Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Assim diria o sabiá- setilha



Assim diria o sabiá

Mas que tanta alegria!
Porque cantas passarinho?
Preso nesta gaiola
Muito longe de seu ninho!
Diz sabiá cantador
Esta cantando a sua dor
Aí triste sozinho?

Se soubesse responder
Na certa assim diria,
Canto a dor da saudade
De quem eu deixei um dia
Na galha da mirueira
Com a minha companheira
Bem feliz eu vivia.

Até que o ser humano
Todo cheio de maldade
Preparou uma armadilha
Mostrando a perversidade
Pra alegrar seu coração
Prendeu-me no alçapão
Com tamanha crueldade.

Sem espaço pra voar
Vivo o meu dia a dia
Cantando pra não chorar
Não sentindo alegria
Estou nesta gaiola
E nada aqui me consola
Ser livre é o que queria.

Este ser humano
Que se diz inteligente
Por falta do que fazer
É que prende o inocente
Que vive no habitat
Com espaço pra voar
Que Deus fez pro vivente.

Quando este ser humano
Um dia cai numa prisão
Arranja logo um advogado
Pra lhe tirar da detenção.
Valoriza a liberdade
Só pra ele na verdade.
Para o passarinho não!

Mas Deus que está no céu
Que vê essa judiação
Cobrará  do Homem um dia
E ele pagará então
Lembrará da crueldade
Que fez com perversidade
Pagando tostão por tostão.

A terra foi feita
Para toda a criação
Todas têm o direito
Na Lei da Reprodução
Fez o espaço e a liberdade
Ele não fez a maldade
De criar o alçapão.
sabiadamata
Enviado por sabiadamata em 03/11/2007
Código do texto: T721808
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
sabiadamata
Barra da Estiva - Bahia - Brasil, 69 anos
21 textos (8832 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 11:53)
sabiadamata