Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Chaos - O vampiro da escuridão

Chaos mais uma vez se encontrara sem saída e perdido, ele sabia q todo podia acabar ali mais mesmo assim ele nunca perdera a esperança.
– Giliven, onde você esta! – gritava Chaos – Apareça seu filho da puta e lute contra mim se você for homem!
Uma risada foi-se ouvido no meio da escuridão.
– Meu cara Chaos, você não realmente acha que eu, o grande e poderoso mago Giliven, iria realmente ariscar minha vida lutando contra um vampiro do seu porte, acharia? – perguntou Giliven com um pouco de arrogância e ironia. – Para isso é que serve os meus servos.
De repente Chaos foi atacado por todos os lados por diversos tipos de monstros e criaturas da noite. Eles viam de todos os lados para cima dele, enquanto Giliven de longe observava a cena na segurança da escuridão e dava gargalhadas bisaras.
Chaos rapidamente tirou sua espada da cintura e deixou seu longo capo cair, se preparando para o inevitável.
Ele tentou lotar contra todos eles, mas eram simplesmente muitos. Parecia ser o fim
– Desista, Chaos meu caro. – disse Giliven, agora saindo do conforto das sombras ao seu redor – Vamos lá Chaos, me de o amuleto e eu o prometo que você terra uma morte rápida e sem dor.
– Nunca! – berrou Chaos enquanto tentava ficar vivo.
– Então que assim seja. Mantém-lo! – gritou Giliven aos seus servos.
De repente uma multidão de criaturas começaram a cobrir Chaos dos pés a cabeça, como se tivessem o engolindo por inteiro. Em questão de segundos eles haviam coberto Chaos, e este não dava mais nenhum sinal de que talvez ainda pode-se esta vivo ali, no meio de tantos demônios e monstros diferentes.
Quando todo parecia ter finalmente terminado para o nosso vampiro, uma luz surgiu de debaixo de onde Chaos supostamente estava, e logo em seguida ouve uma grande explosão de luz, que fez todos aquelas criaturas asquerosas que estavam em cima dele voarem longe.
No meio de toda aquela confusão, Chaos surge, com duas asas vampirescas o sustentando no ar.
– Jamais subestime minha força ou minha paciência, Giliven. – disse Chaos enquanto olhava para a cara de pavor que Giliven fazia no momento.
– Tenho que lhe admitir que não esperava por isso – retrucou ele rapidamente se recompondo e botando um sorriso meio forçado em sua cara. – Sabe eu adoraria ficar e continuar o nosso assunto, mas infelizmente não posso. Ate outro dia Chaos – e uma imensa nevoa o cobriu ate ele desaparecer, assim como a nevoa que logo se desfez.
– Vá e fuja medroso, pois hoje você vive, mas amanhã é outro dia – dizendo isso Chaos também se foi na escuridão do anoitecer, esperando por um outro dia para poder lutar.
Chaos
Enviado por Chaos em 04/09/2006
Código do texto: T232803
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chaos
Salvador - Bahia - Brasil, 28 anos
3 textos (265 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 06:09)
Chaos