Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PESSOAS


Fiquei raciocinando,
Quase uma hora inteira
De pessoas que algum dia
Entram em nossa vida,
Quer nos queiramos ou não
Ora por uma "Razão"
Ora por uma "Estação"
Ou por uma "Vida inteira"

Pessoas que podem ser
Amigos ou camaradas
Mas, pelo geito entendi
A mensagem bem bolada
Pessoas podem até vir
Se incluir em nossa vida
Mesmo que não sejam nada

Vou cantando em rima e versos
Toda aquela descrição
Falo em forma de cordel
P'ra fixar atenção.
Ora em oitava,
Ora em sétima,
Ora em sexta, quinta ou quarta
P'ra rimar com precisão.

Sei que sou pobre poeta
Para em cordel bem rimar
Mas, p'ra descrever direito
O que eu quero contar
Ora rimo, ora não rimo
Isto não vai importar
O fato de transmitir
O que eu quero falar

Dos que estão em nossa vida,
Seja qual for a "Razão"
Poderão nos parecer
Como uma dádiva de Deus,
E eles são!

De Deus dádivas somos todos
Quer queiramos ou não
Que mesmo por tempo curto,
O que importa é a "Razão"
De orientação e apoio
Espiritual ou não.
Da "Razão" que se precisa
Receber de coração

Necessidades atendidas
No momento de precisão.
As pessoas aparecidas
Simplesmente sumirão
Após cumprir bem cumprida
Sua elevada missão.
Recebem por isto o nome
De uma pessoa "Razão".

Já aquelas que são chamadas
De pessoas "Estação"
Aparecem em nossa vida,
Com uma maior dimensão
Precisamos crescer dividir e aprender
Pois nos trazem sem querer
Experiências de paz

Sempre nos oferecem
E ensinarnos poderão
Algo que nunca se fez
E grande prazer nos dão
Em um período em nos gerou
Grande modificação
Mas, estarão em nossa vida
Somente por uma "Estação"

Pessoas hão que são chamadas
Aquelas de "Vida Inteira"
Ensinam-nos grandes lições
Que podemos usufruir
E solidamente construir
Verdadeira formação
Emocionalmente sólida
Dentro do nosso coração

São pessoas verdadeiras
Aceitam também lições
E amam a pessoa inteira
Colocam o que apredemos
Em uso de todos os outros
Relacionamentos seus.

Aceitemos com pureza
Tudo isto é evidente
Digo isto com certeza
P'ra terminar o repente
É dito que o amor é cego,
Mas a amizade é clarividente

 
 
19/05/2001

Tadeu Costa
Enviado por Tadeu Costa em 13/12/2005
Código do texto: T85614
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tadeu Costa
Recife - Pernambuco - Brasil, 73 anos
97 textos (7724 leituras)
2 e-livros (226 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:24)
Tadeu Costa