Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A garotinha que foi esquecida por todos

   A garota que foi esquecida por absolutamente todos -- inclusive o pelo carteiro.

  Era uma vez uma garota. Não não, não está certo, não era só uma garota, nem um tempo qualquer. Essa história é sobre Emily, e aconteceu a muito, muito tempo atrás, numa cidade que não existe, pelo menos não existe mais.
  Emily era a única filha do embaixador e da soprano. A única garota na sua idade que tinha um problema. Ela tinha tudo que uma criança podia querer... Mas havia um pequeno problema. Ela foi esquecida por absolutamente todo mundo!
  Mamãe e papai estavam sempre preocupados com os negócios do dia, e os empregados reclamavam que ela era uma pedra no sapato. Nem o carteiro - que fazia papai franzir a testa toda vez que uma carta chagava - lembrou dela, nunca lhe trouxe uma carta.
  Não havia abraços, nem histórias antes de dormir. Apenas uma montanha de brinquedos mortos e sem graça que crescia e crescia.
  Quem espantaria os monstros do armário? Admirar seus desenhos? E o mais importante, Amá-la?
  Emily fez seu melhor pra ser uma boa menina, e depois tentou ser uma menininha não tão boa assim, talvez uma pirralha. Mas ninguém prestava atenção, nada que ela fizesse fazia com que amassem ela.
  Uma noite, Emily abriu a janela de seu quarto, e viu uma estrela linda! A estrela brilhou e piscou tão forte que Emily desejou que não fosse apenas uma estrela, mas sim um anjo da guarda que pudesse resolver seus problemas.
  Ela lembrou de uma rima que realizava desejos, e se alguém tinha um desejo a ser realizado, esse alguém era a pequena e doce Emily.
  Ela fechou os olhos e desejou, desejou... DESEJOU! Desejou com toda sua força um amigo que pudesse brincar com ela, cuidar dela, ajudá-la com seus problemas enquanto crescia e protegê-la das sombras, dos monstros no armário e de seus medos, e que nunca jamais, NUNCA a deixasse.
  As estrelas não concedem desejos pra todo mundo sabe? Mas algumas crianças têm chance de vê-los tornar-se realidade. Mas nenhuma criança jamais havia desejado com tanta força como Emily.
  Por favor........... POOOOR FAAVOOOR!! Implorou Emily.
  Exatamente meia noite, tá bem, talvez alguns segundos depois, uma luzinha fantasmagórica entrou pela janela de Emily, seu desejo se tornou realidade.
  AH! Como ele era um ótimo amigo! Eles desenhavam, contavam histórias, faziam guerra de travesseiro, festa de pijama e forte de travesseiros, sempre juntos. E o mais importante, ele era o primeiro segredinho dela! Emily o chamou de Senhor Maluquinho, talvez devido a sua aparência de cachorrinho, com longas orelhas de coelho, patas fofinhas de gato e asas de anjo.
  Depois de algum tempo, a graça começou a passar. Ele ra seu melhor amigo, só porque ela o queria assim, ele fazia tudo o que ela queria, nada a mais nada a menos. Ele nem mesmo escolhia o que amar sozinho! Isso fez Emily se sentir muito triste.
  Os dias seguintes vieram barulhentos de risos e comemorações... E depois... As "boas" notícias:
  "AH! Emily não é maravilhoso?" Disse a empregada, que nunca, jamais tinha puxado assunto.  "Sua mãe vai ter um bebê, e, logo, logo você vai ter uma irmãzinha pra dividir todo o amor que você tem, não é maravilhoso?!?"
  Emily olhou pra o Sr. Maluquinho, que pela primeira vez fez algo de vontade própria: Franziu sua testa branca e peluda. "Não, não é nada bom!” •
  Essa havia sido a ultima gota, e Emily não queria nem saber de agüentar tudo isso. Co os pulsos cerrados ao lado do corpo, e rosto de vermelho de raiva, Emily abriu sua boca e gritou... Gritou... GRITOU!!!
  "Como eles ousam querer ter uma outra garotinha se nem mesmo cuidam de mim? Eles querem me trocar?”
  Ela gritou novamente. E quanto mais longo era seu grito e mais alto ele ficava, Sr. Maluquinho crescia, e ficava mais feio e assustador. Ele ficou tão alto que quebrou o teto da casa, mas mesmo assim Emily não parou de gritar.
  Com prazer Sr. Maluquinho realizou a revanche que Emilio havia desejado a taaaanto tempo atrás. "CRACK"! Ele arrancou um pedaço da casa e começou a pisotear toda a vizinhança, e matar todas as mães, pais e crianças, que nunca haviam convidado ela pra brincar - e agora até mesmo o carteiro estava morto - "CRASH" sua casa agora estava no chão, e todos aqueles que estavam dentro, não existiam mais.
  Quando a tempestade parou, Emily parou de gritar e Sr. Maluquinho voltou a ficar pequenino e fofo. Emily sentou-se no que sobrará do chão do seu quaro, e olhou pra céu. Lá ela viu a mesma estrela que tinha visto há tanto tempo atrás, olhou pra estrela e desejou... Desejou... DESEJOU!!! Ela disse:
  Por favor... POR FAAAAAAAAAAAVOOOOR!! E então a meia noite, talvez alguns segundos depois, a mesma luz fantasmagórica atingiu Emily e Sr. Maluquinho, que desapareceram no ar, até não sobrar nada. Eles nunca mais foram vistos.
  Mas em noites frias e com vento, se você ficar bem quietinho, consegue ouvir alguém implorando...

  Por favooorr.............. Por favor....
Sweet Poison
Enviado por Sweet Poison em 07/07/2006
Reeditado em 13/02/2008
Código do texto: T189616
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sweet Poison
Alemanha, 25 anos
10 textos (1026 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:45)
Sweet Poison