Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amélia e o ouro.

Amélia tinha acabado de se mudar, uma casa linda, com um jardim magnífico. Havia duendes no jardim, muitas flores, e coisas do gênero. Se deu muito bem com seu novo emprego naquela cidade, seu marido também, e sua filha de 8 anos, clarinha, fez amizade fácil, com quem parecia ser boa gente e assim foi indo. Sua filha, com uma imaginação enorme costumava conversar com os duendes do quintal, tanto que lhes deu até nomes, e passava até mesmo horas falando com eles. Certa vez, aconteceu um fato muito estranho com clarinha. Amélia viu moedas espalhadas pelo quarto de clarinha, e mexendo mais um pouco lá, percebeu que dentro de seu guarda-roupa havia varias moedas, muitas mesmo. Amélia se espantou mais ainda quando viu que elas eram de ouro e resolveu investigar.
     Mas outro fato que também estava espantando a vizinhança era as mortes que estavam acontecendo, o engraçado é que todas as vítimas eram mortas do mesmo jeito, suas cabeças eram retiradas e sempre sumiam. A polícia ficou espantada com o fato. Mais espantoso ainda é que tal fato começou a se espalhar pela cidade inteira, muitos mortos e a polícia nada de achar o culpado.
      Amélia, depois de levar sua filha à um psicólogo, se preocupou ainda mais, pois este, por incrível que parecessa, não havia diagnosticado nada de mais. Amélia tentou psiquiatras, etc. E nada de doenças, e mais moedas iam aparecendo no quarto de clarinha. Até que certa noite Amélia acordou para tomar água e passando pelo quarto da filha viu que a porta estava entre aberta e clarinha não estava lá. Apavorada Amélia saiu gritando, mas quando chegou ao quintal viu que clarinha estava lá, conversando com os duendes, foi então que Amélia resolveu manda-los embora. Mas clarinha insistiu que se ela o fizesse, eles iriam se irritar com Amélia e iria acontecer o mesmo que aconteceu com os outros moradores, Amélia perguntou o que era, mas clarinha disse que Carlitos, um dos duendes, não quis terminar a história. Amélia dando risada da filha, no outro dia, pegou todos os duendes, colocou na caminhonete e saio para dar um fim neles. Quando chegou em casa, encontrou seu marido na cama e sem cabeça, e mais incrível ainda, clarinha estava com a cabeça de seu pai na mão. Amélia desesperada gritou com ela, mas clarinha respondeu que os duendes quem havia mandando, e que se ela não fizesse aquilo não iria mais ganhar moedas de ouro. Amélia achou um absurdo, mas quando se virou lá estava o duende carlitos, parado na porta rindo de Amélia e dizendo que ela estava apenas pagando por tudo aquilo. Amélia partiu para cima de carlitos, mas ele rapidamente a paralisou, e começou a rir, ela como não podia andar nem gritar desmaiou. Acordou em um lugar estranho, havia muito ouro naquele lugar, e varias pessoas trabalhando para transformá-los em moeda, e quando se virou viu varias cabeças enfeitando as paredes e lá estava  de seu marido, e de muitas pessoas conhecidas da cidade. Foi então que viu carlitos e este disse: "eu avisei para não nos fazer aquilo", e com uma simples ordem começou seu trabalho com o ouro, junto com os antigos moradores da casa.
Ivanzinhu
Enviado por Ivanzinhu em 26/07/2006
Reeditado em 26/07/2006
Código do texto: T202091
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ivanzinhu
Limeira - São Paulo - Brasil, 26 anos
14 textos (1238 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 12:26)
Ivanzinhu