Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Dívida

Telefone soa. Atende no terceiro toque.
- Alô?
- A Soraia está?
- Tá na Igreja.
- Que horas esta piranha volta?
- Mais respeito, dona! Aqui é o marido dela.
- Então o senhor diz pra ela me pagar o que deve! Não trabalho na zona, pra ganhar dinheiro fácil!
- Te deve o quê?
- Noventa reais, pelas três fantasias.
- Que fantasias? Minha esposa detesta carnaval, é crente! Você deve tá confundido minha mulher com outra Soraia!
- É esse número mesmo! Quer me enrolar, seu filho da puta? Quero meus noventa contos pelas fantasias de enfermeira, polícial e estudante! Se essa puta não me pagar até sexta, eu vou na porta dela e armo um escândalo!
- Vai se fudê! Mulher doida!
Desligou. Pensamentos atordoados zuniam em sua cabeça. Foi ao quarto do casal procurar as fantasias. Ouviu a chave da porta principal girar. Voltou à sala. Transpirava.
- Chegou cedo, querido.
- Onde você estava?
- Na igreja, onde mais?
- Na sua igreja tem escola, hospital ou delegacia?
- Quê?
Três facadas no peito. Uma por cada vestimenta erótica.






Lameque
Enviado por Lameque em 13/11/2007
Reeditado em 26/11/2007
Código do texto: T735588

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Lameque). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lameque
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
90 textos (37993 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 14:57)
Lameque