Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OH, DECANTADA LIBERDADE!

A cada dia que passa, a tão decantada liberdade no seu mais profundo sentido, está apenas restrita às velhas e amareladas Páginas do Passado!...
Muitas criaturas dizem que têm liberdade de pensarem, de falarem o que sentem. Porém, a verdade é que só podem pensar, pois toda vez que tentam expressar-se com altíssima voz, são silenciadas por mãos opressoras, que abafam as mais entusiastas idéias!... E então, calam-se. E esses pensamentos se pudessem ser jorrados, talvez fizessem avançar a humanidade. Mas são recalcados até aos últimos andares dessas almas.
E o que se vê?!... Simplesmente um igual usando o outro seu igual como escada!...
Quando a máquina a que estamos tornando-nos, pára, pensa e pergunta:"Onde está nosso irmão -nosso igual?..."
Olhando-se ao redor, veremos que nosso igual é um dos degraus de nossas escadas e, talvez sejamos, um de nós, o punho opressor!...
O que dizer da liberdade nos dias atuais, quando encontramo-nos todos oprimidos num espaço refratário, transformando-nos em máquinas?!...
Para onde vamos nós?!... Ou transformamo-nos totalmente em máquinas ou voltamos às velhas e amareladas Páginas do Passado. Na verdade, duas opções sem nenhum crescimento. Preciso é, que surja uma terceira opção e possamos sair desse marasmo, que escraviza e condiciona até ao nível do insuportável, justamente no início da Nova Civilização, quando o mundo materialista ufana-se do grande progresso que tem alcançado, mas que deixa sua humanidade cada vez mais cega e perdida em sua loucura!  
Aninha Caligiuri
Enviado por Aninha Caligiuri em 19/01/2006
Código do texto: T101147
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aninha Caligiuri
Maringá - Paraná - Brasil
70 textos (1359 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 11:10)
Aninha Caligiuri