Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Insólita descoberta

— Temo que seja uma montanha extremamente íngreme.
— Por quê diz isso?
— Há excessos de massa acumulada de tons claros que agrupam-se em padrões de textura de rocha escura com pouca variação.
— Mas você acha que desperdiçariam todo esse acúmulo de massa para concentrar volume em uma montanha? ... somente isso?
— Espero que não. Mas assim que ganharmos mais espaço que permita uma manobra de ampliação do campo visual, certamente ampliaremos também a nossa percepção. Enquanto isso não acontece, vamos aplicar o deslocamento lateral.
— Hei...tem certeza que estamos sós por aqui?
— Fique tranquilo, relaxa. Parece até que é a primeira vez. E depois estamos praticamente mimetizados nesta imensa estrutura. Com o tempo de vôo que você tem ao meu lado já era pra ter adquirido a devida calma que é a marca indefectível dos grandes manobristas. Por falar nisso, acho bom você aumentar um pouco mais a distância entre nós por precaução. Sabe o que pode ocasionar o excesso de vibração quando se está muito próximo.
— Está bem...está bem. Veja! Uma superfície onde predomina o alaranjado! Que fantástico!
— Calma. Faça um ligeiro deslocamento à esquerda enquanto me fixo nesta parte mais escura.
— Vejo uma diminuição gradual do laranja para o amarelo com tons muito variados mas uniformes dentro desse espectro.
— Ok, vamos nos deter nessa área que parece ser a de maior abrangência. São incríveis esses padrões fortemente demarcados. Quem foi o autor disso tudo... meu Deus?
— Estou com aquela sensação...
— Sim... e o que você acha?
— É simplesmente revolucionário... nunca ví nada que expressa-se tanto vigor insólito. Chega a ser etérico...
— Sim...sim, mas...qual a procedência? Você sabe afinal?
— Não tenho mais dúvidas, só pode ser...
— Vamos sair daqui rápido! Algo se aproxima com uma luz muito forte...vamos vamos!

Com manobras rápidas e ousadas em ângulos quase impossíveis, disparam em vôo errante a procura de proteção.

Ouve-se vozes de som familiar:

— Pegue com cuidado. Não faz idéia do valor dessa obra.
— Segure na base e no alto que eu faço o mesmo deste lado.
— Ainda bem que é o último lote de valor pra embarcar no trem. Hitler detestaria que obras como esta de Van Gogh ficasse tanto tempo exposta às moscas.
— Ah, ah...exposta às moscas... essa foi mesmo muito boa...
leandro Soriano
Enviado por leandro Soriano em 02/09/2007
Reeditado em 03/09/2007
Código do texto: T635946
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
leandro Soriano
Santos - São Paulo - Brasil, 60 anos
199 textos (8625 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 06:59)
leandro Soriano