Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soledad

Minha mão tem vida própria esta noite. Tenho de segurá-la nos dentes pra que não disque o seu número. É tarde. Mas sei que você está de pé. Sentido figurado: na realidade você está sentado diante dos seus hobbies. Eles lhe dão a bênção mundana do esquecimento. Quanto a mim, procurei por ela o dia todo e não a encontrei.

Sabe esses dias em que você tem uma infinidade de coisas interessantes para fazer mas não quer saber de nenhuma delas? Hoje foi um desses dias pra mim. É sempre pior nos fins de tarde, na hora dos românticos.

Por que o telefone não pára de tocar? Por que nunca é você?

Hoje é um dia de cão vira-lata. Remexendo restos, fungando na rua, me coçando na falta de coisa melhor, dormindo encolhida num canto.

Não me leve a mal. Eu gosto de estar sozinha. De verdade. Não gosto é de estar solitária. Alguém me perguntou qual é a diferença. Pense assim. Sozinha: única pessoa num recinto. Solitária: pode ser uma das trinta pessoas no recinto e ainda assim sentir-se isolada. Aí está. Aqui estou.

Anotação mental: jogar o telefone pela janela.

Há em espanhol duas palavras curiosas para solidão: solitud e soledad. Esta última virou até nome de mulher. Destino estranho deve ser o de alguém que se chama Solidão. E o pior é que soa bem. Só em espanhol. Tanta coisa soa melhor em espanhol. Um te amo ao pé do ouvido. Hum...

Formou-se toda uma cultura negativa em torno da solidão. É impossível ser feliz sozinho, já cantava a Nara como escreveu Tom. Em inglês o nome do conhecido jogo de paciência é game of solitaire, literalmente o jogo do solitário. Bem, na verdade essa expressão serve para todos os jogos que o cara pode jogar sem um parceiro, e isso vai longe. Mas, no dia em que me pegarem jogando essas cartinhas, podem me trancar numa sala acolchoada. Isso não é solidão, gente. É insanidade.

Preciso ir pra cama. Você já foi. Ou será que não? Mal me atrevo a especular. A especulação é o primeiro passo que se dá em busca da verdade. Não tenho toda essa cara de pau. Não hoje. Telefone, faça o favor de atirar-se pela janela. Assim. Menos um problema. É o segundo ou terceiro que quebro.

Na cama alguém me espera. Seu nome é travesseiro. Eu? Llamame Soledad.

And if I never see your face again, well I don’t care
‘Cause I know a hundred games of solitaire*

*“E se eu nunca mais vir sua face de novo, bem, não me importo / Pois eu conheço cem jogos de solitário”. Letra da música A hundred games of solitaire (Cem jogos de solitário), de J. Napolitano)
Camila Fernandes MilaF
Enviado por Camila Fernandes MilaF em 07/04/2005
Código do texto: T10274
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Camila Fernandes MilaF
São Paulo - São Paulo - Brasil, 35 anos
22 textos (7590 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:30)
Camila Fernandes MilaF