Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O massacre do Frigorífico

Num lugar desconhecido, próximo á fronteira dos EUA, havia uma pacata vila sinistra. No entanto, três jovens percorriam a estrada de terra com seu carro, ao perceberem que a gasolina estava acabando, Jack estaciona o automóvel ao lado de um açougue clandestino.
Quando eles entraram no local, reparam que as carnes penduradas por ganchos de ferro, estavam apodrecidas, onde mosquitos e larvas se alimentavam da gordura. Brad, irmão menor de Jack, chama alguém, e acaba surgindo a figura de um homem assustador, com o avental sujo de sangue, segurando uma serrote de açougue, após explicar o que aconteceu, ele pede que entrassem no frigorífico, pois iria buscar a gasolina. Porém ao entrarem no freezer, o homem trancou os três no interior da sala macabra. Jack tentou abrir, mas era inútil seu esforço.
Inesperadamente, descobrem corpos de seres humanos mutilados e pendurados nos ganchos, cabeças de pessoas arrancadas e fincadas nas lanças afiadas. Mary não aguenta ver aquela atrocidade e vomita no chão, repleto de intestinos espalhados. O frio era intenso, já não dava para sentir os braços e as pernas. Repentinamente, o bandido abre a porta e pega Jack e arrasta até a mesa do frigorífico, trancando as vítimas novamente.
Amarrando o rapaz na mesa, que gritava por socorro, o assassino usou uma mordaça na sua boca. Utilizando uma serra elétrica, ele corta as pernas do garoto, que chora de dor e agonia. O homem abriu o tórax dele com a arma, matando o jovem na hora, logo em seguida, começou a arrancar os seus órgãos com as próprias mãos, para depois vender no seu açougue maldito. Mais tarde, ele invade o congelador novamente e pega Mary pelos cabelos compridos e a coloca na mesa, como fez com Jack. Abrindo a boca da menina, puxou a língua e cortou com uma faca, fazendo ela gritar desesperadamente. O psicopata comeu a língua dela, como se fosse muito natural. Brad estava sozinho no frigorífico, mas não encontrava nenhuma saída naquele inferno. Mary ficara pelada, pois ele a despiu para fazer uma cirurgia clandestina. O homem abriu as suas pernas e enfiou o braço na sua vagina, segurando um gancho de ferro, e começou a estraçalhar ela por dentro, até arrancar os seus órgãos vitais, através do seu corpo. A jovem gritava muito, estava praticamente morrendo, o sangue não parava de jorrar nas suas pernas, e para finalizar a sua morte, ele abriu a boca dela com tanta força, que acabou arrancando o seu maxilar, assassinando a moça friamente. Quando ele abriu a porta do frigorífico para matar Brad, o jovem consegue escapar de suas garras e correu até o carro, seguido pelo monstro enfurecido com um machado. Ao tentar ligar o carro, lembrou-se que estava sem combustível e desceu imediatamente. Percorreu alguns metros, até cair numa armadilha, onde arames farpados cortavam seu corpo.
O maníaco aproximou-se dele, andando e disse:
-Morra...
O machado foi cravado na sua cabeça por somente um golpe, onde o cérebro dele foi cozido numa panela e depois servido no jantar...
Alexandre Santos Nascimento
Enviado por Alexandre Santos Nascimento em 14/09/2007
Reeditado em 26/09/2016
Código do texto: T652212
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alexandre Santos Nascimento
Hortolândia - São Paulo - Brasil, 28 anos
134 textos (33942 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 05:57)
Alexandre Santos Nascimento