  agora...elas estavam espalhadas ali junto do seu corpinho inerte , com as estampas coloridas ,ele e Jú sorridente com a  bandeira da escola ,e grande manchete PRINCIPES DO ASFALTO!

Elizabeth Suely de Brito Passareli
 




borboleta azul
Enviado por borboleta azul em 20/04/2006
Código do texto: T142310
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
borboleta azul
São Paulo - São Paulo - Brasil, 65 anos
44 textos (6354 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 14:03)