Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Apartamento

  Era um prédio velho.Parecia ser construido como um corpo só do alicerce ao topo. No sétimo andar, um homem surge de dentro das sombras, um homem cujo olhos podem ver a caveira sob a pele, está ali por se sentir atraido por algo oculto naquele corredor.Parado em frente a uma parede vazia, ele observa, toca, sente e por fim desaparece do corredor.E o corredor está vazio outra vez.
 
  O homem se ve dentro de um apartamento, selado, como um tumulo, pelo estado do imóvel percebe que aquele lugar esta selado a tempos. O apartamento 702. Nenhum morador sentira sua falta,ninguém se perguntava o por que de existir 3 apartamentos no sétimo andar e não 4 como nos demais andares. Se movendo pela sala, ele sente uma vibração estranha, procura algo que possa dizer alguma coisa do que aconteceu naquele sepulcro lacrado a cimento e tijolos,  o por que de estar oculto naquele prédio cinzento. Um relógio parado em cima da estante,  tocou-o, na esperança de receber  alguma informação...nada, só as horas esquecidas de um tempo passado, talvez a hora em que foi lacrado. Virando-se o homem se depara com um desenho no chão. Um desenho que ele conhecia bem. Um circulo de invocação, meio apagado e escondido embaixo da camada de poeira. Aquilo ia dar a ele a informação que procurava, tocou-o.

  As emoções, as visões percorrem a sala e aos poucos vão formando um mural, o homem é levado ao ponto em que começou, o ponto que levaria o apartamento a se tornar um tumulo perpétuo.Uma festa. Pessoas, 7 pessoas pra ser exato, na faixa dos 30 aos 40 anos, dançando, drogadas, enlouquecidas. No meio de tudo isso, Estela, uma garotinha, sentada no meio do circulo, assustada, horrorizada. O homem se movimenta pela sala fitando cada membro daquela festa, parecem dançar com alegria, mas o homem nota que se trata de alivio.
Um homem de camisa vermelha se aproxima de Estela, seu nome é Adalberto, ele sussura algo pra criança, que fica mais assustada. Talvez por ele possuir uma adaga na sua mão esquerda, talvez por ele ser seu pai. Estranhamente quando o homem se afasta, a criança sorri.

  A festa se torna uma orgia regada a cocaina e vodka, uma orgia de porcos gananciosos que afundando em seus prazeres, se esquecem da garota, mas o visitante que observava a todos não. Ele notou a garota redesenhando o circulo, ficou pasmado, é algo que demanda certo conhecimento, resolveu se aprofundar e olhar a garota mais de perto, poderia lhe render mais informações.E acertou. Suas lembranças informaram ao homem que não era a primeira invocação que se fazia naquele apartamento, a garotinha ja presenciara vários deles, sempre com seu pai e os amigos fedidos deles, falando alto, tocando-a. Secretamente a garota lia os livros negros que haviam no alto da estante, ela então soube o que acontecia, e resolveu brincar.

  Voltando ao ambiente da invocação o homem notou a idéia de brincadeira da menina. Ela redesenhou o circulo de Mammon, um demonio relacionado a questões financeiras, e talvez isso responda ao alivio estampado nas faces dos presentes, por um circulo de invocação de Pazuzu, um dos reis dos espiritos malignos, que possuia humanos. A criança o invoca. Os tolos humanos se surpreendem achando que sua salvação financeira havia chegado.Tolos. Pazuzu
possuiu Estela, a garota estava sob dominio da entidade, e resolveu brincar, primeiro agarrou um amigo de seu pai, Carlos, e rasgou com os dentes o pescoço daquele porco imbecil, e observou a face enquanto agonizava, e gargalhava, assustados os outros tentaram fugir, Pazuzu com um gesto trancou a porta.Estavam todos a mercê dele.
 
  Única mulher presente, Elza, se ajoelhou e pediu perdão, a menina possuida se aproximou, sorriu e a abraçou, para logo em seguida chama-la de prostituta e arrancar sua cabeça. A sala logo se tornou banhada de sangue, tripas e liquidos humanos. A carnificina só terminou quando o pai de Estela, Adalberto, foi retalhado com a própria adaga. Pazuzu deixou o corpo de Estela, e se apresentou a ela, a menina horrorizada com tudo, perguntou por que ele havia feito aquilo, a entidade demoniaca respondeu que fez por que gosta de acabar com o orgulho dos seres humanos e que ali todos haviam comprado sua passagem de ida pro inferno. A garota gritou dizendo que só queria assustar os mais velhos, que queria apenas deixa-los com medo pra que a deixassem em paz.Nada adiantou.Pazuzu levou a todos e lacrou aquele apartamento.

  O apartamento estava vazio de novo.Só o homem estava la, pasmo. Então atras dele surgiu alguem que disse:
  - Você não devia estar aqui, todos que aqui estiveram foram punidos, você deve pagar também, aqui será sua prisão!
  - Eu não pertenço a lugar algum. - retrucou o homem - E se eu realmente tivesse um lugar , como poderia eu ser um fantasma?
 
  Se virando notou que aquele alguém, era Estela. O homem acenou com a cabeça, se encostou na parede e o apartamento ficou vazio novamente. Como se nada havia se passado ali.
Arashi
Enviado por Arashi em 04/10/2007
Reeditado em 08/11/2007
Código do texto: T680200

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Arashi
Sumaré - São Paulo - Brasil, 32 anos
12 textos (1866 leituras)
1 e-livros (44 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 12:18)
Arashi