Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"A Casa Negra 2"

  Cinco dias depois do que aconteceu,e aquela imagem ainda nos atormentava voltamos a espiar de longe a casa negra novamente
 Com um binóculo espiamos a casa de bem longe e lá dentro vimos o rosto coberto pela capa.Ele estava olhando para o lado e devegar foi virando o rosto diretamente para o binóculo olhamos bem e ficamos indignados pois nunca vimos um ser enchergar tão longe,logo largams o binóculo e saímos,o ser parecia ter os olhos vermelhos,mas só dava para ver os olhos o resto estava coberto pela capa
 Ninguen,nunca mais,teve coragem de entrar lá.
 Certo dia os barulhos vindos da casa eram inexplicáveis e altos.Um vizinho que morava perto dali ouviu e foi reclamar dizem que entrou na casa e nunca mais voltou
 Pensamos:
será que ele deve estar vivo ou será que não???
 Várias dúvidas nos apreendiam todos nós ficamos enduvida-
dos,quando o rosto não apareceu mais por ali tinhamos certeza de que tinha ido embora.
 Pegamos coragem e entramos,para nossa sorte,o rosto não estava mais ali corremos para achar Marley com esperança de encontrá-lo mas a casa era enorme e torta,ficamos perdidos completamente perdidos!!!
 Aí,em meio ao desespero apareceu Marley no fim do corredor ele disse que tinha virado "membro da casa" cor-
remos a ele e tentamos tirá-lo dali mas nossos pulços atravessavam ele pois ele tinha virado um fantasma conversamos com ele e ele disse que o rosto(homem da capa preta) iria chegar dali a um minuto então começamos a perguntar para ele como sair da casa e ele disse que não sabia ficamos desesperados e perguntamos se ele era mau ou coida parecida,ele falou que ele acorrenta as suas vítimas em um porão deixando-ás apodrecer de fome,sede,e etc...
 começamos a chorar sem esperança e ele chegou!!!
 Ouvimos o barulho da porta antiga batendo,então ele nos achou e começamos a correr com muito desespero e ele não corria só andava mas sempre nos achava depois,percorremos a casa enteira sem esperança,mas o medo era maior e nos fazia correr.
 Algumas horas depois de pura correria entramos no banheiro onde vimos facas,cabeças,foiçes,corpos jogados,e muito mais assustador era isso: vimos o vizinho acorrentado e branco seu corpo estava gelado tentamos tirá-lo dali mas era imposível quando derepente o rosto entra no banheiro e um berro sai da boca de um de nossos amigos quase chorando tentamos nos defender com uma foiçe mas ele desviava,isso era um sinal de que ele era humano ou outra cisa mortal,conseguimos sair do banheiro pois ele tinha medo da foiçe entra o supreendemos com uma rasteira e um enpurrão ele desceu a escada rolando e caiu lá em baixo sem nenhuma palavra então saimos da casa e finalmente estávamos livres dela pedimos para demolir a casa mas o pedreiro falou que era só com a autorização do dono mas então falei que não tinha dono e ele demoliu a casa e tudo ficou bem no final...
   















joni joni chagas
Enviado por joni joni chagas em 01/11/2006
Código do texto: T279156
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
joni joni chagas
Curitiba - Paraná - Brasil, 21 anos
4 textos (428 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:49)
joni joni chagas