Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O CÁLICE DAS ALMAS (Parte II)

... _ Desculpe senhor, queremos sair daqui, mas primeiro temos que buscar ajuda. - Diz Ruy.
_ Não! Não peçam ajuda aqui... - Alerta o homem assustado.
Eles passam adiante sem dar atenção ao pobre homem e, durante horas, ficam admirando a beleza do lugar.
Anoitece...
Passando por vielas desertas, percebem que ninguém andava pelas ruas à noite. Ambos estavam cansados e famintos, felizmente, logo encontraram uma estalagem e antes mesmo de baterem, um homem abre as portas e disse:
_ Olá, bem vindos, sou Manuel Braak. Vamos, entrem o que estão esperando?
_ O-obrigado, mas... Quanto custa? - Pergunta Ruy preocupado.
Manuel então responde:
_ Nada! Só a amizade de vocês. Pelas roupas, vejo que não devem ser daqui!
Após se alimentarem, os dois se recolhem ao quarto. Carlos adormece profundamente, enquanto Ruy, ainda preocupado com o triste fim do amigo, tem um sono agitado, logo despertado pelo barulho da porta, que se abre lentamente...
Ruy fica completamente aterrorizado ao se deparar com uma criatura horrenda, que parecia ser um homem com grandes chifres frontais e disformes pés de bode. Nesse momento ele se lembra do aviso do mendigo, que agora parece mais digno de sua atenção.
Ruy encolhe-se pegando um pedaço de pau que estava jogado próximo à cama e avança na criatura que apesar de possuir uma força descomunal, não contava com o elemento surpresa. Após receber um golpe preciso e potente, a coisa cai morta no chão.
Apenas Carlos desperta com tamanho barulho, porque a estalagem possui proporções colossais. Dirigindo-se ao refeitório, Ruy pega um facão e Carlos pega uma clava, para se defender de eventuais aparições de criaturas grotescas.
Os dois saem pelos fundos da estalagem, onde encontram mais duas criaturas, dessa vez tentando devorar uma mulher. Carlos mata uma delas, com golpes poderosos e a outra criatura tenta fugir, mas Ruy a persegue e corta-lhe a cabeça.
_ Você está bem? Pergunta Ruy à apavorada mulher.
_ Sim, obrigada por me salvarem, eu me chamo Natália. E vocês, quem são?
_ Eu sou Ruy
_ E eu me chamo Carlos. Agora queremos que conte como você veio parar aqui.

... Continua (Aguardem o final)
Felipe Corrêa
Enviado por Felipe Corrêa em 31/10/2006
Reeditado em 18/05/2009
Código do texto: T278203

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (André Felipe Cruz Corrêa). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Felipe Corrêa
São Luís - Maranhão - Brasil, 27 anos
21 textos (1698 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:52)
Felipe Corrêa