Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Essas crianças...

- Paiêêêêêê...  - gritou o guri lá do outro lado da sala enquanto olhava a chuva pela janela.
- Hum?... – respondeu o pai, sentado na sua poltrona preferida, folhando o caderno de esportes do jornal de domingo.
- Quem liga as torneiras da chuva, lá no céu? – perguntou o guri, ainda na ponta dos pés e debruçado na janela.
- São Pedro.  – respondeu o pai, sucinto, pra não dar muito assunto.
- São Pedro???  - repetiu o guri, a essa hora fazendo embaçar o vidro da janela com seu hálito quente.
- É. – reiterou o pai.
- E quando ele sai de férias? Quem fica no lugar dele? - perguntou o menino, desenhando bichinhos com os dedos no embaçado do vidro.
- Ele não tira férias. – disse o pai, passando para o caderno de política.
- Não?? – falou o guri, apagando o desenho.
- Não. – reforçou o pai, suspirando já.
- Mas todo mundo tira férias...porque São Pedro não? Ele é escravo? – insistiu o piá, tentando abrir uma fresta na janela.
- Não. Ele não é escravo. E me lembrei agora que ele deixa o São Pedro Jr em seu lugar quando sai de férias. – disse o pai, certo de que tinha finalizado a “conversa”.
- São Pedro Jr?? – repetiu o filho, conseguindo a tão sonhada frestinha da janela.
- É. – disse o pai, lendo uma notícia de escândalo em Brasília.
- Então o céu é um nepotismo só? – indagou o guri, molhando a mão que abrira a fresta, na água da chuva.
- Não, filho. É só um favor que ele faz pro pai dele. – falou o pai passando para o caderno policial.
- Mas e se ele sofrer um acidente de trabalho? Como vai pedir seus direitos se não tem um vinculo empregatício? – perguntou o filho, agora molhando o cabelo.
- Ele não sofrerá. – disse o pai, lendo uma notícia de assalto em seu bairro.
- Já sei!! Ele pode pedir que seja preenchida uma RPA para ele!! – disse o menino empolgadíssimo, enquanto fechava a fresta da janela. – Assim ele poderá ter assistência por causa dos 20% relativos ao INSS, né pai? – continuou o guri.
- Claro, meu filho. – concordou o pai, olhando agora a contra capa do jornal.
- Então ta! Vou lá para o quarto que o meu desenho favorito já começou – disse e saiu correndo em direção ao quarto.
O pai então fechou o jornal, chamou pela mulher, que estava na cozinha preparando o café e disse:
- Este menino está proibido de brincar com o filho do advogado aí da frente.
A mulher, sem entender nada, concordou e foi cozinha adentro.
Luck Siqueira
Enviado por Luck Siqueira em 01/09/2007
Código do texto: T634150

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luck Siqueira
Canoas - Rio Grande do Sul - Brasil
91 textos (7245 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 21:49)
Luck Siqueira