Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um professor de piano realizado (parte 1)


'Roberto' é um homem de 38 anos. Solteiro, mora sozinho, pois preza muito a sua privacidade. Trabalha como professor, leciona sobre administração em duas faculdades de sua cidade. Para descontrair passou a dar aulas de piano, oferecidas apenas para pessoas do prédio em que mora.
  Roberto é um homem muito reservado, sistemático e isso o afasta de longos relacionamentos. Os curtos, porem loucos relacionamentos que teve fez dele um homem extremamente safado. Ele aprecia muito passar horas na internet fazendo amizades que correspondam ao seu tipo de conversa, algo de nível mas de certa maneira apimentado.
  Tudo ia bem no controlado mundo de Roberto..  até que um dia, uma manha de quinta feira..  a campainha do apartamento toca. Curioso e precavido como todo extremista sistemático, Roberto olha pelo olho mágico afim de analisar quem esta a sua porta. Um calor repentino aflige o seu corpo.. uma linda garota esta a sua porta e ele rapidamente abre a porta sem nem se dar conta das poucas vestimentas que apresentava, já que tinha acordado a pouco.
  R: "Pois não?"
  X: "Ola, você é o charmoso professor de piano que tanto falam aqui no condomínio?"
  E assim se deu o primeiro contato de Roberto com a sua mais nova e secreta aluna de piano. A garota se chamava "Jaqueline". O motivo do forte calor sentido por Roberto toda vez que a encontrava era por sua descrição se encaixar no seu mais novo fetiche. A pequena Jaqueline tinha aproximadamente 16 anos, mas dava muita ênfase ao dizer que tinha mais que isso. Uma linda ruiva de 1,64 de altura e aproximadamente 50 kilos..  seus cabelos longos mostravam seu cuidado com o corpo e seus lindos olhos castanhos fitavam o corpo do dedicado professor Roberto.
  Jaqueline era uma aluna secreta, sendo que exigiu sigilo sobre as aulas dizendo ser uma surpresa para os pais.
  Um mês de aula já tinha se passado. Um mês de  muito sofrimento para seu professor, pois a meiga Jaqueline se mostrou uma garota muito provocante e bastante abusada quando a contatos físicos, estilos de roupas e perguntas repentinas sobre seu não tão mais concentrado professor.
  Roberto chegava a sonhar com sua aluninha. Chegava a transpirar durante as aulas em que quando ela tocava ficava olhando para ele e sorrindo. Os sonhos mexiam tanto com ele que passou a escrever sobre ela, contos que colocava a disposição na internet. Isso aliviava as suas tentações e descarregava parte de sua tara.
  Outro mês avia se passado e ao que tudo indicava, sua aluna se tornava mais provocante e com assuntos mais fixos. Ela tentava arrancar o Maximo de intimidades de seu professor.
  Um dia, algo muito inusitado aconteceu. A aluninha mostrou-se também obcecada por seu professor.. sorriu e disse:
   X: "Sabe teach. Tive a curiosidade de saber dessa sua vida na internet.."
  Roberto ficou pálido, apenas se lembrando dos contos que havia criado. Tenta manter a calma e diz..
   R: "Ae? tenho algumas boas amizades pelo mundo..  termine a musica.. hoje temos a manha toda"
   X: "sabe..  queria saber escrever bem como você.."
   R: "Como assim?"
   X: (a aluninha poe a mão sobre a perna de Roberto e diz:) "Eu coloquei seu nick do msn no google..  mas calma.. eu amei cada um dos contos que fez. Espero que eu seja a sua única aluna ruiva.. senão vou ficar muiiiito triste"
   Sem muito o que falar..  Roberto sentou no sofá, encontrava-se assustado, não parava de pensar q sua aluninha tinha ele em suas mãos por fatores como a idade dela e o fato de nesse momento ela já ter salvo todos os seus contos eróticos.
   X: "Não precisa ficar assustado.." ela senta do lado dele no sofá "eu gosto daquele em q eu venho de minissaia para a aula"..   "eu odeio minissaia.. mas gostei do jeito com que me descreveu"
   X: "Sabe.. eu não sou tão atirada quando você imagina..  "
   A aluninha enfia a mão por dentro da calca de Roberto, da um sorrisinho e diz "mas nada que um bom professor não ensine..  e eu adoooooooooro a sua paciência para ensinar"
   O auto controle e o fator idade nesse momento simplesmente dão lugar aos instintos de um homem louco por uma situação como aquela. Coisa que até o momento só tinha visto em contos que lia. O recatado Roberto deu lugar ao alucinado Roberto..
   Sua aluniha sentiu na mão naquele momento essa mudança e apenas disse "nossa.. isso não é crescimento, é uma explosão". E naquele momento Roberto levantou..  deitou sua aluninha no sofá e disse "calma.. temos a manha inteira"..
   Roberto deitou sua aluninha no sofá e arrancou sua roupa toda. Ao notar o quanto ela estava 'molhadinha'.. olhou para ela e ela o surpreendeu com o rostinho de sapeca que disse "ficou assim desde o primeiro dia que atendeu a porta só com aquele short de pijama.. q você se envergonhou tanto".
   Ele não agüenta a provocao e move seu rosto em direção a região molhada, afim de sentir com a língua e os lábios o suor daquela ruivinha. Dedicou longos 10 minutos a provocar.. lamber.. analisar a forma com q ela mais gostava. Ela gemia e quando tomava fôlego para falar apenas dizia "ai.. isso vai ter troco.. você vai ver". E o troco veio logo em seguida.. nada tão bem feito e dedicado quando o que tinha feito..  mas ela se empenhava e fazia do jeito que achava correto. A cena era tão forte para o pobre Roberto que mesmo com o jeito inexperiente e 'mal feito' de sua aluninha, por vários momentos teve se segurar para não encher a boca dela.
   Meia hora de preliminares já tinha se passado da curta manha que eles tinham juntos quando sua aluninha o pos sentado na cadeira do piano. Se colocou de costas para ele em sua frente. O ajustou mais para trás na cadeira e depois de algumas esfregas no pênis de seu professor.. ela sorriu olhando para trás e disse com um rostinho bem meigo "coloca ele vai.."
   Aquilo bateu como uma bomba no peito de Roberto, que habituado com mulheres mais experientes.. empunhou seu pênis e enfiou com toda forca e velocidade em sua aluninha e só depois de alguns segundo se deu conta que deveria ter ido com mais calma com a pequena Jaqueline. Ele olhou para ela, que estava pasma, como que se ar com a mão no peito.
   Sentiu a necessidade de se desculpar mas antes de falar ela começou a rebolar e se esfregar mais e mais. Quando recuperou o fôlego, olhou para trás a mais uma vez sorrindo disse "ei, eu sou fraquinha.. ".
   Roberto sorriu e antes que conseguisse pensar em uma frase para dizer, sua aluninha começou a tocar uma linda musica no piano. Ele não acreditava que algo tão exótico estava acontecendo e mais uma vez ela conseguiu melhorar ainda mais a cena, virando seu lindo rosto para trás e dizendo "é o que eu imaginava em casa uma das aulas teach.. quebra meu raciocínio lindo, faz de um jeito em q eu não consiga tocar". Roberto enfiou as duas mãos nos lindos cabelos de sua aluna ruivinha e massageando seus cabelos e puxando sua cabeça ele ia mexendo loucamente ela, que depois de alguns segundos já não conseguia tocar. Ele tira as mãos de sua cabeça e passa a segura-la por de baixo das pernas...  levantando-a de costas para ela, com oque sentada apenas apoiada pelo seu pênis.
   Jaqueline nesse instante joga a cabeça para trás para pode cochichar algo para seu delirante professor e diz "assim eu não posso ver você, me vire lindo, quero tentar me controlar vendo esse rosto alucinado..". Ele a coloca apoiada na parede para tentar vira-la sem sair de dentro dela e no meio da trajetória ela diz quase sem fôlego "para.. me da um segundinho.. to passando mal com você..". E ele a coloca delicadamente no sofá e senta ao seu lado.
   Ele sorri e confessa "minha ruivinha.. eu precisava muito dessa pausa.. que bom..". Sua pequena aluna hora a cabeça pro lado, fecha o olho, da um sorrisinho..  volta a cabeça pro lado de seu professor e diz "eu estou indo bem?"
   Roberto não se segura e da risada.. emocionado com a situação e sem saber o que dizer, apenas sorri e diz "não quero acordar desse sonho"

 (continua)

professor
Enviado por professor em 09/12/2005
Código do texto: T82996
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
professor
Campinas - São Paulo - Brasil, 44 anos
21 textos (7346 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:48)
professor