Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ainda existe poesia

Poetas do Brasil inteiro comemoraram em 14 de março o Dia Nacional da Poesia. Através da internet, choveram mensagens poéticas de todos os cantos, colorindo os olhos e os corações daqueles que ainda cultivam a arte de fazer poesias ou que possuem a sensibilidade para ler e saborear os encantos de um poema. Algumas pessoas menos sensíveis chegam a perguntar como pode alguém pensar em fazer poesias vivendo neste mundo onde as notícias horríveis ganham todos os espaços, invadindo as almas e os corações e, praticamente, liquidando com todas as possibilidades de inspiração. Pode até parecer impossível. Mas nos corações dos poetas a inspiração é uma fonte inesgotável e todos os acontecimentos – alegres ou tristes – servem como desafios para mostrar que ainda existe poesia.
Existe poesia no gesto de ofertar uma flor para a pessoa que a gente ama ou até mesmo para aquela pessoa que a gente ainda não teve coragem para amar de verdade. Existe poesia em cada carícia trocada entre dois amantes naqueles momentos em que os lábios calam porque as palavras não conseguem expressar as belezas que brotam dos corações. Existe poesia em cada gesto de amizade que serve para aproximar as pessoas e perpetuar a crença de que um mundo melhor só será construído através do entendimento. Existe poesia na doação dos pais e das mães pelos filhos que colocaram no mundo ou que Deus colocou nas suas mãos. Existe poesia na solidariedade, na mão estendida, no ouvido atento para o problema alheio e nas ações concretas para semear sementes de amor. Existe poesia sobrando, para tudo e para todos, até mesmo para aqueles que ainda não acreditam na poesia.
Mas para que serve a poesia? Eu respondo esta pergunta com outra pergunta: para que servem as flores? Ora, as flores servem para enfeitar jardins, colorir vidas e repassar para os corações aquelas mensagens que as nossas palavras não conseguem traduzir nas horas alegres ou tristes. Um mundo sem flores não passaria de um grande deserto. Um coração sem poesia também fica muito parecido com um deserto. Com a diferença de que é muito difícil fazer florir um deserto. Mas é muito fácil colocar as belezas da poesia dentro de um coração, por mais árido que ele seja. E como para nós, poetas, todo o dia é Dia da Poesia, fica aqui o meu apelo para os leitores: façam a poesia chegar até os corações daquelas pessoas que vocês mais amam ou com quem vocês repartem amizade. Provem, com um gesto de carinho, a doação de uma flor ou até mesmo a entrega de um poema, que ainda existe poesia e que ela é fundamental para quem acredita no amor e tenta viver semeando amor pelos caminhos da vida.
Milton Souza
Enviado por Milton Souza em 16/03/2006
Código do texto: T123904
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Milton Souza
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 71 anos
67 textos (5902 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 00:03)
Milton Souza