Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um Verdadeiro Dilema

         Estava sentado na pequena varanda do apartamento quando a campainha tocou.
_ Pode entrar, a porta está aberta. – disse ele.
Raquel adentrou e quando parou já estava na sala olhando para Rodrigo que estava de costas pra ela fumando um cigarro.
_ Eu já me decidi. – disse Raquel.
_ Que bom! E o que foi que você decidiu? – perguntou Rodrigo ainda de costas.
_ Decidi que não quero nada com você.
_ Demorou todo esse tempo só pra decidir isso – nesse momento Rodrigo se levantou e começou a encara-la. – e toda aquelas pistas, aquelas indiretas?
_ Eu ainda não estava decidida, estava confusa.
_ Também fiquei confuso. – disse Rodrigo que foi interrompido por um toque de telefone, ele pediu pra que ela esperasse.
_ Alô. Dani é você!... ta tudo bem comigo sim e você?... se eu quero ir até o restaurante japonês novo que inaugurou? É claro que quero, você passa aqui pra irmos juntos?.. Vou te esperar ta.
Raquel olhava fotografias quando ele desligou o telefone.
_ Era a sua amiga Dani? – perguntou ela ainda de costas.
_ Sim, ela está terminando a faculdade de Medicina. Será uma grande médica.
_ E você o grande marido dela? – perguntou Raquel asperamente.
_ Se assim o destino quiser. Escuta, eu já a conheço antes de conhecer você. Foi mero acaso nós voltarmos a conversar. Se você demorou pra decidir algo não é problema meu, afinal eu fiz tudo que tinha que fazer pra chamar sua atenção e você sempre titubeava, sempre deixava pra depois.
_ Homem é tudo igual mesmo.
_ É o que você pensa. Eu estava na maior expectativa que desse certo conosco, mas você não dava sinal de vida, no mínimo estava sempre conversando com aquele seu amigo inseparável.
_ Não fale mal do Marcelo – interviu Raquel.
_ Não estou falando mal de ninguém.
Raquel saiu da frente dele foi até a porta, ficou parada em frente a ela e disse:
_ Era mentira.
_ O quê?
_ Era mentira quando disse que tinha decidido não querer nada. Na verdade eu quero sim, estava só vendo a sua reação, mas agora que você já tem outra.
_ Eu não tenho outra coisíssima nenhuma, a Dani é só amiga, não estou paquerando ela, mas se sua resposta fosse não querer nada, eu ia tentar algo com ela sim. – arrematou Rodrigo.
_ E você vai desmarcar com ela? – perguntou Raquel.
_ Não vai desmarcar porque ela já chegou. – disse Daniela adentrando no apartamento.
_ Daniela! Já chegou? – surpreendeu-se Rodrigo.
_ Cheguei na hora errada? Desculpe, é que eu estava com vontade de ver você.
_ Muito bem. Agora quem vai está sem resposta sou eu. Desculpem-me, mas com nenhuma de vocês eu vou sair hoje, preciso de um tempo pra pensar.
_ Foi você que provocou tudo isso – disse as duas em uníssono.
_ Eu não provoquei nada! Agora se me dêem a licença eu tenho que partir.
_ Mas você que é o dono daqui! – disse Raquel.
_ Eu sei, mas você acha que tenho coragem de dispensa-las.
_ É por isso que eu decidi ficar contigo. – disse Raquel.
_ Eu também, por isso que vim mais cedo.
_ As vezes ser bonzinho só atrapalha. – disse Rodrigo saindo porta afora e ligando para seu amigo para ter uma conversa. Local da conversa: novo restaurante japonês.

19/06/06
Miguel Rodrigues
Enviado por Miguel Rodrigues em 19/06/2006
Código do texto: T178311
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Rodrigues
Barueri - São Paulo - Brasil, 33 anos
1434 textos (42672 leituras)
6 e-livros (1681 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 16:35)
Miguel Rodrigues