Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONFUSÃO MENTAL

CONFUSÃO MENTAL



Sofia andava pela casa sem direção certa, saiu do quarto e foi para o banheiro, chegando lá esqueceu o que tinha vindo fazer, por via das dúvidas baixou as calças e sentou no vaso, que seu organismo se manifestasse, se fosse de seu interesse aliviar as tripas ou a bexiga. Mas nada disso aliviava o vazio que sentia, aquela sensação de impotência diante dos medos de tudo que a cercava, desde o barulho da geladeira até do pio da coruja, do prédio ao lado. Ela sentia-se totalmente abandonada por todas as pessoas, a começar pelos filhos, depois os ex-maridos, ex-namorados, tinha também os pais, os amigos, os vizinhos, todos enfim não queriam saber dela e ela alí sentada naquele vaso, quando derrepente ouviu um estampido meio surdo, arregalou os olhos e olhou em volta, com mais medo ainda, que é isso, agora já é demais, estão me atacando. Foi quando ouviu outro  estrondo, esse sim, de tão alto, trouxe ela para a realidade, eram flatos e ela lembrou o que tinha ido fazer no banheiro,  além de se aliviar da flatulência, tava na hora de tomar seu remédio poderoso, só ele era seu amigo, seu companheiro, seu, sei lá, só sabia que tinha que engolir uma “baguinha” daquelas e sentir-se gente de novo e acabar com sua CONFUSÃO MENTAL.
pedro guilherme holz
Enviado por pedro guilherme holz em 02/11/2007
Reeditado em 28/07/2008
Código do texto: T720279

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
pedro guilherme holz
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 62 anos
11 textos (894 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 02:59)
pedro guilherme holz