Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Morte Pede Carona

Certa noite uma figura de preto saiu do cemitério e ficou no portão esperando por várias horas sua próxima vítima. O Tempo foi passando e já era mais de meia – noite quando um táxi veio em sua direção. Ela mais que depressa sinalizou parada. O motorista parou e a figura entrou no carro sem dizer uma palavra.
O motorista então se apresentou:
- Boa noite! Eu sou João, para onde você desejar ir?
Nisso ele acelerou e saiu com o carro, passou-se algum tempo e o taxista percebeu que o passageiro não havia dito para onde queria ir. Então ele olhou para trás para perguntar novamente e acabou levando o maior susto, pois deu de cara com uma figura horrível de olhos vermelhos assustadores que deixou João morrendo de medo. Desesperado ele começou a pedir por socorro, vendo que não adiantava gritar ele então perguntou:
- Quem é você?
E a figura então se revelou dizendo:
- Eu sou a morte e você esta vivendo o seu pior pesadelo, pois eu vi te buscar. Rsrsrs...
João ficou muito nervoso e acabou perdendo a direção e morreu ao bater muito forte em um porte a sua frente.
Depois do acidente a morte levou João para um lugar tenebroso, sombrio, assustador e apoderou-se do corpo dele.
  No dia seguinte, os moradores do bairro, ao ver o carro de João, totalmente, destruído, chamaram a polícia. Os policiais chegaram, examinaram o local e comentaram que nunca tinha visto nada igual, pois a batida foi muito forte, mas não havia nenhuma vítima, apenas uma capa preta no banco traseiro. Um dos policiais, chamado Jorge, falou aos outros que essa história vinha acontecendo, freqüentemente, com os taxistas e que na delegacia havia várias denúncias sobre desaparecimento de motoristas de táxi.
Encabulado com o fato, Jorge decidiu se disfarçar de taxista para tentar desvendar o mistério. Então ele pegou o seu carro e o disfarçou de táxi e começar a passear próximo aos locais onde apareceram os táxis destruídos, assim ele deu várias voltas pela cidade e já estava quase desistindo quando passou pelo cemitério e viu uma figura de preto sinalizando, mais que depressa o Jorge parou o carro.
Quando o estranho passageiro entrou no táxi o policial sentiu muito medo, mas se apegou a um restinho de coragem que ainda havia e seguiu direto para a delegacia, assim que ele dobrou a esquina e ia se aproximando dela, ele entrou num lugar sombrio onde viu várias pessoas sendo torturada. Apavorado ele deu uma ré no carro e conseguiu sair daquele lugar horrível.
Ao sair Jorge sentiu uma alivio tão grande que até se esqueceu que a figura de preto estava no banco traseiro, mas ela fez questão de lembrá-lo e veio para o banco da frente, ao vê-la o policial se assustou, arrancou com o carro, bateu-o, violentamente, e morreu sem desvendar o mistério. No outro dia, quando os seus colegas da policia encontraram o carro de Jorge, só havia uma capa preta no banco de trás.
Mestre da Noite
Enviado por Mestre da Noite em 09/08/2006
Código do texto: T212412
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mestre da Noite
Marabá - Pará - Brasil, 23 anos
1 textos (152 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 16:26)