Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ENTREGA ESPECIAL

                         ENTREGA ESPECIAL
Certa tarde Amanda estava lendo um livro sentado à varanda  mergulhada em sua leitura.

Quando a campainha soou, levou um susto e só aí percebeu que havia chegado alguém. Puxa há quanto tempo não ouvia a campainha soar. Caminhou até a frente para ver quem havia chegado tão inesperadamente já que há muito tempo não recebia visitas.

Chegando ao portão pôde constatar que se tratava de um entregador, um senhor de meia idade, simpático e com uma voz muito suave anunciava que havia trazido uma entrega para ela após perguntar como se chamava. Imediatamente ficou surpresa, pois não podia imaginar do que se tratava, não era nenhuma data especial e mesmo que fosse seu aniversário, ninguém lhe mandava nada. Mas aquele senhor lhe garantira que não havia engano, que a encomenda era realmente pra ela.

Com as mãos ligeiramente trêmulas e com o coração cheio de expectativas assinou o comprovante de entrega e pegou o  pequeno pacote embrulhado para presente que aquele senhor simpático lhe alcançava.

Após agradecer e cumprimentar o entregador, foi até seu quarto tentando imaginar o que havia dentro daquele pacote e quem afinal teria lhe mandado.

Já fazia seis anos que morava sozinha naquela casa e quase nunca saía de casa, vivia com seus livros, com suas lembranças, seus medos e fatalmente com sua melancolia e tristeza. Tanto tempo havia passado e ainda era muito viva a presença de seu grande amor dentro daquela casa e dentro do seu peito também. Aliás, era a única coisa viva que havia nela. Não encontrava nada que pudesse tirá-la daquele estado de depressão e solidão e quanto mais sozinha ficava mais sozinha queria estar. Muitas foram às vezes em que pensou em acabar com tudo, mas faltava-lhe coragem.

E agora ali estava ela criando dentro de si uma nova expectativa imaginando o que aquela caixa iria lhe trazer. Quando estava prestes a abri-la, uma pontada de medo assolou-lhe e parou por um instante. Afinal não sabia mais o que era fazer algo novo, diferente. Sua vida havia se tornado uma rotina e agia e vivia tudo mecanicamente e a simplicidade de abrir um embrulho sem saber o seu conteúdo era uma espécie de aventura para Amanda. Decidiu que guardaria o embrulho até estar realmente preparada.

Voltou para a varanda e retomou o livro que estava lendo, mas seus pensamentos não se fixavam na leitura e as letras dançavam em sua frente. Levantou-se e caminhando em direção ao seu quarto decidiu abrir finalmente e acabar com esse suspense. Lembrou do olhar do entregador, havia algo diferente naquele olhar, uma mistura de ternura com tristeza e de conforto com repreensão. Bobagem pensou afinal aquele senhor não a conhecia e muito menos ela já o havia visto antes. Sentou-se enfrente ao embrulho e foi abrindo com cuidado, cada pedacinho de folha que vagarosamente rasgava lágrimas desciam pela sua face e apesar do medo ela sentia que deveria ir até o fim.

Quando finalmente Amanda abriu aquela caixa encontrou somente um bilhete com as seguintes palavras: ”Finalmente você me recebeu, tenho estado todos os dias enfrente ao seu portão, mas você não tem me escutado. Sei tudo o que você tem passado nestes seis anos, mas quero que saiba que estou contigo e nunca te abandonei e agora que você finalmente abriu essa encomenda, saiba que já te entreguei há muitos anos a coisa mais valiosa que poderia lhe entregar, mas você nem percebeu e infelizmente não tem dado valor e fiz isso quando te dei a vida. Amanhã estarei de volta afinal agora que você já me conhece, tenho muitas outras coisas para te entregar: esperança, paz, amor, alegrias, novas expectativas e muita coragem para ser feliz novamente, mas, por favor, escute quando soar a campainha”.
                                     Ass. o entregador
 E Então, após muitos anos finalmente Amanda sorriu.
megh
Enviado por megh em 14/09/2006
Reeditado em 14/09/2006
Código do texto: T239748
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
megh
Carazinho - Rio Grande do Sul - Brasil, 48 anos
13 textos (1342 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 16:48)
megh