Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sinais dos Tempos ...

“... Grupo armado rouba galinhas em Ituverava. Seis homens armados com um revolver. Roubaram todas as 50 galinhas do Sítio Serra Azul.”
Folha de São Paulo – Cotidiano- 04 de fevereiro de 2006.

Carambola, roubaram as galinhas...Não foi um simples roubo de quintal, onde antes o propósito para tal ato seria o de fazer uma canja, cozinhar ou assar, pelo jeito não mais; O crime organizado chegou ao setor das aves...

Pergunto-me realmente aonde iremos parar deste jeito? E as galinhas? Será que alguém esta pensando nesta minoria tão essencial ao nosso dia-a-dia? Traumas como este pode ocasionar uma verdadeira caça aos ovos...Será que irão criar uma delegacia especial? Algo do tipo: Grupo Anti-Sequestro aos Galináceos? Algum Disk Denúncia das Penosas? Será que irá merecer espaço no Retrato Falado? Reportagem especial no Globo Repórter?
 
Enfim...o fato é tão bizarro, tão titica de galinha (coitadinhas) que realmente merece este penoso devaneio...

Moacyr Scliar foi feliz em dizer (crônica de 11 de fevereiro de 2006, no mesmo caderno Cotidiano) que o progresso chegou ao galinheiro; E que hoje o roubo de galinhas é uma “operação de larga escala, levada a cabo por grupos organizados e armados, que não temem sequer a gripe aviária...”

Cuidem de suas galinhas, será a nova ordem...Agora, como se não bastasse o destino destas criaturas por um fio (o da faca naturalmente), estas pobres portadoras de penas terão um tormento a mais com que se preocupar, pois a qualquer momento estas coitadinhas correm o risco de serem arrancadas de seu lar-doce-lar, ou seja de seus galinheiros...Ahhhhhhh!!! E,  o que será de toda uma geração de pintos órfãos separados de forma brusca de suas mães?...Piu..Piu...Piu...Irão necessitar de acompanhamento psicológico é claro! Afinal alguns dos pintos de hoje poderão vir a ser os galos de amanhã, ou não...

E o galo? Onde estava? Pensando bem, devia estar descansando, antes do sol raiar... Também, agüentar 50 galinhas não deve ser nada fácil...Mas quem manda ele cantar de galo...Afinal se antes “cantar de galo’ era expressão de força, masculinidade e/ou o sinônimo máximo de quem manda no terreiro, ops galinheiro; hoje em dia  piar baixinho é muito mais que sinônimo de sobrevivência de uma espécie...em todos os sentidos é claro!!!

Onde  será que foi parar o tempo em que o galinheiro era tão somente o reduto de brincadeiras da casa da avó...aquele lugar que respirávamos titica e sentíamos paz...onde escondíamos ou trocávamos os ovos...onde a disputa era tão e somente por aquele ovo vermelhinho, pois dele viria uma gema mais consistente... Ovo de granja ...Ou ainda, ter consciência que Giselda era muito mais que um personagem de Maurício de Souza; era amiga e companheira de Chico Bento...

Bons tempos...Foi-se o tempo em que doces e meigas galinhas podiam siscar livres, soltas...iam e vinham tranquilamente...

 É preciso proteger nossas galinhas? Ou os pintinhos, ou as coxinhas, ou sobrecoxas marinadas no vinho e ervas; assadas com aquele leve sabor de alecrim e alho poró...hummmm...

Obs.: o deliciosa é somente no sentido figurado da leitura...nada pessoal...afinal como descrevi em um devaneio passado...somos todos galinhas...

 


   
Tânia Aranha
Enviado por Tânia Aranha em 20/04/2006
Código do texto: T142130
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tânia Aranha
Fortaleza - Ceará - Brasil
26 textos (3134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 20:07)
Tânia Aranha