Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OLHOS NO ESCURO


CAPÍTLO I: UMA NOVA EXISTÊNCIA, A VIDA É PASSADO.

O MUNDO FAZ-SE NOITE COM O VÉU DA LUA, OLHOS NO ESCURO OBSERVAM OCULTOS UM SER A GRITAR NO SILENCIOSO CEMITÉRIO. UM TÚMULO COMEÇA A SE DESFAZER DE DENTRO PARA FORA E COM UM ESTRIDENTE GRITO ERGUER-SE UM CORPO QUE PARECE RENASCER DA TERRA PERANTE ESTA GÉLIDA NOITE DE LUAR, ONDE AGORA BUSCA RESPOSTA; LAWRENCE LACRUD 1814 A 1827. CONFUSA E ASSUSTADA AQUELA CRIATURA NÃO ACREDITAVA NAQUILO QUE SEUS OLHOS VIAM: SUA PRÓPRIA LÁPIDE. ELE TINHA MORRIDO!?-É O QUE SE PERGUNTAVA AGORA.
NO CRESCENTE DESESPERO E CONFUSÃO DAQUELE CORPO, SURGI UMA VOZ VAZIA, SEM VIDA:
-NÃO SE DESESPERE TOLA CRIANÇA. VOCÊ ACABOU DE RENASCER PARA UMA NOVA EXISTÊNCIA.
LAWRENCE FICOU ATERRORIZADO, DE ONDE VINHA ESSA VOZ, O QUE ELA QUERIA DIZER COM AQUELAS PALAVRAS, QUE AO SEU OUVIDO SOAVAM COMO UM EMRANHADO DE PALAVRAS SEM SENTIDO.
-QUEM É VOCÊ?-GRITA LAWRENCE-ONDE ESTÁ VOCÊ?APAREÇA MISERÁVEL!
-QUEM SOU NÃO IMPORTA, MAS QUE VOCÊ É SIM-PROFETIZA AQUELA MISTERIOSA VOZ.
-DÊ RESPOSTAS CLARAS, MISERÁVEL, APAREÇA ONDE QUER QUE ESTEJA!MALDITO!-DISSE LAWRENCE ATORDOADO.
-EU ESTOU EM SUA MENTE, LAWRENCE. ESTAREI EM TODO LUGAR ONDE VOCÊ POSSA ESTÁ.
NUM ATO DESCONSERTANTE LAWRENCE TENTAR TAMPA OS OUVIDOS COM AS MÃOS PARA NÃO MAIS OUVIR AQUELA VOZ QUE NÃO DÁ RESPOSTAS.
-O QUE ESTÁ TENTANDO?TOLO!
NÃO!COMO ERA POSSÍVEL ISSO, ELE AINDA ESTAVA ESCUTANDO AQUELA VOZ. ELA ESTARIA VINDO REALMENTE DE SUA MENTE?LAWRENCE SE PERGUNTA CADA VEZ MAIS CONFUSO.
-SOCORRO! SAIA DA MINHA MENTE-GRITA DESESPERADO LAWRENCE, QUE SAÍ CORRENDO DAQUELE TERRÍVEL CENÁRIO ONDE PARA ELE O ENTERRARAM VIVO.
-NÃO HÁ COMO FUGIR DE MIM, CRIANÇA-CONDENA A VOZ.
BEM ALI PERTO, AO LADO DA ENTRADA DO CEMITÉRIO ACORDOU ASSUSTADO O COVEIRO COM GRITOS E PEDIDOS DE SOCORRO.VESTIU-SE RAPIDAMENTE, PEGOU A LAMPARINA E UMA ARMA, SAINDO APRESSADO E PENSANDO  O QUE ESTAVA ACONTECENDO LÁ DO OUTRO LADO DO CEMITÉRIO, O QUE ESTARIAM FAZENDO AQUI A ESSAS HORAS DA NOITE.
LAWRENCE ESTAVA CORRENDO EM DIREÇÃO AO PORTÃO PARA DAIR DALI, MAS ESTAVA TRANCADO O QUE DEIXOU MAIS DESESPERADO. TENTOU QUEBRA-LO, MAS CAIU AO CHÃO SENTINDO-SE FRACO.
-SOCORRO!ALGUÉM PODE ME AJUDAR, POR FAVOR. SOCORRO,ME TIREM DAQUI-IMPLORAVA DE JOELHOS. ENCOSTOU-SE NO PORTÃO E COMEÇOU A PENSAR. E DERREPENTE ELE PERCEBE QUE NÃO ESTÁ RESPIRANDO, NÃO SENTE FALTA DO AR, QUE SEU CORPO ESTÁ FRIO MESMO DE TANTA AGITAÇÃO E CORRERIA. TOCOU NO PEITO, SEU CORAÇÃO NÃO BATIA MAIS.
-O QUE ACONTECEU COMIGO? NO QUE ME TORNEI? SE EU ESTOU MORTO COMO POSSO ESTÁ AQUI PENSANDO SOBRE ISSO-FALANDO PARA SI PRÓRPIO.
QUANDO ESTAVA PENSANDO O COVEIRO OUVIU GRITOS QUE PARECIAM DE UMA CRIANÇA. CORREU TÃO RÁPIDO QUE NÃO PERCEBEU OS GALHOS DE UMA ÁRVORE O TINHA ARRANHADO SEU ROSTO E PESCOÇO. CHEGANDO AO PORTÃO VIU UMA CRIANÇA CHORANDO ENCOLHIDA.
- O QUE ACONTECEU COM VOCÊ MENINO?-PERGUNTA O COVEIRO.
- SOCORRO, NÃO TOQUE EM MIM-ASSUSTA-SE LAWRENCE.
-CALMA NÃO VOU TE MACHUCAR, QUERO APENAS AJUDAR-O COVEIRO ABRAÇA O MESMO PARA ACALMÁ-LO.
POUCO A POUCO O MENINO FOI ACALMANDO-SE.LAWRENCE SENTIU UM CHEIRO QUE NUNCA TINHA SENTIDO ANTES, QUE O ATRAI DE TAL FORMA, QUASE INCONTROLÁVEL.ENTÃO PERCEBEU, ERA O SANGUE QUE ESCORRIA DO ROSTO E PESCOÇO DAQUELE HOMEM.INSTITIVAMENTE SEUS CANINOS CRESCERAM E ELE CRAVOU COM TODAS SUAS FORÇAS NO PESCOÇO DO VELHO COVEIRO.
-AHHHHH... - GRITA DE DOR O COVEIRO, TENTANDO SE SOLTAR DAQUELE PEQUENO DEMÔNIO QUE MORDIA SEU PESCOÇO-SOLTE-ME, SOLTE-ME DEMÔNIO-TENTAVA EM VÃO SE LIVRAR DAQUELA CRIANÇA QUE PARECIA TER A FORÇA DE UM HOMEM. O COVEIRO ESTÁ MORTO AGORA E LAWRENCE PARECE MAIS VIVO DO QUE NUNCA MAS À SUA PRÓPRIA MANEIRA.
- SENTE-SE FORTE AGORA LAWRENCE?-INDAGA A VOZ QUE SE MOSTRA COMO UMA SOMBRA, AGORA, COM OLHOS BRILHANDO DENTRO DA ESCURIDÃO.
A TEMPESTADE COMEÇA FORTE E IMPIEDOSA, UM RAIO BANHA O CEMITÉRIO COM UMA LUZ BEM OFUSCANTE E FAZ LAWRENCE VER TUDO O QUE ACONTECEU.
-EU MATEI UM HOMEM, O QUE ELE FEZ PARA MIM, NADA!-LAWRENCE QUESTIONA-SE - VIREI UM MONSTRO SUGADOR DE SANGUE!FOI VOCÊ QUE ME AMALDIÇOU?MALDITO, MISÉRAVEL!TORNOU-ME UM DEMÔNIO-OLHANDO PARA AQUELA SOMBRA, ESTANDO QUASE IMPERCEPTÍVA POR CAUSA DA CHUVA QUE CAIA.
-VOCÊ JÁ NÃO FAZ PARTE DO MUNDO DITO HUMANO, TORNOU-SE UM DE NÓS - EXPLICA A SOMBRA.
NÃO!EU NÃO SOU UM DE VOCES, EU TENHO UMA FAMÍLIA - DIZ LAWRENCE QUASE CHORANDO.
-SEUS PAIS JÁ MORRERAM VOCÊ APENAS TINHA AQUELES DOIS TIOS QUE O LEVARAM PARA À MORTE. COMO VOCÊ ACHA QUE VEIO PÁRA AQUI NO CEMITÉRIO?-DIZ A SOMBRA.
-EU NÃO SEI COMO VIM PÁRA AQUI MAS MEUS TIOS NÃO ME MATARIAM POR NADA NESSE MUNDO, ELES SÃO MUITOS BONS PRA MIM-REBATE LAWRENCE.
-HERANÇA... TOLO. SE NÃO ACREDITA, TENTE LEMBRAR-SE DO QUE ACONTECEU E COMO VOCÊ ESTAVA ANTES DE VIM PÁRA AQUI. TENTE LEMBRAR, SUAS FORÇAS JÁ VOLTARAM.
TENTANDO LEMBRAR DE TUDO QUE TINHA ACONTECIDO ANTES DE ESTÁ MORTO, LAWRENCE REFLETIU. ”LEMBRA-SE QUE ESTAVA JANTANDO E NA PORTA BATIA UM MENSAGEIRO QUE TRAZIA MÁS NOTÍCIAS SOBRE SEUS AVÓS PAIS DE JOHN LACRUD, SEU PAI.ELES PEGARAM UMA DOENÇA DESCONHECIDA EM UMA VIAGEM E ACABARAM MORRENDO;LEMBRA-SE TAMBÉM DAQUELE TERRÍVAL ACIDENTE, ESTAVA FRESCO EM SUA MEMÓRIA:A FAMÍLIA LACRUD VOLTAVA PARA CASA DEPOIS DO VELÓRIO, ERA NOITE FAZIA FRIO E ESTAVA CAINDO UMA LEVE CHUVA:LAWRENCE NÃO CONSEGUIA DORMIR.DERREPENTE A CHARRETE A MOVER-SE RAPIDAMENTE, ERAM LADRÕES QUERENDO ROUBA-LA. OS LADRÕES FICARAM PARA TRÁS MAS EM CURVA, TRILHAVAM MUDANÇAS, NOVOS CAMINHOS PARA ESSA FAMÍLIA , A CHARRETE VIROU POR CAUSA DA ALTA VELOCIDADE. O COCHEIRO ESTAVA MORTO TINHA BATIDO A CABEÇA NUMA PEDRA, O PAI DE LAWRENCE FICOU PRESO DE BAIXO DE CHARRETE, CATHRINE TINHA UM SÉRIO CORTE NA CABEÇA E LAWRENCE NADA SOFRERA.
- CATHRINE LEVE NOSSO FILHO LAWRENCE PARA A CIDADE, ELA DEVE ESTÁ PERTO-GRITA JOHN.
-MAS JOHN... -DIZ CATHRINE
-NÃO!VÃO LOGO, FUJAM-ORDENA JOHN - EU FICAREI BEM-TENTANDO ESCONDER A DOR.
-PAPAI, POR QUE...?- LAWRENCE IMPLORA.
-VAMOS LAWRENCE, SEU PAI FICARÁ BEM - FALA CATHRINE VIRANDO-SE PARA FRENTE QUASE CHORANDO.
ELES SAÍRAM CORRENDO O MAIS RÁPIDO QUE PODIAM SEGUINDO PELA ESTRADA. SEUS TREMIAM, O FRIO AUMENTAVA ASSIM COMO A TEMPESTADE, TORNANDO CADA PASSO UMA PERIGOSA DECISÃO POR QUE JÁ ERA NOITE. LAWRENCE TORCEU O PÉ E NÃO CONSEGUIA ACOMPANHA SUA MÃE, QUE AGORA O LEVA NOS BRAÇOS APROXIMANDO-SE DA CIDADE. CATHRINE ESTAVA MUITO FRACA PORQUE PERDERA SNGUE DAQUELE CORTE NA CABEÇA, MAS ELA AINDA CONSEGUIU AJUDA. UM GRUPO DE HOMENS FOI AJUDAR JOHN, CHEGANDO LÁ ELE JÁ ESRAVA MORTO E A CHARRETE TINHA SIDO ROUBADA.
OS IRMÃOS DE JOHN FORAM AVISADOS DA TRAGÉDIA E VIERAM PARA AJUDA SUA CUNHADA E SEU SOBRINHO QUE TANTO NECESSITAVAM. CATHRINE NÃO RESISTIU E QUARTO DIAS DEPOIS DA MORTE DE JOHN ELA MORREU. LAWRENCE ESTAVA GRIPADO, MAS O PROBLEMA MAIS SÉRIO ERA SUA TRISTEZA QUE MAIS PARECIA UMA GRANDE DOENÇA, SEUA TIOS TENTAVAM DE TUDO PARA ANIMÁ-LO SENDO QUASE TUDO NÃO DAVA EM NADA.OITO DIAS DEPOIS DA MORTE DE CATHRINE, LAWRENCE MORREU DE FORMA INEXPLICÁVEL.”
A CHUVA TORNOU-SE FRACA POUCO A POUCO DANDO ESPAÇO PARA O LUAR QUE REVELA AQUELA SOMBRA MISTERIOSA.
-VEJO TUDO QUE ACONTECEU DIAS ATRÁS ESTÁ BEM FESCO EM SUA MEMÓRIA-DIZ A SOMBRA CIRCUNDANDO LAWRENCE.
-NÃO LEMBRO DE NADA QUE INCRIMINE MEUS TIOS-GRITA LAWRENCE.
-TU ÉS TOLO.ENTÃO EXPLIQUE-ME COMO VOCÊ MORREU-DITA.
-VOCÊ PODE TER ME MATADO-REVIDA LAWRENCE.
-HAHA... -RI A SOMBRA - QUAL É A ÚLTIMA COISA QUE LEMBRASTE ANTES DE ACORDAR AQUI?-PERGUNTA A SOMBRA.
LAWRENCE FECHA OS OLHOS NOVAMENTE E BUSCA SUAS MEMÓRIAS NO FUNDO DE SUA MENTE.
-LEMBRO-ME DE ESTÁ LENDO UM LIVRO QUE MEUS TIOS ME DERAM-RELEMBRA ELE.
-ESTE LIVRO FOI SENTENÇA, FOI ARMA QUE SEUS TIOS USARAM PARA MATAR-TE- REVELA- VOU LEVA-LO PARA SUA CASA E VERÁ QUE MINHAS PALAVRAS FARÃO MUITO SENTIDO- DIZ A SOMBRA.
AQUELA SOMBRA COMEÇOU A EXPANDIR-SE EM VOLTA DE LAWRENCE FAZENDO-O SUMIR DENTRO DAQUELA ESCURIDÃO QUE RAPIDAMENTE COMPRIMIU-SE ATÉ DESAPARECER POR COMPLETO. E NO CEMITÉRIO TUDO VOLTOU AO NORMAL, O TÚMULO AGORA PARECE COMO SEUS TIOS O DEIXOU E O CORPO DO COVEIRO DESFEZ-SE EM PÓ LEVADO PELO VENTO. TODO AQUELE CENÁRIO MISTÉRIOSO DE UMA CRAINÇA LEVANTANDO-SE DO TÚMULO AGORA PARECE COMO ANTES, UM LUGAR DE DESCANSO, EXISTINDO SOMENTE TÚMULOS COM CORPOS DEGRADADOS PELO TEMPO, LÁPIDES COM NOMES DE PESSOAS QUE JÁ CAMINHARAM E VIVERAM FELIZES OU TRISTES SOBRE A SUPERFÍCIE ONDE HOJE  ANDA OCULTO UM NOVO SER FILHO DAS TREVAS, RENASCIDO DIANTE DE SUA ETERNA MORADA, DENTRO DE SEU CAIXÃO.E AGORA DIA APÓS DIA NO AMANHECER ENCONTRA SEU ETERNO DESCANSO MAS SUA TAMBÉM UMA PRISÃO SEM GRADES...

Caos Necrophagos Soturnums
Enviado por Caos Necrophagos Soturnums em 22/08/2006
Código do texto: T222829
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caos Necrophagos Soturnums
Gama - Distrito Federal - Brasil, 30 anos
14 textos (806 leituras)
2 áudios (48 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 00:44)
Caos Necrophagos Soturnums