Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VIRUS ENCOBERTO (por baixo dos panos)

VIRUS ENCOBERTO (por baixo dos panos)
(Autor: Antonio Brás Constante)

O mundo é um lugar onde o perigo às vezes está invisível aos nossos olhos, outras vezes está muito bem encoberto deles. Um bom exemplo disto são os vírus. Espalhados pelo ar, pela água e pela terra. São terríveis. Avassaladores. Mas há um tipo de vírus que ataca na política. Pior que o ebola, o nome do tal vírus (ainda não comprovado oficialmente), é denominado: ÉBOLADA.
Até o momento o único exame para detectar o referido vírus é o exame de CPI, que serve pra comprovar políticos infectados. Porém, pesquisas recentes demonstram que o tal exame se mostra ineficaz, já que os infectados juram que não tem nada, nem apartamentos, nem dinheiro sujo, nem contas no exterior, etc.
Entre os sintomas podemos perceber que o doente adquire uma tremenda cara-de-pau, volume acentuado (de dólares) dentro de suas cuecas, aumento de seu saldo bancário, e amnésia em governantes que passam a viajar muito.
Mas não se engane, é um vírus cruel. Pois transforma seus infectados em vampiros financeiros, sedentos do dinheiro alheio. Sugando verbas para saciar sua corrupção desenfreada.
O pior efeito deste vírus é que quem sofre as piores conseqüências não são os políticos contaminados, e sim a população que depende deles. Tornando-se a verdadeira vítima destes enfermos que lhes roubam verbas, sonhos e esperanças. Muitas vezes matando-a pela miséria a ela imposta. Tudo isto para continuarem enriquecendo seus propósitos doentios.
A tática usada para combater este mal não é caçar o vírus e sim cassar o mandato do doente. Algo extremamente difícil, pois alguns acham que governo e oposição já estão tomados completamente pela moléstia.
Descrevo a seguir alguns cuidados para se tentar evitar, ou ao menos diminuir a contaminação: não deixar abertas “caixas dois”, pois ali é um ambiente ideal para proliferação do vírus. Fazer exames periódicos em cuecas e contas bancárias de possíveis infectados. Vasculhar focos de dinheiro “não contabilizado” e principalmente, não alimentar os contaminados, retirando deles a principal fonte que sustenta esta doença: O SEU VOTO.

(SITE: www. abrasc.pop.com.br).

NOTA DO AUTOR: Divulgando este texto para seus amigos. (Caso não tenha gostado do texto, divulgue-o então para seus inimigos).

Antonio Brás Constante
Enviado por Antonio Brás Constante em 01/04/2006
Reeditado em 18/05/2006
Código do texto: T131898
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Antonio Brás Constante
Canoas - Rio Grande do Sul - Brasil, 100 anos
399 textos (85252 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 10:04)
Antonio Brás Constante