Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Design Entediante

A noção mais básica da história é o tédio. Antes do mundo ser mundo e antes do universo ser universo havia...O tédio! O mesmo tédio que um dia foi deturpado com a aparição desse senhor, então um jovem, que veio com idéias revolucionárias sobre como as coisas deveriam ser.
Logo em sua chegada o jovem, como todo adolescente, queria pôr a mão na massa e começar a trabalhar. Então ele criou uma bola e a chamou de Terra, teria sido um bom trabalho, um ótimo começo para o criador iniciante mas... Sua obra se resumia a isto, uma bola! Diziam que ela era vazia e que tudo o que se via era a sombra do jovem criador andando de um lado para o outro bancando o super-herói. Em pouco tempo essa nova diversão se provou uma encheção sem tamanho e o jovem caiu novamente naquele ponto em que ninguém quer cair... O tédio. Então o adolescente resolveu criar luzes para fazer com que a brincadeira ficasse mais divertida, e assim ele chamou as luzes de dia e as trevas de noite."
Ótimos nomes " havia pensado ele que um dia seria conhecido como o maior inventor da história, mais até que Leonardo da Vinci e Dennis Rodman. Mesmo assim, faltava alguma coisa, então o jovem resolveu colocar algumas coisas azuis em cima e coisas azuis embaixo, às quais chamou inteligentemente de céu e mar. Pouco tempo depois o tédio novamente se instaurou, e o criador resolveu inovar. Decidiu criar mais duas bolas grandes e nomeá-las de Sol e Lua, e já que estava com a mão na massa aproveitou para criar coisas nunca antes vistas; aves, mamíferos e répteis. Nomeou cada uma delas com um nome estranho o suficiente para chamarem-nas de cult no futuro e disse em alto e bom som: " Multiplicai-vos!"( essa frase traria muitos problemas nos anos seguintes, mas naquele momento parecia a coisa mais sensata a se dizer) E então o tédio reinou...
Boizinhos e lagartos eram bonitinhos mas muito previsíveis, o criador queria quebrar todos os padrões e romper com todas as escolas de criadores dominantes da época. Pegou uma massa disforme de carne e tecido e a fez à sua imagem e semelhança. Apesar de algumas imperfeições o serviço havia sido muito bom ( se levarmos em conta as suas baixas notas em Escultura-I na faculdade de criadores ), e então ele chamou a coisa de homem. Mas... O infalível tédio tomou conta daquele ser, batizado de Adão. O pobre homem não fazia nada na sua vida a não ser correr pelos campos e apanhar frutas nas árvores mais próximas, e isso sim era um verdadeiro tédio na época( hoje seria considerado como o paraíso na terra ). Vendo o sofrimento de sua criação e cheio de si, o criador agora queria alçar vôos cada vez mais altos e inovadores. Foi então que ele criou a coisa mais imprevisível e estranha da história do universo... A mulher. Até hoje nunca se foi tão longe em matéria de inovação, eram seres bizarros que sangravam sem morrer e que mudavam de humor como trocam de roupa ( na época eram folhas de parreira ), verdadeiras obras de arte incompreendidas. E então o homem e a mulher tinham entretenimento por uma eternidade toda ( não fossem as brigas conjugais e desentendimentos com os répteis que habitavam o lugar ).
Depois dessa criação o jovem resolveu parar com as extravagâncias, pois aquilo tudo já era demais até mesmo para ele. Por essas e por outras o então adolescente resolveu tirar folga no sétimo dia e abençoá-lo com a alcunha de Domingo ( realmente ele era muito bom na arte de dar nomes ), mas graças aos homens que nunca foram muito bons de conta, o sétimo dia virou o primeiro da semana ( fato esse que acarretaria grandes problemas em toda a matemática incipiente da época, levando o seu desenvolvimento inicial a um atraso de alguns séculos ). Desde então o Domingo é conhecido "intergalaxialmente" como o dia do tédio ( e da macarronada ), uma singela homenagem à força criadora e responsável pela manutenção desse universo ao longo dos tempos... O tédio.
Gabriel Dudziak
Enviado por Gabriel Dudziak em 10/02/2006
Código do texto: T110153
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gabriel Dudziak
São Paulo - São Paulo - Brasil, 28 anos
3 textos (114 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:41)