Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NÃO HÁ FORÇA QUE POSSA DESTRUIR // A QUEM DEUS ESCOLHEU PARA VENCER!!!

                                         NOTA
O lindo mote abaixo está sendo debatido entre poetas na comunidade "PROJETO CORDEL" no Orkut, em determinado momento expressei a minha opinião sincera sobre religiosidade por acreditar plenamente em Deus mas sem ter nenhum seguimento religioso, quando o poeta Ivan me atacou duramente querendo impor que seguisse o que ele determinava e achava que era correto. Por isso quero deixar esclarecido ao poeta Ivan citado no poema abaixo, e a todos os leitores que não tenho nada contra qualquer religião pois acho que todos têm livre arbítrio para seguir o que bem entender. Fraterno abraço,

                                Carlos Aires.

NÃO HÁ FORÇA QUE POSSA DESTRUIR
A QUEM DEUS ESCOLHEU PARA VENCER!!!

(Mote de Joselice Lopes)
(Glosas Carlos Aires)

Quando o Sumo Supremo determina
E escolhe alguém pra vencedor
Dá coragem talento e pudor
Lhe orienta, lhe guia e lhe ensina
Sua força invencível predomina
A tendência é aumentar, e só crescer
O projeto que for desenvolver
Não decresce só faz evoluir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

E o ser que por Deus foi escolhido
Pra vencer, a maldade não corrói
Tempestade e tormenta não destrói
Do Divino é sempre protegido
Tem seu tempo de vida bem vivido
E a bonança vai sempre merecer
Desfrutar os prazeres do viver
Com a vida feliz sempre a sorrir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Não precisa de falsas orações
Nem pastores nem Papa ou Cardeais
Pra que alcance as graças Divinais
Não carece de tantas discussões
Terem certeza de Deus nos corações
Se com fé um pedido for fazer
Nem precisa da Bíblia esclarecer
Você mesmo bem sabe o que pedir
Não há nada que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Seguidores da bíblia fazem escudo
Nesse livro não sei por que razão
E não vêem que há contradição
Em capítulos versículos quase tudo
Não conhecem sequer o conteúdo
Saem aos montes querendo convencer
Que se o livro “sagrado” ninguém ler
Pra o inferno irão ao sucumbir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Caro Ivan ao ler os versos seus
Eu respeito de mais a sua crença
No meu peito habita e faz presença
Realmente é o verdadeiro Deus
Que protege e que guia os passos meus
Não precisa pastor se intrometer
Nem de bíblia pra nada eu aprender
E sempre alcanço a graça que pedir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

O meu Deus me dá toda proteção
Sem fazer gritaria e nem alarde
Sempre peço que me proteja e guarde
Nas caladas da noite em oração
Me ensina a pedir e dá perdão
Para aquele que possa merecer
Sem que dízimo precise recolher
Dá-me sempre coragem pra subir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Não sou contra qualquer religião
Cada um que escolha sua crença
Mesmo assim sinto forte a presença
De Deus vivo dentro do coração
Que conservo com amor e devoção
Mas preciso um fato esclarecer
O Ivan tentou me repreender
Faz melhor se tentar se corrigir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Nessa vida será um vencedor
Quem pratica o bem sem ver a quem
Quem não olha o próximo com desdém
Quem perdoa deveras sem rancor
Quem conquista as virtudes do amor
Quem domina as regras do saber
Quem consegue ser forte e assim viver
Quem fracassa, mas torna a reagir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Não se curva diante a tempestade
Imponente espera a bonança
Sempre firme austero ele avança
Dando asas a sua liberdade
Faz o bem e pratica a caridade
Quando oferta faz isso com prazer
Ajudando um irmão que está a sofrer
É espontâneo sem nada exigir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Vejo Deus no olhar de uma criança
Na inocência com sua ingenuidade
Vejo Deus em quem faz a caridade
Ao irmão e com isso não se cansa
Vejo Deus em quem traz a esperança
E ajuda a alguém se reerguer
Vejo Deus a quem sabe agradecer
Quando alcança uma graça que pedir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Vejo Deus quando fico a contemplar
Os detalhes da santa natureza
Como um rio na mansa correnteza
Quando segue o caminho para o mar
Ou no brilho tão lindo do luar
Quando o sol no crepúsculo se esconder
Cobre a relva de prata e dá pra ver
Cada estrela brilhante a reluzir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Vejo Deus ao olhar para uma flor
E ver nela o poder da natureza
Contemplar e exaltar sua beleza
Desfrutar seu perfume, seu odor
e quem ama a Deus não vai impor
Nem impedir o que o outro que fazer
Quem tem Deus deve dar ou receber
Sem ditar qual a regra a seguir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer!

Vejo Deus nesses raios do horizonte
Vejo Deus na grandeza desse mar
Vejo Deus quando estou a respirar
Vejo Deus na nascente de uma fonte
Vejo Deus na montanha ou num monte
Vejo Deus num jardim a florescer
Vejo Deus no arrebol do amanhecer
Vejo Deus na criança a sorrir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Sinto Deus me dá força e proteção
Sinto Deus na coragem para a luta
Sinto Deus no sabor que tem na fruta
Sinto Deus no bater do coração
Sinto Deus ao pedir ou dá perdão
Sinto Deus aqui dentro do meu ser
Sinto Deus na alegria de viver
Sinto Deus nos meus sonhos ao dormir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Quero Deus no momento de tristeza
Quero Deus no prazer e na alegria
Quero Deus toda hora e todo dia
Quero Deus demonstrando essa beleza
Quero Deus me mostrando à grandeza
De um crepúsculo em pleno anoitecer
Quero Deus em um novo alvorecer
Quero Deus junto a mim quando eu partir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Observe também um passarinho
Construindo um lugar pra procriar
Vai pra um lado e pra outro a gorjear
Procurando um talo ou um gravetinho
Lentamente constrói seu belo ninho
Pra que possa ali desenvolver
A semente pra vida florescer
Quando os ovos começam a eclodir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Observe um peixe na enchente
Pra cumprir o dever do ecossistema
E pra que haja enfim a piracema
Ele põem-se a nadar contra corrente
E vencendo obstáculos segue em frente
Não importa o que vai acontecer
Ele sabe aonde vai sem se perder
Nem pensar em voltar ou desistir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Observe uma abelha em seu trabalho
Que ela faz com esmero e com amor
Extraindo o néctar em cada flor
Se molhando em gotas de orvalho
Desconhece barreira ou atrapalho
Vai à luta com garra e com prazer
Quando volta ao cortiço ao anoitecer
Faz o mel pra “rainha” usufruir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Observe a lagarta feia e preta
Sua vida de larva dá um pulo
Com um fio se envolve num casulo
E se transforma em linda borboleta
E no seu ritual sem etiqueta
Sai voando em pleno amanhecer
Alimenta-se de pólen e o seu dever
É ajudar cada flor reproduzir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Sertanejo olhou pro seu sertão
Viu morrendo de fome e sede o gado
O açude sem água e em seu roçado
Viu morrer no sol quente a plantação
Mas a fé lhe invade o coração
E não o deixa sequer esmorecer
Cinco anos passaram sem chover
Mesmo assim jamais pensa desistir
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer


Assim Deus está presente em minha vida
Como está sempre em todo universo
Como estava presente em cada verso
Ajudando-me a escrever de fronte erguida
Dando-me forças que mesmo combatida
Por alguém que queria aparecer
Não deixei-me jamais me corromper
E com fé consegui sobressair
Não há força que possa destruir
A quem Deus escolheu para vencer

Carlos Aires 07/09/2009
Carlos Aires
Enviado por Carlos Aires em 07/09/2009
Reeditado em 10/09/2009
Código do texto: T1796844
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Aires
Carpina - Pernambuco - Brasil, 62 anos
949 textos (182250 leituras)
317 áudios (36934 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/12/14 17:26)
Carlos Aires



Rádio Poética