Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Não conte a ninguém...

Não conte a ninguém...
Era sempre com essa frase que ele se despedia de mim.
No espelho meu mundo era perfeito, nada de problemas, de parentes, notas, nada X nada.
Por que então eu me arriscaria a contar sobre aquela realidade fantástica a alguém?
Num desses dias mais terríveis em que a TPM se junta a baixa auto-estima e de mãos dadas resolver infernizar a minha vida, eu uma adolescente comum, como qualquer outra parada em frente ao espelho imaginado quantos quilos teria de emagrecer para pelo menos parecer decente, ele me acenou de dentro do espelho.
Ele não viu minhas espinhas, meus “pneuzinhos” minha inexperiência nada, ele apenas me fez aquele sinal que salvou meu dia e desde então passo cada vez mais tempo dentro espelho, sentindo como é bom ser cuidada e amada apesar de todos os meus defeitos, defeitos esses que realmente parecem não existir quando estou com “Meu Príncipe” é assim que eu o chamo, pois é isso que ele é para mim, um príncipe encantado dentro do espelho.


As pessoas sempre querem saber tudo, sempre querem controlar tudo, querem que eu diga o que tanto faço no meu quarto, ninguém sabe que estou apaixonada e que quero me fundir de vez ao espelho lá serei eternamente feliz, junto com “Meu Príncipe”.
O sangue escorre por entre meus dedos, por que eles não me entendem? Por que querem me impedir? Será que eles não percebem? Essa é minha chance de ser feliz para sempre, ouço passos no corredor, por que eles não me deixam em paz?
Eles nunca me amaram, sempre me desprezaram, dizendo que eu sou muita gorda e muito tímida, parem de mexer na porta! Deixem-me em ir!
Meu Príncipe não me deixe eu quero ir com você!


Faltava tão pouco, tão pouco para a minha felicidade eterna, tão pouco e agora estou presa aqui nessa sala acolchoada com meus braços imobilizados e sem o meu espelho, meu espelho que me levava para meu mundo perfeito, onde “Meu Príncipe” me fazia feliz, me amava como ninguém nunca me amou nem vai me amar.
Agora a enfermeira me traz o remédio, tenho que tomar, pois sei que é só uma questão de tempo, um dia conseguirei sair daqui e nesse dia me encontrarei novamente com “Meu Príncipe” naquele espelho e serei feliz outra vez.


Selva
Enviado por Selva em 03/10/2006
Código do texto: T255589

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Selva
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 36 anos
24 textos (2767 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:23)
Selva