Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Boneca de Trapo

Cada detalhe.
Cada gesto.
Cada olhar.
Me lembro de tudo.
Me lembro da louça suja na pia, e dos copos sujos de vinho, dos cinzeiros cheios de guimbas. Dos restos.
Me lembro dos cheiros. De todos.
Do jantar, do desinfetante do banheiro, do perfume do seu pescoço. O cheiro de suor e de batom.
E toda a dor volta com essas lembranças. Todo o ódio.
Ainda vejo o reflexo do seu corpo no espelho do quarto, despida com a luz acesa, sem pudor. Displicente. Sensual. Arrogante.
Ainda vejo o seu corpo de gata no cio, curvilíneo, respiração ofegante, língua inquieta, saliva quente. Umidade que evapora ao toque, temperada com sangue. O gosto ainda está nos meus dedos. Íntimo. Único.
Mais um conhaque, vinho me dá enjôo.
Só um estalo rápido. Um olhar perdido. Um grito congelado.
Agora, Boneca de Trapo, você vai para o armário, se juntar às outras.
 
Roberta Nunes
31/05/2005
Roberta Nunes
Enviado por Roberta Nunes em 31/05/2005
Código do texto: T21117

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Roberta Nunes
Santo André - São Paulo - Brasil, 38 anos
13 textos (1317 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 14:47)