Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Beleza interior


As coisas mais hipócritas que já ouvi diz respeito à beleza interior, diz-se popularmente que o que conta é o conteúdo do ser, porém, se você não tem um chamariz externo, quem vai se aproximar o suficiente para percebê-lo na sua integralidade?  O chamariz pode ser beleza física ou dinheiro, duas qualidades que não temos culpa de nascermos sem.  
Alguns dias atrás uma conhecida minha me comentou a respeito de um rapaz cujo muitas pessoas falam mal, que é muitas vezes estúpido, mas com essa conhecida minha sempre foi gentil.  Bom, alguém já viu um marmanjo tratar mal uma mulher bonita, ser chato com ela?  A menos que essa bela mulher de alguma forma descarte todas as chances de dormir com ele, aí sim a rejeição definitiva a faz ser tratada como uma outra qualquer, uma feia.
Quantas vezes é possível que tenhamos conversado com alguém belo e não percebemos quanto superficial é essa pessoa,  nos tornamos cegos pela aparência.  Por vezes também conhecemos alguém feio e não percebemos a inteligência, o humor refinado, a cultura da mesma só porque não demos atenção o suficiente, pois não nos interessa alguém que não podemos ostentar como se fosse um objeto de luxo, é isso ai, namorar alguém belo também dá status.  
Um rosto bonito é essencial em tudo, temos mais oportunidade, as portas se abrem.  Nós, feios, nos obrigamos a estudarmos mais, nos aperfeiçoarmos mais, sermos mais inteligentes para termos quase a mesma oportunidade de um belo.  Sim, nós, feios, nos tornamos artistas, aprendemos a tocar, cantar, desenhar, somos poetas, somos sensíveis, mas jamais conseguiremos estar ao nível de um bonitão burro e grosso, pois a beleza faz até a burrice ser esquecida.  Ainda se tivermos a sorte de nascermos feios porém ricos, podemos fazer algumas plásticas, reconstruir nossa arcada dentária ou simplesmente compramos um carrão e nos tornamos belos automaticamente.  Acho uma deficiência ser feio, nos obriga a nos superarmos sempre, como se fossemos cegos ou não tivéssemos um braço, claro que depende do nível da feiúra, mas tem vezes que me sinto tetraplégico.  Claro que comigo também não aconteceu um "amor à primeira vista", como acontece com os bonitões, me dá uma inveja de ver aquela atração fatal que acontece entre os outros e nunca comigo, toda a vez que fiquei com uma mulher foi por muita insistência, acho que elas ficavam com pena e pensavam assim "tá bom! mas pára de me encher o saco!". 
Nós, feios também podemos morrer sem chamar muita atenção.  Quando acontece uma tragédia vitimando alguém belo sempre há exclamações do tipo: "Que pena, tão bonita!", então se fosse feia podia sofrer as maiores atrocidades?  Falamos sem pensar, mas não deixamos de expressar inconscientemente o nosso preconceito.
Claro que existem uma infinidade de belos, nascidos em berço de ouro, sensíveis, geniais, só para fazer nós, os feios, nos sentirmos piores ainda.  Sim, nós, os feios, somos intelectuais para compensar a feiúra, é incompreensível que alguém belo não se dedique apenas ao culto da própria imagem.  Como eu gostaria de ter nascido lindo e rico!  Com certeza eu estaria nesse momento cultuando meu corpinho numa academia e não aqui gastando meus neurônios para escrever umas bobagens recalcadas para colocar na Net.  Até criamos frases que afirmam que beleza não é tudo, nos enchemos de preconceito contra as loiras e as chamamos de burras, de alguma forma tentamos nos convencer de que Deus não poderia ser tão bondoso com alguns, dar beleza e inteligência e para nós a feiúra. 
Mas existe coisa pior que ser feio e pobre, é ser feio, pobre e burro, aí sim a vida é um martírio.  As vezes acho que é o meu caso, sou tão burro que ao invés de criar uma coluna social nesse espaço e ficar puxando o saco dos belos e ricos, de repente eles até iriam me contemplar com algumas migalhas, insisto em remar contra a maré e ficar pentelhando os afortunados belos que também não têm culpa de terem nascido assim. 
O que me conforta um pouco e ver que a natureza é sábia, não há beleza que dure a eternidade, o tempo vai tirando aquela formosura, aparecem as rugas,  algumas gordurinhas e os músculos ficam flácidos. Só que até aí não levamos vantagem, os belos não mantém a beleza jovial para sempre e se tornam velhos, porém idosos belos, e nós jovens feios também nos tornamos velhos, porém velhos feios, ainda bem que já estamos acostumados, ai, ai.
Marcos Boca Matos
Enviado por Marcos Boca Matos em 17/03/2006
Código do texto: T124557
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcos Boca Matos
Tapera - Rio Grande do Sul - Brasil, 45 anos
7 textos (509 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:52)
Marcos Boca Matos