Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sala de Jantar

Marcos, 25 anos, sua mãe Nora, 52 e seu pai José, 48. Os três jantavam juntos, como sempre jantam. E como sempre em silêncio. Mas naquela noite a feição do rosto de Marcos estava tensa. Ele havia tomado a decisão de contar para os pais sobre sua orientação sexual, segredo que escondeu até então.

— Nora, por favor passa a jarra, pediu José.

Nora estava casada com José há 30 anos. Esposa dedicada, sempre procurava estar disposta ao marido. Era uma mulher de poucas palavras. Tinha poucos amigos que sempre recebia em seu lar. Raramente se ausentava de casa. Mas naquela noite a feição de Nora estava tensa. Ela havia tomado a decisão de pedir a separação.

— José, por favor passa a salada, pediu Nora.

José era um homem tranqüilo. Advogado respeitado, vivia em função da família. Um homem de hábitos conservadores. Não fuma, não bebe e sempre manteve uma relação estável com sua esposa, sem traição.
Do casamento de Nora e José, Marcos é o único filho. Aos amigos, aquela família sempre pareceu um mar de tranqüilidade. Sempre reservados, os vizinhos nunca ouviram qualquer grito, nada que pudesse quebrar a impressão de família perfeita que todos acreditavam ser.
Marcos está se formando em direito, apesar de não estar certo de querer ser advogado. Mas pelo menos tinha a certeza de uma vida estável, já que seu pai já lhe adiantara que teria uma oportunidade em seu escritório.Mas de uns tempos pra cá ele anda inconformado. Inconformado com a vida. Tudo estava errado. Um abismo parecia abrir diante de seus pés.
Nora estava preparando a festa de 30 anos de casamento. Era seu programa vespertino ir ao shopping para fazer as compras para o jantar que aconteceria para celebrar a data. Nada grandioso, apenas para os poucos amigos da família. Não seria agora que abriria-se exceção para a discrição que a família tanto prezou esse tempo todo. Porém nos últimos dias Nora não tem ido ao shopping. Passa todo os dias em casa, costurando ou vendo televisão. Na verdade ela não via televisão, o aparelho apenas estava ligado. Enquanto o par romântico da novela das oito dava mais um beijo apaixonado, seu pensamento estava revolto. Eram os trinta anos que passavam em sua frente. De repente ela se viu diante do abismo.
Nora terminara de jantar
Marcos terminara de jantar
José terminara de jantar.
Por alguns segundos eles se entreolharam.
Marcos levantou e foi para seu quarto
José levantou e foi para o quarto
Nora ficou sozinha
De repente um estrondo vem do quarto do casal.
José acabara de suicidar-se
Marcos chega ao quarto e com o olhar calmo diante do que vê, tira o revólver da mão do seu pai. É o segundo estrondo naquela casa tão silenciosa. Marcos também se suicidava naquele instante.
Nora não passaria a tristeza de ver marido e filho morto. Ela também cometera suicídio. Morreu envenenando-se no jantar que servira.
Lipe Martins
Enviado por Lipe Martins em 27/05/2006
Código do texto: T164110
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lipe Martins
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 35 anos
11 textos (566 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 15:21)