Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Só nos cabe esperar...

- Vamos criançada levantando, hora do colégio
- Ah! Mãe hoje não, eu to passando mal... cof... cof...
- Que tá passando mal nada, você não fez a lição isso sim, azar seu vai ficar com ponto negativo e já sabe né... castigo.
- É mãe, ela não fez a lição, mas eu to passando mal mesmo!
- Me engana que eu gosto viu moleque, o café está servido e vamos rápido com isso.
- Mas mãe...
- Não tem mãe nem meia mãe, já disse colégio, os dois!
- Prontos?
- Escovaram os dentes? 
- Sabia que não!
- Nem vou falar nada, já sabem o que fazer e já!
E vou pegando a bagunça que eles vão deixando para trás, mais meia hora de brigas e confusão e finalmente estamos dentro do carro.
- Coloquem os cintos de segurança!
- Ah! Mãe que saco...
- Já falei, SINTO DE SEGURANÇA A-GO-RA !!!
Vencida mais uma batalha, no grito mas vencida.
- Ai!... Minha paciência, o transito está mer...cadoria, vamos chegar todos atrasados e meu chefe me mata, e a culpa é de vocês que fazem esse forfé todo dia.
- Nossa!... É nada você é que já acorda estressada...
- Estou achando que você não gosta muito dos seus dentes, e se não gosta eu resolvo isso rapidinho.
- Ha ha ha... você resolve e depois paga a conta do dentista ha ha ha.. E por falar em conta to devendo na cantina do colégio!
- Olha só o que você fez seu anta agora ela vai falar daqui até a porta da escola, fecha a boca e fica quieto seu bundão.
- Cala a boca você sua barata descascada.
- Oh! Mãe olha ele!
- Podem parar os dois, porque eu se não parar eu paro os dois entenderam?
Ai piorava, um monte de risadas de deboches na minha cara, eu só falava e esbravejava mas agir ai.. ai.., nunca, ficava só na falação.
Todo dia era isso, uma confusão para sair de casa, levar as crianças ao colégio, as brigas, desculpas esfarrapadas por conta das lições não feitas, e contas muitas contas para pagar, o que ainda não mudou, e o transito infernal, sem contar com meu chefe que estava sempre de mal humor, o comentário no escritório era que esposa dele dormia com calcinhas de ferro rs, por isso ele era tão mal humorado, ohhh!! coitado, rs.
Hoje isso já não acontece, hoje cada um deles vai para um canto, cada um já tem sua vida, muitas vezes quando eu acordo e já não há ninguém em casa estou só, eles  já saíram para cuidar de suas vidas.
É muito engraçado e ao mesmo tempo estranho, o tempo passa e não vemos, um belo dia olhamos para nossas crianças e onde estão?
Já não são crianças, já tem vida própria, e ficamos assim meio sem saber o que fazer o que falar.
Já não pedem se podem fazer isto ou aquilo, comunicam, e você tem que aceitar!
Não tem jeito, já são adultos fazem o que querem, e nós só podemos observar, aparamos uma aresta aqui outra ali, mas não dá mais para determinar o que eles podem ou não podem fazer.
O que resta fazer e rezar muito para que tudo que você tentou ensinar surta efeito, e que eles tenham uma boa base e nunca se desviem do caminho.
Agora só nos cabe esperar e acreditar que fizemos o melhor possível.
Só nos cabe esperar...

***

"ÐäMå Ðë ÑëG®ö"

Apenas uma mulher que já riu, amou, se entregou e chorou.
Escrevo o que sinto, como sinto quando sinto.
Longe, muito longe de ser uma poetisa sou apenas alguém que sente!

***

Beijos
Dama De Negro
Enviado por Dama De Negro em 18/04/2006
Reeditado em 31/08/2007
Código do texto: T141095

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Dama De Negro
São Paulo - São Paulo - Brasil
1890 textos (146140 leituras)
2 e-livros (329 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:56)
Dama De Negro