Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LOUREN E O RESGATE DO VELHO FORASTEIRO HERRY CAP II e III

Esta é uma continuação da história "do Velho forasteiro"

CAPÍTULO II

Louren , depois de 2 meses ficou sabendo que o velho Harry e seus filhos Paul, John e Matis, havia caído na malha da justiça. Agora, que Louren, depois de quase dez anos de lutas, sozinha na vida, conseguiu com o trabalho duro no Rancho, de onde jamais saiu, pois, não tinha pra onde ir, embrenhou nos campos, fez lavouras, pastagens e com o pouco que tinha na época juntou dinheiro, comprou gado vacum e muares. conseguiu ao longo dos anos estabelecer um comércio lícito de venda de cavalos e mulas, para os peões da região. Ela, juntamente com o seu novo companheiro Charles, - que apareceu 1 ano após Herry  e seus filhos terem a abandonado, trabalharam de sol a sol e hoje estão muito bem de situação.

-De seus filhos, ela guarda apenas as boas lembranças, pois, do tempo em que eles eram pequenos, passaram por diversas dificuldade, não tinham muito o que comer, seu pai um tremendo de um ignorante, nunca quiz que os mesmos frequentassem um banco de escolas. O velho Herry, não tinha muita disposição para o trabalho, só acreditava no dinheiro fácil que ganhava jogando "Poquer" com os seus falsos amigos, pois, o dia que tinha dinheiro, frequentava a roda de jogos, mas, quando estava liso, aí era ignorado. Também tinha os costume feio de laçar animal alheio e vendê-lo na cidade próxima, como se fosse seu, era o popular "Ladrão de Cavalos". Isso era furtar. O velho Harry, não valia de nada mesmo. Quando não estava na gandáia com meretrizes, bebendo e fumando sem parar, estava de olho no olheio.

-Louren recebeu notícias da cidade, surpreendentemente ela abre o bilhete e lê pausadamente, pois, não tinha muito dom da leitura e os anos de lutas a deixou à margem da cultura. Vivia num escuro cultural incrível e sem chances para sair. O que mais lhe valia era agora o seu poder econômico, que era a sua sustentação moral na cidade. A velha Louren, conseguiu angariar um bom dinheiro, mas nem os seus filhos e nem seu ex-Herry que a abandonou a quase 10 anos , não tinha conhecimento disso. O seu atual companheiro Charles, era um homem educado, não era da redondeza, mas..

- UM ANO APÓS A PARTIDA DE HERRY E SEUS TRES FILHOS

- Certo dia, quando pediu pouso de madrugada a uns 9 anos atrás no Rancho da velha Louren, quando viajava fazendo mascates, pois, era vendedor de bugigangas , ficou encantado pela maneira com que Louren o recebeu.

-A Velha Louren, estava só no seu Rancho, pois, seus filhos já haviam abandonado a casa e levado consigo os três animais que ainda lhe restavam. Eram três mulas pretas, mais de sete palmos de altura, lindos animais e fortes. Pois , levaram e nunca mais apareceram no Rancho.

-Diante da situação Louren, ao ouvir o "toc toc" na porta, acendeu o Lampião, olhou pela fresta da janela e conseguiu ver apenas a silhueta do rapaz que ainda continuava sem apear do seu cavalo branco, bem arreado. - ela pega a sua "Fellow Back" e aponta para fora em direção ao moço, que quase se borrou de tanto medo, achando que aquele era o seu último suspiro, pois, a velha Louren abre a porta do Rancho, com a espingarga numa das mãos e com o Lampião levantado acima de sua cabeça e já perguntando: "O que voce procura forasteiro e seja lá o que for, aqui não tem nada pra voce e vá dando o fora agora mesmo".

-O moço, sem uma gota de sangue na cara, apenas lhe pergunta se poderia passar a noite em sua propriedade, e diz: "Pode ser até lá no Paiol, não tem problema".

-Louren, para, pensa um pouco, manda que ele desapeie do cavalo, diz: para que entre no seu Rancho, e logo entre conversas e mais conversas, ela descobre que o sujeito era um solteirão. De ambas as partes o momento estava propício a um romance, pois, Louren estava a muito tempo na seca, e o forasteiro Charles, nem se sabe a quanto tempo não via uma linda garota. Louren, estava com seus 40 anos, mas, muito bem  cuidada, ainda mais que naquela época já conseguia ganhar um dinheirinho e de  vez em quando , dava um pulinho na cidade mais próxima e de lá trazia muitas coisas, roupas novas, perfumes, adornos em geral etc...Charles, que era um galanteador, pede licença e vai até o seu cavalo que continuava arreiado e continuava amarrado na estaca do curral e junto aos seus apetrechos, tinha uma mala onde carregava suas bojigangas. Na mala tinha peças de roupas novas , para homens e para mulheres e também carregava consigo bebidas quentes. Ele a presentea com um conjunto de Langerie, a qual ficou muito satisfeita. Naquela mesma noite Louren não resiste e veste-a, como se estivesse se lembrando dos velhos tempos com o velho forasteiro Herry, que na época ainda era jovem e ela se vestia com uma dessa peças vermelhas, pois, ali encontravam o clima perfeito para uma noite de muitos beijos e abraços.

-Louren ainda nesse mesmo tempo, pergunta ao forasteiro Charles, se gostaria de comer algo, pois, se quizesse ela iria preparar. Ele aceita e fica à espera na pequena sala. Louren como estava só, diz ao jovem Charles que se aproxegue até onde ela preparar as refeições. Charles não vacila e entra na cozinha, já com uma garrafa de run. Oferece a Louren, ela aceita e tomam este run conversando na pequena mesa, onde de tão pequena, que eles ficam muito próximos, e já com os nervos à flor da pele, colaborado pelo calor da bebida, Charles deixa o copo cair, mas, como era de um alumínio grosso, não tinha perigo de se quebrar, mas , ao se abaixar toca levemente o braço de Louren, ela já não controlava mais seus ímpetos e naquela de horror, sentiu uma atração forte por Charles. Tomam mais uma talagada simultaneamente e os olhos de Louren e Charles estão avermelhados pelo reflexo do fogo que vem do fogão a lenha e o velho Lampião.

-Louren, consegue controlar e passa adiante a fase, chama-o para comer o que havia preparado; Ela serviu um arroz com carne seca, ovos frigidos e purê de batatas. Naquela hora, não havia mais nada, pois, já era tarde e ela precisava dormir um pouco, pois, o dia prometia  e tinha muita coisa no rancho pra fazer.

-Charles, depois de fazer este galanteio, e jantar, tomar o seu run pede a Louren que se ela permitisse, gostaria de ir dormir lá no Paiol. ela imediatamente disse que não, pois, no outro quarto que fica ao lado do seu tem uma cama de solteiro e se ele quizesse poderia dormir lá. Charles aceitou, ela lhe deu as roupas de cama e até um travesseuiro novo. - Ele parecia estar meio alterado pela bebida e aparentava muito sono. - Ela estava muito esperta, cheia de calor , pois a bebida havia mexido com algo muito escondido há anos...

-Louren também foi para seu quarto e ainda vestida com a Langerie dada por Charles, apagou o seu Lampeão, deitou-se na velha cama de casal que ainda mantinha, pois, faziam 2 anos que  Herry havia sumido de casa e de lá para cá, ninguém havia dividido esse velha cama com ela, tentou de todas as formas pegar no sono, e rolava de um lado para o outro e nada de conseguir dormir. De repente ela ouve uns barulhos  e estes vinham do quarto vizinho, e Charles se mexia bastante por cima daquele velho catre, que de tão velho e se alguém usa-lo, rangia bastante. - Charles estava com a lamparina  ainda acesa e com o querosene quase no final, mas ainda podia se ver algo. Louren se levanta e vai expiar o que estava acontecendo e pela fresta da porta, pois a porta era bastante rústica e foi construida de tábuas uma a outra sem qualquer encaixe, poderia dessa forma se ver por entre as frestas, o que se passava do outro lado. -Louren observava Charles, que estava semi nú, deitado de barriga para cima ela não deixa de observar a sua protuberância escultural. Ela, que estava a quase 2 anos sem ter qualquer contato com alguém, se via na possibilidade emergente de que algo pudesse acontecer em breve.
De repente Charles se movimenta e o lençol cai ao chão e desta vez Louren que ainda observava viu tudo o que estava por debaixo dos lençois, ela não acredita no que vê, se espanta e corre para seu quarto e começa a rezar, se deita e tenta dormir, pois, seria muito apressado nesse momento qualquer tentativa de açodamento da relações. -Louren entende que seria bem melhor deixar as coisas acontecerem naturalmente, pois, correria o risco de causar uma má impressão em Charles. Na realidade Louren estava passando por um momento muito difícil de socialização, pois, há muito não mantinha contato com homens e pensou que este momento talvez pudesse ficar para outra ocasião. Coisas de sua cabeça mesmo.

- Amanhece o dia, Louren, cuida das coisas do dia a dia, enquanto percebe que Charles, já não se encontra há muito na cama. - Uma voltinha pelo quintal e percebe que Charles está lá nos fundos, por onde passa um riacho de águas bem claras. Ele está tomando banho completamente nú. -Louren fica à espreita pela moita e valoriza toda aquela cena, mas, não aparece em momento algum. Nessas alturas, Louren já conhece mais de Charles do que ele dela. Charles, um rapaz que conta com seus 35 anos, ou seja, 5 anos mais moço do que Louren, corpão muito bem definido e isto desperta uma admiração muito grande por parte de Louren.

-Louren, se afasta e deixa que ele se vista completamente e depois aparece chamando por ele, como se não estivesse antes por alí. Ele conversam muito entre si, mas , nada que ficasse relatado, são conversas indistintas.

-Nesse momento, Louren convida-o para tomar café, pois, já são 6 horas da manhã e já está tudo pronto, ela pergunta a ele se dormiu bem, ele responde que sim, muito bem. Seguem para o Rancho e vão tomar café.

-Charles termina seu café, agradece muito a Louren e diz que precisa fazer mais visitas na redondeza. Louren interrompe e diz: Voce pode ir, mas, espero voce para o jantar. Ele, fica sem entender, mas, diz que está tudo bem e aceita.

-Charles parte para mais um dia de trabalho árduo e montado em seu cavalo branco parte sem olhar para trás, nem percebe que Laurem acenava um adeus a ele.

-Para Louren, que já se acostumara com este tipo de cena, tudo parecia normal. Mas, desta vez não parecia tanto, pois, ela estava meio que apaixonada. Se bem que foi apenas uma noite juntos, mas, como ela estava a tanto tempo só, sentiu muita falta de uma companhia, pois, há muito tempo que só se ouvia grunhidos dos animais, relincho de cavalos, mugido dos bois e vacas e canto dos pássaros.

-Tinha que ser agora, mas, se tem que acontecer, que aconteça logo. Ela pensa..É agora ou nunca. Fica aguardando o dia passar, mas, desta vez o dia nunca passava. Louren, nunca foi muito de esperar, mas, desta vez, parece foi longe demais. Lauren estava muito apreensiva e no almoço que preparou, deixou tudo se queimar, deixou o leite derramar, esqueceu o feijão no fogo, virou tudo carvão. "Que diabos aconteceu comigo, Meu "Deus", ela bate na boca tres vezes... Pois estava agora até blasfemando contra Deus... Louren estava mesmo desorientada, mas, seria uma nova paixão que estava por vir? ela nem sabe mesmo o que acontecerá daqui por diante.

-E ela que nunca foi de se prender a pessoas, se prende dessa forma. Que é isto? Diz ela, andando pra lá e pra cá... Lá pelas cinco e meia ou 17:300, ela se vê muito cansada, suada e resolve ir até o riacho. Mas, o "diabos" é que aqui é justamente a única passagem do córrego e Charles, poderá aparecer a qualquer hora.

-Ela despe-se e fica nadando, mergulha-se e fica muito à vontade, nada até se cansar e volta para as margens do corrego, onde existe uma areia muito fina e branca, quase não há mais sol e ela teme alguém aparecer na estrada. O local é ermo, mas, de vez em quando aparece alguém...

- Charles, parece que chegou primeiro e ficou no alto do barranco, por tras dos arbustos e de lá, tinha uma visão muito aproximada de quem quer que estivesse por alí se banhando. Charles pensou, que coisa feia, ficar expiando os outros por detras dos arbustos. Porém, isso não foi motivo para que desistisse da aventura. Ele chegou às 17:20, ficou por alí, e de repente viu quando a dona Louren se aproximava do poço para se banhar. Não quis aparecer de forma alguma assistiu tudo de muito perto, observou todas as curvas de Louren e se encantou, porém sem qualquer barulho se retirou e pós-se a andar devagarinho e se afastou.

-Louren, terminou, olhou para os lados, catou suas vestes e subiu para sua casa, enrolada numa toalha.

-Momento em que Charles saiu da moita , como quem não tinha visto nada, chega até a porta do Rancho e grita uma vez: ô de casa!!!

-Louren espera que ele fale outra vez e aparece na porta, toda arrumada, penteada, de perfume e tudo mais.

-Charles achou ela muito linda e ficou encantado..teceu uns comentários rápidos, mas que parece ter levantado o astral de Louren. Ela muito sorridente diz: "Vamos meu amor, entre eu já lhe esperei demais o dia todo.

-Charles meio acanhado, retira seu chapeu , dá um sapateado na soleira da porta e adentra para a sala, senta-se num velho e grande banco de madeira tipo aroeira e fica por alí à espera de LOUREN , que foi à cozinha buscar-lhe um copo com agua e café. Juntos tomam café, e conversam sobre o dia de cada um. Parece de naquele momento se instala uma relação bastante amiga e com promessas de solidez. Ela quer saber por onde andou, o que conseguir vender etc...

-Charles, que era um ótimo negociante, pois, já se encontrava na estrada a mais de 15 anos, tendo, começado muito cedo na luta pela sobrevivência, diz que estava tudo se encaixando, houveram alguns pedidos, vendas variadas de diversas bugigangas etc.. Para ele a coisa estava ficando boa, ainda que, de agora em diante, tinha onde fazer seu pouso, pois, não precisava mais ter aquela preocupação de chegar mais cedo em uma morada, e pedir pouso. Desta parte estava legal.

-Somente uma coisa o intrigava naquele instante, ele percebe que Louren estava muito propensa a estabelecer uma relação mais duradoura e ele só o conhecia a quase dois dias, mas, ele viu nos olhos arredondados daquela mulher, que parecia lhe dizer algo somente nos olhares. Tinha algo de obsceno, tinha algo de solidão, tinha algo de paixão. Sabe lá o que. A única certeza de Charles no momento era que estava se amarrando a cada passo e como ele era muito escorregadio igual a quiabo, não dava muita brecha para o azar. Ele sabia que, se ele estabelecesse uma relação com Louren, ficaria mais preso e com certeza ela iria lhe pegar alí naquele Rancho e então seria muito difícil ele continuar a sua vida de 'mascate", coisa que ele já vinha praticando há 15 anos. Mas, como ele não tinha família mesmo, continuou por alí e como Louren a tratava muito bem ele resolve estabelece residência. Fazia ainda as suas viagens, mas, o seu Norte era alí. Ali era o seu lugar no planeta, seu endereço no cosmo, digamos assim.

-Louren, não vacilou, arruma a sua janta naquele momento e jantam juntos, pois, era ainda não tinha feito a sua refeição..E à luz de lampião, amarelada, eles jantam, conversam, ele abre uma garrafa de run, outra garrafa" ele aprecia um gole", oferece a Louren, ela aceita. Passam a noite conversando, falam sobre diversos assuntos, fazenda, cavalos, gado, etc...Ele até que entendia um pouco, mas, Louren era fera na coisa, pois, muito cedo resolveu tomar conta sozinha do Rancho...

-Louren olha para o velho relógio na parede e percebe que são 23.30, a noite está quase no final. "eles ainda estavam alí sentados naquele banco de madeira na sala", "Charles segura a mão de Louren e ela aperta as suas mãos e diz a Charles: Eu estou aqui a quase dois anos sem que ninguém me tocasse, voce é o primeiro que aparece depois que meu velho Herry me abandonou. Charles se assusta e pensa consigo mesmo. "será que esta velha senhora está pensando em me amarrar aqui nesse buraco ,  nesse fim de mundo?" "Deus que me livre dessa vida de fazenda, que "é sempre fazendo", roça-se o pasto num mês e daqui a 30 dias tem que roçar tudo de novo. Nossa Senhora, eu vou cascar fora daqui" Este era o que ele pensava...

-Mas, ele estava mesmo enganado com tudo isso. Louren que passava a admirar Charles, pelo jeito muito bem apessoado dele, rapaz, bem vistoso e que tinha um jeitão de ser bom reprodutor. Ela, agora, depois de vê-lo, quase como nasceu, tenta de todas as formas conquistar aquele rapagão arredio e escorregadio de todas as situações embaraçosas. -Louren, sem mais nem menos, entra em assuntos mais apimentados, passa seu braço nos ombros de Charles e parece que alí começa a esquentar a relação.

-Louren, pede um tempo a Charles, vai até o seu quarto...
Passaram-se uns 15 minutos e nada dela voltar. Charles ficou curioso e como, para ir até o seu quarto, pelo corredor do velho Rancho, precisava passar em frente ao quarto de Loren, ele se anima e se levanta do velho banco e sai em direção ao seu quarto. Mas, para surpresa sua, quando passava, olhou para o quarto de Louren e a viu deitada de barriga para cima e com as vestes que ele havia dado a ela dois dias antes. Estava meio escuro pois, o Lampião não tinha uma luz muito forte, mas, mesmo assim ele percebe aquele escultural corpo , mas, passa direto. Nesse mesmo instante ouve-se um psiu!!!, ele percebe que vêm do quarto , mas, ele mal tinha chegado no seu quarto, e ouviu-se um novo psiu!!!. Mio alterado pelo run que havia bebido minutos antes, pensou estar ouvindo demais...Deitou-se e ali ficou mais uns 5 minutos, até que Louren aparece em sua porta e lhe indaga se a cama dele estava muito macia, ou se não estivesse poderia ir para a cama dela. -ela foi na frente e ficou ali aguardando Charles... Ele, estava até gostando dela, mas, viu-se numa situação bastante difícil, pois, alí estava um paradoxo, pois, ele era uma pessoa temente a Deus, religioso de criação, pois, toda a família era católica todos muito bem casados e sabia que aquilo alí seria um adultério, pois ele era solteiro, mas ela era separada, não se sabe qual a situação dela, mas, a certeza é que ela não era viúva, pois, se assim fosse estaria bem mais fácil.

-Pelo jeito Louren teve que esfriar a cuca, pois, naquela noite, Charles, ainda não teve coragem de bulir com nada em Louren, mesmo porque aquilo não era o que pensava e com certeza, pelas andanças deles, deve ter deixado alguém em algum lugar qualquer, que fosse uma menininha bem mais nova. Realmente, Charles havia conhecido uma garota de 20 anos, e ela é uma menina muito linda e que está estudando, faz Medicina na Capital e se chama Vera.

-Charles, ao amanhecer o dia, chega em Louren, que está um pouco aborrecida de cara ruim para ele, chegar até Charles e abre logo o jogo, "Isto foi antes do café da manha" Charles, voce está mexendo demais comigo, mas, não estou suportando a sua frieza, e pergunta: O que está acontecendo contigo, Qual é a sua? Não gosta da fruta?...
Ele interrompe imediatamente a velha Louren e esbraveja, peraí, dona Louren, o que é isto agora, voce está querendo forçar uma relação? Eu tenho também meus problemas e meus princípios e acho que isto não está certo. Não tente voce querer me dominar, eu sou livre, eu não tenho obrigação de ficar aqui, mas, se voce pensa que irá me conquistar dessa forma, está enganada. -Ele sem querer fala que tem namorada.

-Louren , de repente fica branca de raiva e pega suas coisas e pede para que ele vá embora, pois, já estava muito acostumada com esse tipo de pessoa que vem, fica uns dias, se aproveita e depois , vai embora...

-Mas, Charles, argumenta e diz: Mas Louren, é voce quem está forçando a barra e eu tenho resistido, em razão de ter um compromisso com alguém e tenho dessa forma respeitado a ausência dessa pessoa, mas, que tem me ajudado bastante até...Preciso me encontrar com Vera e assim poderemos ver se resolveremos a situação. Meu namoro com ela, já vem de longas datas, eu não disse no início, lhe disse que era solteiro, na realidade sou, mas, é que existe a Vera, uma namorada que mora em outra cidade e é uma estudante de Medicina. Na realidade tem algum tempo que não a vejo, mas sempre me comunico por cartas, telegramas, dá forma que for possível.

-Charles tenta contornar a situação, diz para que ela se acalme, pois, logo ela irá entender a sua posição.

-Louren, agora, já está mais calma e pede desculpas pelo acorrido e diz estar arrependida de ter estourado com ele. – Ele achou um pouco grosseira, mas, entendeu, pois, Louren estava há muito tempo ali e que tenha pra fazer, era só trabalho e nada mais.

-Louren, se acalma e se arrepende e pega de volta a suas coisas e coloca lá no quarto de Charles. Tudo está normal, mas, achou estranho aquele comportamento explosivo, porém, acha que foi a bebida que alterou um pouco o seu estado letárgico, digamos assim.

-Louren, chama Charles para que fique para o almoço, que já estava quase pronto, ambos almoçam juntos e depois do almoço vão descansar um pouco, pois Charles precisa pegar a estrada, mas, não sabe agora nem o dia e nem a hora de voltar.

-Na saída, aquela mesma cena, só que dessa vez Charles dá uma pequena olhada para traz, momento em que o seu chapéu caiu, Louren corre para pegá-lo e entregá-lo em suas mãos, mas, Charles foi mais rápido e desceu do seu Alazão, Louren chega ofegante perto e abraça Charles e rouba-lhe um longo beijo. – Por pouco Charles atrasa a sua viagem. Perto das 13:00 horas, com o tempo meio fechado, mas, parecia que ainda não ia chover. Dessa vez, foi somente o beijo, mas, ele logo percebe que Louren estava mesmo se amarrando a cada dia. – Charles se vira para ela e a conforta, “fique tranqüila, eu vou fazer umas cinco ou seis visitas, vou até a cidade e compro as mercadorias que preciso e dentro de dois dias estarei de volta. – Louren, diz:está tudo bem, mas, volte logo mesmo, eu estarei à sua espera.

- Charles partiu sentido leste, de onde está vindo a chuva, mas, acha que dá tempo de chegar na primeira casa mais próxima, se despede e vai embora.

-Louren volta para seu Rancho e fica de lá, olhando para o caminho que Charles fez e enquanto a última imagem se desfaz lá estava ela observando. Ela muito pensativa, vê que está levando mesmo uma vida muito solitária e pretende mudar isto a qualquer custo.

-Dois dias se passaram, Louren se encontra na labuta junto ao gado, são 16:00, ela já está cansada, mas o gado precisar ser apartado, pois, senão, não terá como fabricar os derivados do leite. Ela é uma super dona de casa, uma super fazendeira mesmo, trabalha em qualquer função dentro de uma fazenda. Mas, ela já consegue se virar e dá conta do recado. Ela passa a vista pelo relógio da sala e percebe que são quase 18:00 horas, mas, ainda dá tempo de correr para o poço e dar um mergulho gostoso. Foi o que ela fez. Mas, foi muito rápido, pois, uma ventania anunciava uma tempestade de raios, trovões, ela olha para a serra e vê que tudo já escureceu, o vento já estava gelado, sinal de que a chuva estava bem próxima. Ela corre com as suas roupas, pois, os pingos bem finos na água diziam que a chuva estava chegando. A distância do córrego até o seu Rancho era de aproximadamente uns 900 metros , não mais do que isto. Ela corre disparadamente e quase toma outro banho, só que desta vez, bem gelado, pois a chuva estava bem próxima. Foi o prazo dela adentrar em seu Rancho e as chuvas tornarem-se bem fortes e muitos ventos.

-A chuva é muito bem-vinda no campo, pois, com ela, tudo renasce, as flores, o capim, as árvores ficam mais verdes, o vento é mais úmido e até o canto dos pássaros são mais alegres.

-Louren, como de rotina, mas, na realidade, na roça não tem rotina, cada dia é um novo dia, serviços diversos aparecem e assim a vida passa. Ela, como já estava bem cansada, e ao tomar esse banho, passou um cafezinho, trocou-se de roupas novas e limpas e bem passadas. Ela vestia um vestido vermelho, muito bonito e longo, perfumou-se e sentou-se no velho banco de aroeira que fica na sala e ficou a avistar o caminho. Pois, somente por ali poderia chegar alguém, a não ser que enfrente a mata fechada, coisa que achava  impossível alguém fazer....

-Louren é mesmo uma pessoa persistente. E ainda na penumbra da noite, observa um ponto branco se deslocando no horizonte, parecia ser o cavalo de Charles, o ponto esta se aproximando lentamente. Ela se levanta vai até a porta e percebe que era mesmo o seu cavalo e Charles se aproximava a cada passo. O galope do cavalo era mais lento, pois, tinha andado o dia todo e parecia estar meio frouxo.

-Louren toda animada, vai lá fora recepcioná-lo. Mas, como percebe que ele está muito cansado, aguarda que ele entre e depois conversam.


CAPÍTULO III

A VOLTA DE CHARLES


- Charles, chega de sua viagem e tem muitas novidades, inclusive passa um verdadeiro relatório de viagem. Louren escuta tudo muito calada. Ele relata, que nestas andanças teve oportunidade de falar com Vera, pessoa até então desconhecida de Louren, uma antiga conhecida e que teve um casinho com a mesma a tempos atrás. Uma espécie de relacionamento, que teve duração de 3 anos, pelo menos enquanto estavam na mesma cidade. Posteriormente, Vera submeteu-se a um concurso vestibular em outra cidade e por sorte, foi aprovada no curso de Medicina e está hoje no 3º ano. Ela está muito bem e parece que o curso está sendo muito bem aproveitado e com perspectivas de formatura dentro de 3 anos, se tudo correr bem.

-Mas, a notícia mais importante que Charles traz a Louren, é que ele não tem mais nada com Vera, pois, inclusive ela está com um novo namorado. E também Vera está com outros planos para a sua vida.

-Charles, pelo fato de viajar muito, não tinha dado muita assistência familiar e por isso e em razão disso, acharam por bem, ou melhor, deveriam dar um tempo, pois, Vera está muito atarefada e Charles, também anda muito ocupado com as suas andanças, viagens etc...” O seu trabalho em si já lhe toma muito tempo, pois, precisa fazer muitas visistas pelas diversas regiões e isto tem lhe rendido ausências importantes no relacionamentos. Estas ausências são fundamentais na má manutenção desse relacionamento.

-Vera, tem reclamado muito e agora chegou a hora e não deu mais para continuar e o desgaste se tornou uma coisa visível, o resultado é que o relacionamento enfim acabou...

-De sorte que, Charles traz estas novas para Louren.
-Louren, não diz nada ainda e fica somente ouvindo Clarles, que pelo seu semblante, não estava muito satisfeito com aquela nova situação, porém, ele está maduro, sereno e bastante conformado, pois, ele entende que foi um pouco responsável pelos acontecimentos. Pelo fato de que o relacionamento entre eles, Ele e Vera, foi esfriando dia após dia e em conseqüência, havendo a estagnação daquele clima romântico, feliz etc...

-Louren, está mais confiante agora, pois, sabendo dessa nova situação de Charles, e de agora em diante fará tudo o que for necessário para definitivamente conquistar Charles e fazer com que ele possa, de fato residir no Rancho. Ela sabe que será muito difícil fazer com que Charles tome consciência de tudo o que possa ser feito em prol dessa nova tarefa. Louren observa Charles e tira uma espécie de mapa dele, sem que ele perceba, ela vê uma perspectiva de melhoras, principalmente, se Charles fixar residência em seu Rancho, pois, assim serão dois e não apenas um para cuidar de tudo.Mas, ela ainda não fez a proposta para Charles, pois, teme assustá-lo e gostaria que isto acontecesse naturalmente. Louren, não esconde nem um pouco a empolgação desde que Charles retornou  , e agora acha que as coisas irão se encaixarem.

Louren espera que a poeira se assente , e após saber que Charles pretende ficar uma semana no Rancho para descansar, prefere aguardar mais uns dias e depois conversa direitinho com Charles sobre a sua pretensão...

-Louren calmamente após uma semana chega até Charles e entre um diálogo franco, explica os seus planos para o futuro, pois, pretende expandir os negócios no Rancho e de agora em diante espera firmemente a sua participação em tudo o que acontecer por ali. Instalam uma espécie de sociedade, maneira pela Louren espera segurar Charles pelas redondezas. Charles , como tem uma visão ampliada dos negócios, vê uma grande possibilidade de que esse novo empreendimento, pois, Louren havia lhe dito que a criação de muares era a solução para os problemas, pois, pastagens tinham de sobra, bastante aguadas, clima muito favorável etc...

- Charles, muito animado aceita a proposta de sociedade, já que ele possui uma boa quantia em dinheiro, propõe mais. Ele pretende se associar a Louren também no próprio Rancho, comprando a metade de tudo o que existe ali, como se dizem, de porteira fechada. Mas, como só se tratava da metade dos bens, o termo não ficou completo.

-Louren, está muito interessada e aceita a proposta, pois, com o dinheiro que Charles está entrando, poderá comprar as matrizes e um reprodutor. Quanto às instalações, precisam de uma reforma, mas, não muito grande, até porque ela entende que, quanto menos gastar agora, melhor sobrará para o investimento.

-Um mês se passou. Agora Charles já está acostumado ao ritmo do Rancho e está levando de acordo com suas forças. Louren ainda está por cima, dando as orientações necessárias, pois, Charles não tinha muita experiência no ramo, mas, muito inteligente aprende fácil.

-Na mesma semana, ainda no final, eles fazem uma viagem juntos, cada um em seu cavalo e vão até uma estância que ficava a uns 60 quilômetros de distância, mas , a estrada era boa e o tempo estava ótimo. Eles viajaram durante 3 dias, mas chegaram bem. Entraram em  contato com o fazendeiro James, que também era criador de muares. James era um negociante de animais, o seu negócio era totalmente lícito e as criações eram próprias e os animais tinham até registro de nascimento etc. Digamos que eles possuíam Pedgree. Pelo fato de possuírem um pedgree, os animais, eram vacinados rotineiramente, para que evitassem contaminação e não se misturavam com outros animais de outra fazendas...

- James era um senhor de seus 60 anos, mas, estava muito bem fisicamente, pois, além de sua labuta diária, ainda mantém em sua propriedade, uma espécie de turismo ecológico, influência de uma de suas filhas.

Louren e Charles chegam na fazenda, após 3 dias de viagem, praticamente exaustos. Louren conhecia muito bem o Sr. James, porém, Charles não o conhecia e surpreendentemente fica sabendo, quando James relata sobre sua família e cita nomes e quando James diz que Vera, que está cursando Medicina na Capital é sua filha, Charles quase não acredita, mas, como pensou que poderia causar constrangimento nada disse, preferiu ficar em silêncio, mas, ficou muito preocupado, pois, se Louren pelo menos sonhar que Vera  foi sua namorada, tudo poderia dar errado. E naquela hora, era tudo o que ele não queria que acontecesse, pois, o rítmo das negociações estavam no pico máximo e isto determinaria muita coisa em sua vida.

- De certa forma, Charles, faz de conta que não sabe de nada e deixa que as coisas aconteçam ao seu tempo.

-James está com uma fazenda muito bem tratada, com criações de gado, cavalos e muares. Eles conversam entre si e Louren, que está decidindo em adquirir pelo menos 50 cabeças agora de potros e mulas já de 2 anos de idade, além de levar um  cavalo reprodutor, para que o início do negócio seja alavancado. Fecha um bom negócio, onde Charles e Louren dividem as despesas. Charles pensa consigo, ‘De agora em diante nunca mais ficarei assim dessa forma girando o mundo atrás de dinheiro, aqui estarei para fazer minha vida’.

-De certa forma a vida deles agora estará bem melhor, pois, com essa criação de animais, pra início já está bom.
James  ficou muito contente com a venda, pois, foi em dinheiro em espécie, e já se arruma pra ir até a Capital, pois, lá irá ver sua filha Vera e levar os produtos da fazenda, queijo, leite, requeijão, ovos caipira etc.. Vera adora os produtos fresquinhos que seu pai James leva... James levará dinheiro para custear o seu curso de Medicina, que não é tão barato. Ele parte em dois dias para a capital.

-Louren e Charles, partem com a manada, acompanhada ainda de um peão da fazenda de James, que ficou encarregado de guiar a tropa. Reúnem os animais e partem no dia seguinte às 16:00 horas.Pegam o caminho de volta, ainda contam com o tempo, pois, o céu está completamente azul e sem nenhuma nuvem. O percurso de 60 km, é relativamente longo para os animais, porém, eles não tem a mínima pressa, acham que irão gastar uns 4 dias , pois, não é bom forçá-lo, pois, poderia correr o risco de perder algum deles, sem contar que dentre os animais adquiridos existiam aquelas que estavam prenhas e assim sendo, teriam que diminuir a marcha. A estrada é muito boa, tendo várias passagens laterais às pontes, onde os animais se abastecem bebendo água à vontade. Pelo menos passaram por uma 8 a 10 pontes, mas sem problemas. Onde não existem as pontes, foram construídos mata-burros, que são passagens construídas com madeiras roliças e de espaçamento, de forma que qualquer animal se recusa passar. E, se tentarem passar poderão, quebrar a perna ou até morrer numa dessas passagens... Mas, foi tudo bem a viagem, chegaram no Rancho.

-Longos meses se passaram...

Louren e Charles estão agora mais do que nunca, muito empolgados com as criações e das cinquentas cabeças, agora são noventa, pois, no lote em que compraram, tinham 40 prenhas e a tropa está crescendo a cada dia.

Louren agora já está morando com Charles sob o mesmo teto e há muito isto acontece. Estão dividindo a mesma cama...

-Charles, ainda tem uma vontade, de ser doutor. Não perde tempo, enquanto está de folga, volta aos seus estudos, agora, como já concluiu o 2º grau, ele pensa em fazer um concurso vestibular. Ele pretende o curso de direito. Quer ser um advogado. O dia esperado chega, o resultado do concurso sai, ele está aprovado. Traz a notícia a Louren, ela está muito contente com esta notícia, pois, ela imagina, “estou aqui com essa pessoa, acostumada a ser livre, andar por onde quer. Que seja assim. Ela dá os parabéns a Charles e comemoram juntos. Abrem mais uma garrafa de Run e passam a noite toda tomando drinks. Já estão bastante alterados, resolvem que está na hora de dormirem. Eles passam uma noite ótima.

Alguns dias se passaram...

-Certo dia Louren se levanta e está passando mal... descobre através de um médico que passou pela propriedade que está esperando um filho de Charles.. Charles não vê a hora de poder ver aquela carinha de bebê. Está bastante empolgado, pois, não tem nenhum filho e isto , para ele está sendo o melhor presente de Deus.Louren não esconde a satisfação em estar carregando aquela criança.

-Louren está segura do que irá lhe acontecer, pois, com a empolgação de Charles, ela acha que agora chegou definitivamente onde estava querendo. Foi meio traiçoeira essa gravidez, porém, ambos estão felizes. Louren  agora precisa de parar um pouco nas atividades, pelo menos diminuir, pois, a criança não pode sofrer qualquer risco e a lida de fazenda demanda muito agilidade e força, coisa que será impeditivo de agora em diante. Pelo menos momentaneamente.

- Charles agora está mais do que nunca muito empenhado no curso de direito e divide o seu tempo entre o Rancho e a Faculdade. Está tudo bem e ele está gostando muito do curso. A distância é relativamente pequena entre o Rancho e a cidade onde está estudando, dá até pra ir e vir todo dia. Charles chega no Rancho por voltas das 23.30, mas, está tudo bem. Este primeiro ano está sendo maravilhoso para ele. Está se dedicando bastante.

-Nasce o filho de Loren e Charles, eles resolvem colocar o nome de SEAN, bonito nome. Sean cresce saudável, forte e muito inteligente.

- Os anos passaram-se muito rápidos mesmo. Charles está cursando o 2º ano de direito e até está agora fazendo um estágio no Fórum da cidade onde estuda. O pessoal gosta muito de Charles, pois, é pessoa muito dedicada, se esforça muito, é bastante inteligente e tem aproveitado bastante o seu tempo.

 Sean hoje conta com 3 anos, está a cada dia mais levado e traquina. Charles sempre que chega da Faculdade, dá uma olhadinha no quarto de Sean, mas, o mesmo está no sono profundo e Charles apenas observa, cobre o filho e vai dormir. Nestas alturas Louren já está em seu 2º sono, mas, sempre que Charles chega ela precisa se levantar e abrir a porta, pois, ela teme que Charles perca a chave e alguém possa encontrá-la. Coisas de gente segura mesmo. Mas, é o sistema que encontraram para facilitar o acesso no Rancho. Charles nunca se incomodou com isto e até então vinha fazendo assim.

-Alguns anos se passaram e chegou o grande dia, Charles irá se formar,  Sean tem 5 anos de idade, e também poderá participar da formatura na cidade.

-Hoje é sem dúvidas um dia de muitas festas, a turma de Charles está promovendo um grande baile de formatura, que será no próximo sábado, mas, os preparativos estão sendo realizados há meses...

-Enfim chega o grande dia, Charles, está com uma beca toda preta, Louren não esconde a satisfação, pois, ela também tem parte naquela realização, foi muito trabalho de sol a sol e hoje felizmente, está sendo um belo dia. Antes de tudo será realizada uma missa na Catedral, onde Charles, Louren e Sean estarão dando graças a Deus por tudo o que está acontecendo.

-Tudo isto aconteceu no período em que Harry e seus três filhos Paul, Jonh e Matis estiveram ausente, dez anos se passaram.

CONTINUA NO CAPÍTULO IV
 
eliasjoao
Enviado por eliasjoao em 05/11/2007
Reeditado em 27/11/2007
Código do texto: T724700
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
eliasjoao
Palmas - Tocantins - Brasil
532 textos (45153 leituras)
5 e-livros (178 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 06:31)
eliasjoao