Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Criação

No começo nada havia, e assim houve até que o tempo houvesse. Antes mesmo de haver tempo a energia se reuniu e tomou consciência. Naquele momento, nasceu o momento e o instante e antes dos dois a consciência.

"ESTOU VIVO"

A escuridão era tudo que reinava, o instante evoluía a momento a cada hora que o tempo fluía.

"LUZ! QUE SE FAÇA A LUZ!"

Como uma explosão a energia se converteu em luz e iluminou toda a existência, e pode ver então ao longe o tempo se expandindo e indo embora em todas as direções, tornando o local maior. E assim foi durante muito e muito tempo.

"PRECISO DE MAIS"

Então, todas as partículas temporárias e atemporais, átomos, prótons, neutros, quarks todos se juntaram e se concentraram em um único ponto, muito pequeno, muito pesado e muito quente. Apenas um instante depois, tudo que o tempo havia formado explodiu, e a cada instante o tempo transformava as partículas da explosão em explosões ainda maiores. E a Energia admirava tudo

"LINDO DEMAIS"

O tempo correu para além do horizonte admirado pela energia. Durante mais tempo as explosões cessaram, faíscas congelaram e outras continuaram acesas por uma fração de instante.

A energia via as faíscas se acenderem, atraírem diversas partículas menores e em seguida colidirem com outras partículas e perderem suas seguidoras.

Resolveu olhar então mais de perto, chegando mais perto transformou um pequeno instante em um longo tempo, o que parecia uma fagulha se tornou uma imensa bola de fogo que queimaria pro trilhões de tempos, a sua volta as partículas se aglomeraria e teriam formações engraçadas com água líquida e congelada, em outra partícula enormemente formada um oceano de metal líquido fundido fluía reluzente para um lado e para o outro já que a proximidade com a bola de fogo não permitia sua refrigeração.

A energia então olhou para uma bola de partículas marrom

"FAREI DE TI A MINHA MORADA"

Soprou para cima da bola, seu sopro fez com que a bola fosse afastada da faísca gigante e ficasse rodando sobre a mesma. Resolveu olhar mais de perto. Dentro de partículas, montanhas, rios, florestas, animais. Tudo ia se formando.
A energia achou bom e interessante

"ISSO É A VIDA, MEU SEMELHANTE"

A energia fez repetiu o feito milhares de outras vezes e por tantas vezes mais, observou e já não era mais possível ver o tempo correr.

Voltou a bola que agora era azul, e viu diversos seres gigantes, insetos colossais e peixes ferozes, se assustou com a aparência dos seres e deu um passo atrás. Resolveu ir para frente de novo e viu lagartos gigantes dominarem o mundo, riu com a ferocidade irracional de tamanhos seres, percebeu ao longe uma partícula que vinha em direção à bola azul, resolveu não interferir para saber o que aconteceria. Quando a bola foi atingida pela partícula, tudo se escureceu, mas em um piscar de olhos percebeu que tudo estava claro novamente, um pouco diferente, mas tudo em ordem e dentre todas as espécies que lá viviam uma se destacou, ao contrário dos bravos Leões e dos Fortes Elefantes e Rinocerontes os fracos seres de duas pernas, não tinham poder imponente algum. Eram pequenos, frágeis, sentiam frio a menor brisa e precisavam de fogo para se aquecer pois não produziam calor próprio.

A Energia achou muito interessante e resolveu observar mais. Viu então que esse ser humano evoluiu mais depressa que qualquer outra espécie e subjugou todos, qualquer espécie que. Rapidamente se formaram cidades, e as cidades cresceram até que uma se encostasse na outra, o planeta antes azul, tornou-se verde e em seguida de um tom cinza claro.

Percebeu então que a bola vermelha ao lado da bola cinza antes azul começou a mudar de cor e resolveu investigar. Dentro da bola vermelha observou que os mesmos seres da bola azul tinha máquina milhões de vezes maiores que sua estatura e se admirou, as maquinas transformaram o local vermelho, em seguida um rebocador trouxe uma partícula que parecia um cristal até a bola vermelha, quando os dois se chocaram levemente a energia se assustou

"ESTÃO REPETINDO MEU FEITO"

Pensou por um momento se isso era correto, se as crias podiam fazer tudo isso para que serviria um criador? E finalmente compreendeu

"FIZ O QUE FOI NECESSÁRIO PARA O INÍCIO, MEU TRABALHO É OBSERVAR E INTERFERIR O MÍNIMO POSSÍVEL, APRENDER COM ESSES SERES"

A Energia resolveu olhar nas outras bolas. Em uma dessas bolas o feroz Leão foi o vencedor de todas as raças

"ESSES SERES SÃO MAGNÍFICOS"

Essa civilização por milhares de anos conviveu em paz com seu planeta mas também o dominou por completo e acabou se multiplicando e espalhando por diversos outros

Voltou à bola azul, agora cinza, e percebeu que ela se tornará azul novamente e que o planeta vermelho ao lado também voltara a ser vermelho.

Olhou para o horizonte e viu a historia ocorrida escrita letra por letra e entendeu que eles mesmos se destruíram. Resolveu olhar mais de perto e as criaturas ainda existiam, agora em menor número e agora também haviam voltado ao estado original de homem das cavernas. Porém outras criaturas muito parecidas com elas pairavam sobre a bola azul e interagiam com eles.

"QUEM SÃO ESSES?"

A energia procurou novamente no horizonte e encontrou a resposta, uma das bola que ela mesmo havia feito não ficou perfeitamente terminada, na verdade a energia ficou tão maravilhada com as outras bolas que esquecerá daquela.

"RESOLVEREI ESSE PROBLEMA"

Foi até a bola prateada e descobriu que ela era deficiente mas também descobriu que sua civilização se espalhou pelo universo em centenas de milhares de outros planetas e percebeu

"ELES NÃO PRECISAM MAIS DE MIM"

E resolveu deixar tudo como estava. De volta a bola azul, o seres de outro planeta copulavam com as fêmeas do planeta azul e davam origem a seres estupendos, maiores, mais fortes e de diversas cores, brancos, negros, amarelados, avermelhados e olhos de diversas maneiras diferentes. Piscou os olhos e percebeu que ninguém mais pairava sobre o planeta azul e viu no horizonte os dizeres "missão cumprida"

Observou a bola azul e percebeu que seus seres eram maus, corruptos e tiravam a vida de uns e dos outros em a menor cautela. A inteligência conheceu o sentimento de tristeza, e então chorou.

Uma lagrima caiu incandescente pelo gélido universo e atingiu o planetinha azul, as águas do planeta subiram e por muito tempo foi assim. Quando a inteligência parou de chorar a água abaixou e algumas pessoas novas sobraram, percebeu que esses seres éram diferentes. Bons e com boas intenções, fechou os olhos e sorriu.

Quando abriu os olhos, percebeu que as pessoas o olhavam nos olhos.

"FUI DESCOBERTO!"

As pessoas que o olhavam sofriam demais com um castigo imposto por outros seres menores, mas da mesma raça.

"TOMAREI PROVIDENCIAS"

Resolveu parar com aquele sofrimento, pois não queria mais chorar, elegeu um dos sofredores que por diversas circunstâncias estava do lado oposto como Guia e o usou para ferir os maus e força-los através do medo a deixarem seu povo ir.

Percebeu então que o povo do planeta olhava muito para e pediam coisas, a energia contente por ser notada, passou a ajudar, mas logo os pedidos se tornaram fúteis e percebeu que eles abusavam do poder. Em um piscar de olhos viu que guerras estavam sendo travadas em seu nome, então tirou um fio do cabelo, fez um homem e o mandou para que a guerra e a violência tivessem fim.

Quando esse homem mágico chegou, foi escorraçado e humilhado. A energia o retirou de lá, pegou-o novamente e novamente chorou dessa vez afastando suas lágrimas e formou diversos mundos, arrancou chumaços de seus cabelos e deu vida a todos.

"VÃO E POVOEM OS OUTROS MUNDOS, ENSSINEM O QUE É BOM"

E eles foram.

A Energia olhou para a bola azul com desprezo e novamente com tristeza. Assim resolveu ir observar as outras partículas, agora planetas com praticamente os mesmos problemas. Percebeu que tudo aquilo se repetia diversas vezes, tentou concertar diversas vezes também, mas sem sucesso, pois não queria interferir fortemente.

Olhou de novo para o horizonte e se lembrou do seu irmão, o tempo, que nasceu pouco depois dele e foi logo crescendo, chorou de alegria e correu em direção ao horizonte atrás de seu único amigo.
R R Solaris
Enviado por R R Solaris em 16/10/2007
Código do texto: T696399

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
R R Solaris
São Paulo - São Paulo - Brasil
8 textos (1167 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 20:06)
R R Solaris