Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Escudo.

 E ela derrubou o escudo de metal aos seus pés, com um enorme estrondo. Caiu de joelhos, a espada lentamente escorregando das suas mãos. Estava exausta. A batalha durava meses e sua roupa de guerra parecia muito mais pesada naquele momento. Ela não agüentava mais.

Grossas lágrimas escorriam pelos seus olhos. Ela, ainda de olhos fechados, não suportava a idéia de finalmente ver tudo o que seu escudo protegia. Não queria arriscar-se a enfrentar uma verdade que ela não conhecia. E então ela se perdeu nas horas.

Foi quando o céu chorou, misturando-se com as lágrimas que escorriam pelo seu rosto, que ela percebeu que não podia viver assim. O risco fazia parte da sua vida. E ela então abriu os olhos.

Suas mãos tremiam quando ela apoiou-se para levantar. E ela finalmente sentiu a relva verde sob seus pés. Suas pernas cambalearam. E sentiu a água gelada que escorria pelas suas costas. E ela olhou em volta e percebeu que nunca tinha visto uma paisagem tão bonita. Do alto da colina, ela via pequenas crianças brincando na aldeia lá embaixo. Sorriu. Viu as flores coloridas embaixo das árvores e percebeu toda a beleza que seus olhos renunciaram. Fechou os olhos novamente. Ela sentia agora. Estava viva novamente.
Maís Petrini
Enviado por Maís Petrini em 21/09/2007
Código do texto: T662412
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maís Petrini
São Paulo - São Paulo - Brasil, 34 anos
8 textos (426 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 02:40)
Maís Petrini