Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FATUM

2

Vestia uma saia banca longa, com folhas e flores estilizadas num verde escuro, camiseta branca regata, boina num verde militar e uma sandália de couro que deixava os seus pés desnudos. Vez ou outra sorria e quando isso acontecia estremecia, suavam as minhas mãos como rios.

- Ela virá? [ela tensa]
- Não para os curtas só para o filme. [eu explicativo]
- Voltaram? [ela abaixa a cabeça]
- Seria a primeira, a saber. [eu desconverso]

Seus cabelos estavam maiores, quase azuis para ser mais exato. Quando ela me olha desse jeito faz com que eu pareça o pior homem do mundo. Desde quarta ela tem notado o meu comportamento nada peculiar, disse que voltei a ser aquele homem indeciso e cheio de medo que era antes.

- Leu as poesias? [quebro o gelo]
- Rapidamente mais li. [ela indiferente]
- O que você acho? [insisto]
- Escreveu para mim ou para ela?
- Para você é claro. [digo a verdade]

Ela sorriu. Talvez nunca tenha dito isso a ela, mas quando sorri perco todo o medo que tenho, de tudo.

- A música ficou pronta?
- Que horas ela chega. [ela corta]
- Acho que 7 e 10.
- Vai ficar com ela? [brava]
- Talvez.

Eu sei que ela não entende toda essa situação, nem eu mesmo entendo, faz uma semana que não sai nenhuma poesia, ela sabe disso e por isso me beija antes que a outra chegue.

- Posso almoçar contigo?
- Pode dormir comigo o dia todo.[respondo]
- Se é um convite eu aceito. [ela me abraça]
- O filme é bom, é de ação, coisa de gringo.
- Ela sabe que você também está comigo? [ela me solta]
- Não. [sem graça]
- Mais você não sabe mentir, se ela perguntar vai acabar se entregando. [ela sorri]
- Eu sei. [desisto]
Eu não sei o que sinto por ela, mas daria dois dedos para estar nesse exato momento debaixo dessa saia banca. Ela sabe olhar através dos meus olhos, medo, alegria, tristeza, mentira, felicidade. Tudo ela vê num único olhar.

- O filme começa agora às 4.
- Gostou do livro? [ela se aproxima]
- Adorei. [agradeço com um beijo com volúpia]
- Ela não vai chegar mais cedo?
- Não, ela chega em casa depois das seis.
- De quem você gosta de verdade. [ela me olha nos olhos]
- De mim. [e tiro a mão dela da minha cintura]

Se ela soubesse o tanto que me faz feliz quando me olha apaixonada, como faz com que eu volte a pensar em amar novamente. A delicadeza com que ela toca o meu rosto, como desliza as pontas dos seus dedos sobre o meu rosto cansado, me sinto indefeso e protegido ao mesmo tempo.

- Que dia a gente se vê?
- Quarta está ótimo.
- Amanhã?
- Sim, fique comigo o dia todo.[com olhar de criança]
- Claro que fico. [ela sorrindo]
- Até o feriado acabo com tudo.
- Eu sei.
mário cardoso
Enviado por mário cardoso em 31/08/2007
Código do texto: T632542

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site http://recantodasletras.uol.com.br/autores/abelha). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
mário cardoso
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 32 anos
370 textos (15028 leituras)
3 áudios (243 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 06:01)
mário cardoso